terça-feira, 24 de outubro de 2017

Corrupção em Bayeux pode derrubar prefeito interino

Escândalo em Bayeux: O destino de uma cidade submersa em corrupção

Com Berg Lima preso e Luiz Antônio no olho do furacão de uma denúncia de corrupção, o destino político da cidade cai nas mãos da Câmara Municipal.

O pedido de impeachment contra Luiz Antônio já foi protocolado no início da tarde desta terça-feira (24) - (Foto: Reprodução/RedesSociais)

A revelação na manhã desta terça-feira (24) de que o prefeito interino de Bayeux, Luiz Antônio de Miranda (PSDB), estaria envolvido em suposto esquema de extorsão para receber R$ 100 mil para divulgar um vídeo que comprometeria o então prefeito Berg Lima parece ser a cereja do bolo de uma trama que colocou uma das cidades mais importantes da Paraíba no mapa da corrupção do país. 
As imagens da conversa do prefeito interino foram reveladas pela TV Arapuan e logo em seguida tomaram conta das redes sociais e das rodas políticas. Com o prefeito afastado, Berg Lima, preso, e Luiz Antônio no olho do furacão de uma denúncia de corrupção, o destino político de Bayeux cai nas mãos da Câmara Municipal da cidade, que se reúne na próxima quinta-feira (26) para iniciar a análise do afastamento do tucano. Também já tramita na Casa um pedido de afastamento para Berg.  
Enquanto a Câmara de Vereadores analisa o processo de impeachment contra Berg e Luiz Antônio, o presidente da Câmara de Bayeux, Noquinha (PSL), assume interinamente o cargo de prefeito da cidade. Se, dentro do prazo legal, eles forem julgados e cassados, o presidente assume em definitivo e convoca novas eleições para ocorrer em até 90 dias. 
Em paralelo, podem ocorrer ações penais e de improbidade para Luiz Antônio, o que já ocorre com Berg Lima. O crime de que é acusado o prefeito afastado de Bayeux e que provavelmente deve recair sobre o tucano está no Art. 158 do Código Penal Brasileiro, que prevê pena de reclusão de quatro a dez anos, além de multa e afastamento de direitos políticos por oito anos.
Também está descartada a chance do segundo colocado nas eleições na cidade, Expedito Pereira (PSB), já que os dois podem ter os mandatos cassados e não os diplomas, o que anularia os quase 59% de votos recebidos (33.437). O socialista teve 38,75% dos votos válidos (21.989). 
MPPB já investigava tucano 
O promotor de Justiça Octávio Paulo Neto, coordenador do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) afirmou em entrevista ao ClickPB que o Ministério Público já investigava a denúncia contra o prefeito interino de Bayeux, Luiz Antônio, há mais de dois meses. 
No entanto, ainda não chegou até ele o material que foi divulgado à imprensa, ou qualquer manifestação formal feita pela defesa do prefeito afastado Berg Lima. “Acredito que um pecado não venha a redimir outro pecado, se por ventura o pecado existir”, afirmou o promotor de Justiça, ressaltando que a postura do Ministério Público é apurar todos os fatos independentemente de quem está envolvido. Caso seja comprovado algum crime de quem quer que seja, os envolvidos devem ser responsabilizados, defende o promotor.
Impeachment protocolado
O pedido de impeachment contra Luiz Antônio já foi protocolado no início da tarde desta terça-feira (24), na Câmara Municipal de Bayeux, a pedido de dois partidos políticos: o PRB e o PR. 
ClickPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário