terça-feira, 18 de junho de 2019

Visite a cidade de Juru e conheça o Priquitu's Bar

PRIQUITU'S BAR: FAMOSO ESTABELECIMENTO COMERCIAL DE VERA E VÁ 'PRIQUITO'

A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Pelas redes sociais, a simples divulgação do nome de fantasia de um estabelecimento comercial, localizado na cidade de Juru, no Sertão da Paraíba, foi motivo de incontáveis curtidas, comentários e compartilhamentos de gente de todos os lugares.
Trata-se do Priquitu's Bar, procurado ambiente familiar de propriedade de Vera e Vá, situado à Rua Maria da Roça Grande, na saída para o povoado Cachoeira dos Costas, onde o freguês pode degustar bebidas de todos os tipos e um cardápio de dar água na boca, servindo inclusive uma saborosa galinha caipira com arroz da terra, além de tira gostos, petiscos e outras iguarias.
Contudo, o que chamou a atençao dos internautas mais curiosos e de imaginação fértil foi o sugestivo nome do bar, batizado em homenagem a tradicional família do dono do estabelecimento, os 'Priquito'. Isso mesmo que você está lendo: família 'Pri-qui-to', também conhecida na região por 'Gambirra'. 
O inusitado, no entanto, é que muita gente acha que 'Priquito' se trata de um palavrão relacionado ao órgão genital feminino, quando na verdade se refere a uma espécie de pássaro doméstico e falante, de personalidade ativa e bastante dócil.
De acordo com uma pesquisa feita sobre o famoso sobrenome atribuído aos familiares do proprietário do Priquiu's Bar, sua origem vem do fato do barulho que antigamente eles faziam, principalmente no horário das refeições.
O mais conhecido da família era o saudoso João 'Priquito', que faleceu a cerca de um ano, jogador amador de futebol também lembrado pela cachaça que bebia. 
Quando se embriagava, João 'Priquito' ficava bravo com os moleques que mexiam com ele na rua e reagia: "Mexam comigo, pra vocês verem um priquito arrochdo". 
Periquito - Banho

Louco

Cientista é ferroado de propósito para fazer ranking das piores dores


xblog justin.jpg.pagespeed.ic .2TOClVZBuo - Cientista é ferroado de propósito para fazer ranking das piores dores
Se você chamar Justin O. Schmidt de louco, certamente não estará sozinho. O cientista simplesmente se submeteu à ferroada de dezenas de insetos para criar uma escala de intensidade de dor provocada por eles. Baseado nessa dolorosa experiência, ele criou um ranking. Abaixo, estão listadas as ferroadas mais tenebrosas, segundo as palavras (e as dores) de Schmidt.
10 – Vespa ocidental do revestimento amarelo – “A reação foi quente e enfumaçada”.
9 – Abelha carpinteiro gigante de Bornéu – “Eletrizante, afiada e penetrante”.
Formiga colheitadeira da Flórida
Formiga colheitadeira da Flórida - Foto: Reprodução / Sciene News
8 – Formiga colheitadeira da Flórida – “Como se alguém estivesse usando uma furadeira elétrica para escavar sua unha encravada”.
7 – Formiga colheitadeira de Maricopa – “São oito horas incessantes de perfuração na unha encravada”.
6 – Vespa de papel vermelho – “Cáustico e ardente, com um gosto amargo. Como derramar um copo de ácido clorídrico em pedaço de papel”.
Vespa de papel vermelho
Vespa de papel vermelho - Foto: Reprodução
5 – Abelha de mel ocidental – “É imediato, nocivo, visceral e debilitante. Por dez minutos, a vida não vale a pena”.
4 – Formiga de veludo – “Explosivo e duradouro. Você parece um louco gritando. Como óleo quente da fritadeira derramando sobre a sua mão inteira”.
3 – Formiga bala – “Pura, intenso e brilhante. Como andar em carvão flamejante com um prego de 8cm embutido no seu calcanhar”.
2 – Vespa Tarantula Hawk – “Como se o secador de cabelo ligado caísse na água da banheira”.
1 – Vespa guerreira – “Tortura, você está acorrentado no fluxo de um vulcão ativo”.
Fonte: Extra

Disparos

Agência de marketing revela que divulgou campanha de Jair Bolsonaro nas eleições por App


boslnora 300x195 - Agência revela que divulgou campanha de Bolsonaro nas eleições por App
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou nesta terça-feira (18) sobre os envios em massa de mensagens a favor de sua campanha eleitoral pelo WhatsApp e afirmou que, assim como houve disparos favoráveis, também houve milhões de mensagens contrárias.
As declarações foram feitas após cerimônia de hasteamento da bandeira nacional que contou com a presença de ministros e do novo secretário de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, que substituiu o também general Carlos Alberto dos Santos Cruz. “Teve milhões de mensagens a favor da minha campanha, e talvez alguns milhões contra também”, afirmou, ao ser questionado sobre o assunto.
Reportagem do jornal Folha de S.Paulo desta terça revelou que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para fazer, pelo WhatsApp, disparos em massa de mensagens políticas a favor de Bolsonaro, então candidato à Presidência.
A publicação teve acesso a gravações obtidas do espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps. Nos áudios, ele diz que “empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas” brasileiros compraram seu software para mandar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.
À reportagem da Folha de S.Paulo, o empresário espanhol disse não saber que seu software estava sendo usado para campanhas políticas no Brasil e que só tomou conhecimento quando o WhatsApp cortou, sob a alegação de mau uso, as linhas telefônicas de sua empresa.
O WhatsApp confirmou à Folha de S.Paulo que cortou linhas da empresa. “Não comentamos especificamente sobre contas que foram banidas, mas enviamos uma notificação judicial (Cease and Desist) para a empresa Enviawhatsapps.”
Não há indicações de que Bolsonaro ou sua equipe de campanha soubessem que estavam sendo contratados disparos de mensagens a favor do então candidato. Procurada pela reportagem da Folha de S.Paulo, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que não iria comentar.Doação de empresas para campanha eleitoral é proibida no Brasil. Doações não declaradas de pessoas físicas também são ilegais.
ENTENDA O CASO
Empresários 
Em 18 de outubro de 2018, o jornal Folha de S.Paulo revelou que empresários impulsionaram disparos por WhatsApp contra o PT na campanha eleitoral. O serviço foi vendido pelas agências Quickmobile, CrocServices e Yacows. Uma ação foi aberta no TSE para apurar o caso.
Fonte: Folhapress

Pastor foi assassinado por filho adotivo a mando de filho biológico

Filho da deputada Flordelis afirma que matou pai a mando de irmão, diz polícia


xcarmo flordelis.jpg.pagespeed.ic . sxs9oJRq3 1 - CONFESSOU: Filho de Flordelis afirma que matou pai a mando de irmão, diz polícia
Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) já sabem que Lucas dos Santos, de 18 anos, um dos filhos adotados pela deputada federal e pastora evangélica Flordelis e pelo pastor Anderson do Carmo de Souza, foi um dos executores do assassinato dele ocorrido na madrugada de domingo (16). E que um dos mandantes do crime foi Flávio Rodrigues de Souza, de 38 anos, filho biológico de Flordelis.
Ambos foram presos nesta segunda-feira. Flávio de Souza tinha um mandado de prisão pendente por violência doméstica e foi preso durante o sepultamento do corpo de Anderson no cemitério Memorial de Nictheroy, no bairro Laranjal, em São Gonçalo. Já Lucas foi preso no momento em que prestava depoimento na DHNSG. Contra ele, havia um mandado de apreensão por tráfico de drogas quando ele ainda era menor de idade.
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do estado, entrou no caso que investiga a morte do pastor evangélico. O promotor Sérgio Luiz Lopes Pereira foi à Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo e disse que o Gaeco entrou nas investigações. Ele tem uma reunião marcada com a delegada Barbara Lomba e com policiais que participaram da investigação do caso.
O motivo do crime seria uma traição de Anderson, que estaria mantendo uma relação amorosa extraconjugal. Ao prestar depoimento, Lucas se contradisse e teria decidido confessar o crime e acusar Flávio de ser um dos mandantes depois que policiais mostraram imagens de câmeras de segurança em que ele aparece na cena do crime. Transtornado, Lucas incriminou Flávio e contou detalhes que estão auxiliando a polícia na investigação do crime. Ao menos sete dos 30 tiros disparados contra o pastor atingiram a região pélvica.
Fonte: Extra

Situação desconfortável

Eleitores de Bolsonaro pedem a saída do apresentador Paulo Henrique Amorim da Record


A situação do apresentador do Domingo Espetacular da Rede Record, Paulo Henrique Amorim, não é mais confortável depois que ele divulgou um vídeo em que insinua que o presidente Jair Bolsonaro morrerá em breve, em alusão ao cantar o hino do Flamengo em tom de ironia: ”Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer”… em breve, completou ele.
Os eleitores do presidente Bolsonaro, tomaram as redes sociais, pedindo o afastamento do jornalista por ser um defensor doentio do PT e consequentemente contra Bolsonaro e a Lava Jato, sendo imparcial em todos os seus comentários como jornalista.
Desde que Bolsonaro foi eleito, Paulo Henrique Amorim tem sido um jornalista amargo e revoltado contra Sérgio Moro, Lava Jato e não demonstrando coerência com sua profissão de jornalista do povo, não dos seus pensamentos e fanatismo pelo PT. Assim, os eleitores de Bolsonaro estão exigindo com hashtags contra ele, e elas vêm crescendo cada vez mais.
Jornal do País

A insuportável dor de Mário Naves

Mauro Naves: Atriz Patrícia Naves, desabafa sobre o sofrimento do marido afastado pela Globo


O jornalista Mauro Naves que recentemente foi afastado da Rede Globo, por segundo a emissora ter se envolvido no caso Neymar por ser amigo do ex advogado de Najila Trindade (que acusa o jogador Neymar de abuso e agressão), sua esposa a atriz Patrícia Naves, disse em uma emissora de televisão que o sofrimento não é só de Mauro, mas da família inteira, uma dor insuportável que não desejaria para ninguém.
Mauro Naves ficou chocado, triste e humilhado ao assistir o Jornal Nacional e ver William Bonnner comunicando o seu afastamento, sem ele saber até aquele momento o motivo.
Ela disse que Mauro Naves está deprimido e sofrendo muito por ter um coração bom e levar tudo com muita seriedade, e que ela está assustada com a repercussão que o caso tomou, sem o jornalista ter feito nada.
O jornalista Mauro Naves está indignado por não ter feito nada. O sofrimento é de todos por saber que ele é um homem honrado e honesto e disse que Deus sabe todas as coisas.
”Este sofrimento, não quero para o meu maior inimigo”.
.ornal do País com informações: UOL

Novo técnico do Flamengo desembarca no Rio de Janeiro

Português Jorge Jesus assume em definitivo comando técnico do Flamengo

"Estamos empolgados para começar a trabalhar", afirmou o técnico português


Jorge Jesus assume em definitivo comando técnico do Flamengo
Jorge Jesus esteve no Rio há uma semana para conhecer as instalações do Ninho do Urubu, assinar contrato de um ano, ver o empate sem gols com o Fluminense, pelo Brasileirão, e dar a primeira entrevista coletiva.
A comissão técnica de Jorge Jesus será formada por sete pessoas. Os que faltam devem chegar no Rio nesta terça-feira. O staff conta com o auxiliar João de Deus, o adjunto Tiago Oliveira, o preparador Mário Monteiro, Marcio Sampaio, que faz um trabalho voltado para prevenção e recuperação de lesões, Rodrigo Araújo e Gil Henriques, analistas de vídeo, além do coaching brasileiro Evandro Mota.
Os jogadores se reapresentam nesta quinta-feira pela manhã, no Ninho do Urubu, quando serão iniciados os treinamentos. O Flamengo só volta a jogar no dia 10 de julho, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Até lá, Jesus terá três semanas para fazer as alterações que considera ideais para a equipe.
Além da parte técnica, o treinador também vai se reunir com a diretoria para acertar a vinda de reforços. A contratação de um zagueiro e de um atacante são as prioridades do treinador para o segundo semestre.
Pelo Campeonato Brasileiro, o Flamengo só volta a jogar no dia 14 de julho, no Maracanã, diante do Goiás, pela décima rodada. O time da Gávea é o terceiro colocado, com 17 pontos, três atrás do Santos e cinco a menos que o líder Palmeiras.
Esporte ao Minuto

Ministro da Economia dá uma solução caseira para crise do BNDES

Engenheiro e mestre em economia Gustavo Montezano substitui Joaquim Levy no BNDES

A escolha de Montezano, antes mesmo do anúncio oficial, foi confirmada pela líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP)


Gustavo Montezano substitui Joaquim Levy no BNDES
Engenheiro e mestre em Economia, Montezano, 38 anos, era o número dois do secretário de Desestatização, Salim Mattar, um dos cotados para assumir a presidência do banco depois que Joaquim Levy deixou o cargo, sob críticas públicas do presidente Jair Bolsonaro.
Enquanto Levy tinha larga experiência - tendo sido ministro da Fazenda no governo de Dilma Rousseff e diretor do Banco Mundial - Montezano é um nome "menos badalado" e deve cumprir à risca as determinações do governo, como devolver recursos devidos pelo banco ao Tesouro Nacional e abrir o que Bolsonaro chama de "caixa-preta" do BNDES, numa referência a informações sobre empréstimos feitos a empresas de países como Cuba e Venezuela.
A escolha de Montezano começou a circular no início da noite desta segunda-feira, 17, e, antes mesmo do anúncio oficial, foi confirmada pela líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP), em sua conta no Twitter. Logo depois, o Ministério da Economia informou, em nota, o encaminhamento do nome do engenheiro para deliberação do Conselho de Administração do BNDES.
Montezano é visto como um nome próximo a Mattar, que teria preferido "emplacar" uma pessoa ligada a ele para continuar à frente da secretaria do Ministério da Economia. Guedes chegou a cogitar colocar Mattar no banco e transferir parte das atribuições da secretaria para o BNDES, como a gestão das privatizações federais, mas a ideia esbarrou na necessidade de mudanças legais.
Segundo o Estadão/Broadcast apurou, a ideia do governo é que Montezano atue em parceria com a secretaria de Mattar para viabilizar e acelerar as privatizações da União. Montezano é graduado em Engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia e mestre em Finanças pelo Ibmec, com 17 anos de carreira no mercado financeiro. Foi sócio do Banco Pactual, onde atuou como diretor executivo da área de commodities em Londres e, anteriormente, como responsável pela área de crédito, resseguros e project finance.
Nascido em Brasília, é filho do economista Roberto Montezano, que é professor do Ibmec há mais de 30 anos e trabalhou com Guedes na instituição. Montezano se animou com o governo Bolsonaro. Além do projeto liberal, já conhecia o presidente e os filhos desde os tempos de menino. Morou no mesmo condomínio que eles na Tijuca, no Rio.
Substituição
A escolha de Montezano foi feita após duas reuniões de Guedes com Bolsonaro ontem. A saída tumultuada de Levy do BNDES foi pouco citada - em nota, o Ministério da Economia agradeceu ao ex-presidente pela "dedicação demonstrada" enquanto no cargo.
Levy pediu demissão em carta divulgada no domingo, um dia após Bolsonaro ter dito que a cabeça do economista estava "a prêmio". Resistente à escolha de Levy desde o início por ele ter pertencido ao governo petista, Bolsonaro criticava o executivo por não abrir a "caixa-preta do BNDES". Guedes também estava descontente com a velocidade da devolução dos recursos emprestados pela União ao banco.
O estopim para a demissão foi a nomeação do diretor Marcos Barbosa Pinto para o BNDES. Sócio da Gávea Investimentos, ele havia trabalhado no banco também durante governos petistas, o que irritou Bolsonaro e o levou a criticar Levy no sábado.
Caixa-preta
O futuro presidente do BNDES assumirá o cargo numa saia-justa. Pelo lado da política, o principal objetivo será abrir a "caixa-preta" das operações do banco, como disse, antes do anúncio do nome de Montezano, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A tarefa não será fácil, seja porque, nos últimos anos, o BNDES já vinha ampliando as informações disponíveis, seja porque auditorias e operações da PF e do Ministério Público Federal ainda não comprovaram irregularidades envolvendo funcionários do banco.
A divulgação de informações públicas sobre as operações foi crescendo, desde o fim da gestão de Luciano Coutinho, ainda nos governos do PT - o processo foi acelerado a partir de 2015. Houve ampliação das informações disponíveis, mas grande parte dos avanços se deu na apresentação dos dados no site do banco. Tanto que a primeira tentativa de Levy de abrir a "caixa-preta", logo após a posse em janeiro, foi colocar na página do BNDES uma lista com os 50 maiores clientes.
Notícias ao Minuto com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Nome sujo

'Novos reincidentes' da inadimplência': Economia parada deixa brasileiros reféns das dívidas  

Milhões de brasileiros que conseguiram pagar as dívidas atrasadas nos últimos 12 meses, voltaram a ficar com o nome sujo neste ano


Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas
Adriana e outros milhões de brasileiros que conseguiram pagar as dívidas atrasadas nos últimos 12 meses e voltaram a ficar com o nome sujo neste ano são considerados "novos reincidentes" da inadimplência pelos birôs de crédito. Esse é o grupo que tem ampliado a participação no calote neste ano.
Entre janeiro e maio, eles eram, em média, 27% do total de inadimplentes. No mesmo período de 2018, essa fatia estava menor, representava 24,9% do total de pessoas com dívidas vencidas e não pagas, segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do SPC Brasil.
Já o "reincidente velho", aquele inadimplente que continuou na lista de devedores, deixou de pagar mais uma dívida no período e que responde pela maior parte do calote, reduziu sua participação. Entre janeiro e maio deste ano, esse grupo era 52,2% dos inadimplentes, em comparação a 54,4% no mesmo período de 2018. Enquanto isso, a participação dos inadimplentes que pela primeira vez ingressaram nessa lista ficou estável em 20,6%.
"Sentimos neste começo de ano um aumento mais acentuado desse movimento de pessoas que tinham conseguido sair da lista de inadimplentes e voltaram a não pagar em dia as dívidas", diz Mariane Schettert, presidente do Igeoc, associação que reúne as 16 maiores empresas de telecobrança, que respondem por 20% do mercado.
Zigue-zague
Além de todo início de ano ser um período de aperto no orçamento por causa do acúmulo de contas a pagar, o que leva normalmente mais pessoas a se tornarem inadimplentes, neste ano esse movimento está mais forte por causa da estagnação da economia.
O zigue-zague de quem conseguiu sair do sufoco em 2018 mas voltou a ficar inadimplente neste ano reflete também os altos e baixos da economia. Após crescer 1,1% em 2018, o Produto Interno Bruto caiu 0,2% no primeiro trimestre e frustrou as expectativas de empresários e consumidores.
A falta de reação da economia neste início de ano é nítida no desemprego, que se mantém em níveis elevados. São 13,2 milhões de trabalhadores fora do mercado. "A inadimplência anda de mãos dadas com o desemprego", diz Mariane.
Genaro Silva Pimentel, 47 anos, ex-caixa de supermercado, é um exemplo dessa relação Após um ano no emprego, ele foi demitido no mês passado. Pimentel estava há algum tempo no cadastro de inadimplentes. "Ia até acertar as cotas, mas não deu tempo." Agora, novamente desempregado e com uma rescisão de R$ 2,7 mil no bolso, ele acredita que vai conseguir bancar as suas despesas por mais dois meses, se não conseguir trabalho. "Devo ficar inadimplente mais ainda, não tem como."
A renda estagnada, a perda de confiança da população e o aumento da inflação, especialmente de alimentos, que atingiu a maior marca em três anos no início de 2019, também contribuíram para o avanço do calote.
"O que mais afetou a inadimplência no início deste ano foi a inflação", avalia o economista Luiz Rabi, da Serasa Experian, empresa especializada em informações financeiras. "A inflação dos alimentos, que atingiu 3,7% de janeiro a abril, bateu na baixa renda, que é mais vulnerável quando se fala de inadimplência."
Entre janeiro e maio deste ano, 238 mil famílias engrossaram o grupo dos 3,8 milhões de domicílios que estavam com contas atrasadas ao final de maio, destaca o economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio, Fabio Bentes. No ano inteiro de 2018, 291 mil famílias se tornaram se tornaram inadimplentes.
Recorde
O aumento neste ano do número de consumidores inadimplentes e de dívidas em atraso é apontado por dois birôs de crédito. Em abril, 63,2 milhões de brasileiros estavam com dívidas atrasadas, segundo a Serasa Experian. É o maior contingente de inadimplentes desde o início da série iniciada em março de 2016. São 2 milhões a mais de inadimplentes em relação a abril de 2018.
Segundo a Boa Vista Serviços, em maio, o volume de dívidas não pagas aumentou 4,8% em relação a abril, descontados os efeitos típicos do período. Foi a maior alta mensal do número de dívidas não pagas desde maio de 2018 e a terceira elevação mensal seguida.
"Começamos a observar uma mudança de tendência da trajetória da inadimplência", alerta o economista Flávio Calife, da Boa Vista.
Desde meados de 2018 as pessoas começaram a tomar mais crédito e o endividamento aumentou. Mas a situação financeira do consumidor não está melhorando. Por causa desse descompasso, deve crescer o número de inadimplentes e a recuperação do crédito pode piorar, prevê o economista. 
Economia ao Minuto com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Perdão de dívidas do Funrural

Promessa de campanha: Ruralistas podem obter anistia de dívida de R$ 17 bilhões do Funrural

A reforma da Previdência pode abrir brecha para que o perdão de dívidas do Funrural seja aprovado no futuro pelo Congresso


Ruralistas podem obter anistia de dívida de R$ 17 bilhões
O texto do governo impedia o perdão de débitos previdenciários para todos os tipos de contribuição. No entanto, Goergen diz que o relator retirou essa proibição para contribuições feitas fora da folha de pagamento - como é o caso do Funrural, feito pelo faturamento da produção.
Com a mudança, o deputado diz que Bolsonaro poderá cumprir promessa de campanha feita ao agronegócio. Nem o governo sabe o valor da dívida dos ruralistas, mas cálculos preliminares apontam que a anistia ao setor pode chegar a R$ 17 bilhões.
"Eu consegui reverter o impedimento da remissão do Funrural que a PEC trazia. Não tem mais porque o governo não conseguir cumprir a promessa de campanha do Bolsonaro", diz Goergen. Ele é o autor do projeto de lei que trata sobre o perdão do passivo do Funrural, que funciona com espécie de contribuição dos produtores rurais para a aposentadoria dos trabalhadores do setor e incide sobre o faturamento da produção.
Essa contribuição foi considerada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2017 e a Receita quer cobrar a dívida retroativa. O governo lançou mão de um Refis para que os produtores pagassem os débitos, mas, segundo o deputado, boa parte dos produtores não aderiu ao parcelamento contando com a promessa de campanha de Bolsonaro.
Após as críticas do ministro Paulo Guedes, às alterações feitas no texto da reforma, a preocupação de líderes do Congresso é garantir que a proposta seja aprovada com o carimbo do Parlamento. A avaliação é que a reação explosiva de Guedes favorece o protagonismo dos deputados e senadores na condução da reforma daqui para frente, com a manutenção da potência fiscal do parecer.
Notícias ao Minuto ccom informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Começa hoje discussão da Reforma da Previdência na Câmara

Parecer da Reforma da Previdência deve começar a ser discutido nesta quarta-feira na Câmara dos Deputados

A Comissão Especial deve começar nesta terça-feira (18), a partir das 09h00


Previdência: parecer deve começar a ser discutido hoje na Câmara
Pelo acordo alinhado com líderes de partidos da oposição, para que não haja obstrução na fase de discussão, todos os deputados, membros ou não do colegiado, poderão se inscrever para falar nessa fase e terão a fala garantida, desde que estejam presentes no momento em que forem chamados a se manifestar. 
O acordo garante ainda que não haverá data preestabelecida para o fim da discussão da matéria na comissão especial.
Cada parlamentar membro da comissão tem até 15 minutos para discursar sobre o tema. Os deputados que não integram a comissão dispõem de 10 minutos. Até a noite dessa segunda-feira (17), 143 congressistas já estavam inscritos para debater a proposta. Os deputados têm até o início da primeira fala na comissão para se inscrever.
Apesar do número de deputados para debater a proposta, a expectativa do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), é que o parecer seja votado pela comissão até o próximo dia 26. Maia pretende incluir o texto da pauta de votação do plenário antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.
Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), o texto precisa ser aprovado por três quintos dos deputados, o correspondente a 308 votos favoráveis, em dois turnos de votação.
Ao ser aprovado pelos deputados, o texto segue para apreciação do Senado, onde também deve ser apreciado em dois turnos e depende da aprovação de pelo menos 49 senadores.
Após a leitura do parecer, o relator da reforma da Previdência na comissão especial, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), afirmou que a perspectiva agora é buscar o entendimento dos parlamentares a respeito da reinclusão de estados e municípios no texto da PEC 6/2019.
O dispositivo foi retirado do texto, apesar do apelo de governadores para que as regras de aposentadoria de servidores estaduais e municipais fossem mantidas.
“A grande questão nossa agora é continuar um trabalho para verificar como estados e municípios vão ser introduzidos nessa reforma”, afirmou Moreira.
Ele espera reunir o apoio necessário para que o dispositivo volte ao texto da PEC, o que pode acontecer por meio de um voto complementar ao relatório, no dia da votação do parecer ainda na comissão.
Notícias ao Minuto com informações da Agência Brasil

Programação das festividades juninas das escolas municipais de Tavares

PREFEITURA DE TAVARES DIVULGA DATAS DAS FESTIVIDADES JUNINAS DAS ESCOLAS MUNICIPAIS

As Escolas da Rede Municipal de ensino já estão prontas para festejar o São João com seus alunos. Confira a programação.
A Prefeitura de Tavares, no Sertão da Paraíba, através da secretaria municipal de Educação e Desporto, divulgou no último sábado (15) as datas das festividades juninas que serão realizadas pelas escolas municipais.
Os eventos terão início nesta quarta-feira (19) com o São João da Creche Maria de Fátima Oliveira e se encerrarão no dia 21 de junho, no Palmeirão Clube, com a festa da Escola Reunida Padre Tavares.

Desabafo do filho transgênero do governador do Rio de Janeiro

Após críticas ao pai em redes sociais, filho transgênero de Wilson Witzel tenta reaproximação

Erick postou desabafo no Instagram: 'Não dá pra voltar atrás e mudar o passado, mas dá pra (re)começar agora e fazer um outro final. Brega, mas é verdade'




Foto antiga de família com Erick e Witzel bem jovem Foto: Reprodução / Instagram
Foto antiga de família com Erick e Witzel bem jovem - Foto: Reprodução / Instagram
RIO - Pelas redes sociais, a relação entre o governador Wilson Witzel e seu filho Erick nunca pareceu das mais fáceis. Desde a época da pré-campanha, foram muitos os desabafos. Em outubro do ano passado, poucos dias antes da eleição, Erick rompeu o silêncio que manteve durante a disputa eleitoral para dizer que se sentiu usado pelo pai ao ver sua situação de transgênero citada por ele em entrevistas sem sua autorização. Também foi crítico ao resultado das urnas e não compareceu à posse de Witzel. Ainda se posicionou contra o pai no episódio em ele aparece junto ao deputado estadual Rodrigo Amorim quebrando a placa com o nome da vereadora assassinada Marielle Franco. Desde então, Erick tem dedicado muitas de suas postagens à defesa das causas LGBT+. Em seu perfil no Instagram, que reúne 9.335 seguidores, também registra seu tratamento com hormônios e destaca os benefícios da alimentação vegana, da qual é adepto e com a qual trabalha. No último domingo, porém, ele aproveitou a comemoração do Dia dos Pais - no Reino Unido, nos EUA e em mais 85 países (da Europa, da América Latina, da Ásia e da África), a data é celebrada no terceiro domingo de junho - para levantar uma bandeira branca. Quase um pedido de reaproximação com o pai.
Erick e o pai em foto de 2016,
Erick e o pai em foto de 2016, "antes de tudo começar a mudar'' - Foto: Reprodução / Instagram
"É dia dos pais hoje em outra parte do mundo e vendo tantas fotos e declarações de amor me fizeram pensar em como eu gostaria que nossa história fosse diferente. Essa foto, nesse porta retrato, sempre esteve comigo e eu olho pra ela, imaginando como as coisas eram tão simples tempos atrás. Só Deus sabe como foi esse último ano. Olhando hoje, com calma, poderíamos ter resolvido entre nós, mas não foi assim. Palavras ditas, vindo de um lugar de muita indignação, tanta coisa aconteceu que eu não saberia nem por onde começar'', diz um trecho do post, que é acompanhado de duas fotos.
“Olhando hoje, com calma, poderíamos ter resolvido entre nós, mas não foi assim”
Erick Witzel
Sobre a relação com o pai, Wilson Witzel
A imagem citada por Erick mostra uma foto antiga de família, com Witzel bem jovem e de cavanhaque, num porta-retrato com duas mãos fazendo um coração sobre a inscrição: "Te amo de perto, de longe e para sempre...''.

Erick Witzel também registra em seu perfil nas redes o tratamento com hormônios e os benefícios da alimentação vegana Foto: Reprodução / Instagram
Erick Witzel também registra em seu perfil nas redes o tratamento com hormônios e os benefícios da alimentação vegana Foto: Reprodução / Instagram

A postagem também faz referência a outra foto, de 2016, com Erick abraçado ao pai, "pouco antes de tudo começar a mudar'': "Por esses dias eu ouvi o seguinte: 'mesmo que eu e meu pai não concordássemos em nada, eu daria tudo para tê-lo aqui, por perto.' Foi um tapa na cara. E realmente eu discordo de quase tudo dele, mas que bem eu faço ignorando? Vetando qualquer diálogo? Por quanto tempo a gente se falaria pela mídia?'', ressalta a postagem. 
A partir daí, o texto consolida a intenção de reaproximação: "Cabe aquele clichê antigo: não dá pra voltar atrás e mudar o passado, mas dá pra (re)começar agora e fazer um outro final. Brega, mas é verdade. Não mudaria nada que passou, porque foi preciso, pra amadurecer, pra entender. Mas estou cansado de brigar, de alimentar sentimentos ruins. Gostaria que ele pensasse diferente, agisse diferente, mas só o que eu posso fazer agora é mostrar outro lado, explicar, conversar, tentar. Nós, todos nós, precisamos de paz, precisamos de entendimento. Que os pais possam aceitar os filhos, que os filhos possam se sentir seguros''.
Erick, no entanto, ressalta que uma possível retomada de diálogo não vai afastá-lo de suas causas: "Não vou abandonar meus ideais, nem deixar de defender os direitos humanos e a comunidade LGBT+. Preciso abrir esse caminho de diálogo, não só por mim, mas por todos que vivem situações semelhantes. Depois das últimas eleições, não é algo que possa ser ignorado ou alimentado com ódio, está tudo escancarado e por mais que nos escandalizemos, precisamos lidar com o que estamos vivendo''.
“Talvez seja um recomeço para ele, mas para mim nunca teve fim. Meu filho sempre foi amado, respeitado”
Wilson Witzel
Para o governador, a relação entre ele e o filho “nunca teve fim”
Para Wilson Witzel, o recomeço citado será só para seu filho porque, para ele, a relação “nunca teve fim”. Apesar disso, o governador admitiu que os dois estavam distanciados e que houve uma reaproximação recente. Witzel chegou a dizer que agora sei filho “entendeu” sua decisão de virar governador.
- Relacionamento com os filhos é sempre um aprendizado. Talvez seja um recomeço para ele, mas para mim nunca teve fim. Meu filho sempre foi amado, respeitado. Cada um faz suas reflexões que acha conveniente na vida - explicou o governador, que mencionou que Erick esteve no aniversário do irmão recentemente, no Palácio Laranjeiras, com sua namorada.
Witzel disse que, quando decidiu ser governador, avisou que isso afetaria toda a família, mas que ninguém poderia ser “egoísta” a ponto de demovê-lo da ideia.
- Evidente que quando decidi ser governador, mudou na vida dele e eu disse que iria mudar. Mas disse que não poderíamos ser egoístas a ponto de me impedir de tomar a decisão que eu tomei. E que cada um me compreendesse. Então acho que agora ele está me entendendo. Que bom que ele me compreendeu e está cada vez mais próximo, como sempre deveria ter estado. Ele tem um coração muito bom. Temos que entender as diferenças, compreendê-las e dar amor aos nossos filhos.
Logo depois da posse, quando soube que o filho tinha postado e começado do tratamento com hormônios pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pois não tinha plano  nem condições para seguir adiante em sua transformação com médicos particulares, Witzel disse:
- Meu amor por ele é incondicional. Desejo boa sorte (no tratamento) e que seja feliz.
O cozinheiro Erick Witzel, filho do governador do Rio, Wilson Witzel. Em outubro do ano passado, poucos dias antes da eleição, o jovem rompeu o silêncio que manteve durante a disputa eleitoral para dizer que se sentiu usado pelo pai ao ver sua situação de transgênero citada por ele em entrevistas sem sua autorização Foto: Reprodução / Instagram
O cozinheiro Erick Witzel, filho do governador do Rio, Wilson Witzel. Em outubro do ano passado, poucos dias antes da eleição, o jovem rompeu o silêncio que manteve durante a disputa eleitoral para dizer que se sentiu usado pelo pai ao ver sua situação de transgênero citada por ele em entrevistas sem sua autorização Foto: Reprodução / Instagram