segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Militares seguem passos de Moro e acham que ele pode derrotar Lula

Grupo de WhatsApp simboliza apoio da cúpula das Forças Armadas ao presidenciável Sérgio Moro

Os militares acompanham os passos de Moro e acham que ele pode cristalizar apoios e se mostrar viável para derrotar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), atualmente líder em pesquisas de intenção de voto


Grupo de WhatsApp simboliza apoio de cúpula militar a Moro

Na semana passada, a filiação do general Carlos Alberto dos Santos Cruz ao Podemos, partido do presidenciável Sérgio Moro, expôs um movimento que pode rachar o apoio ao presidente Jair Bolsonaro nas Forças Armadas. Em círculos fechados, militares reconhecidos na tropa como formuladores, responsáveis por artigos de viés conservador e despontados com Bolsonaro, se entusiasmaram com a união entre Moro e Santos Cruz. Esses oficiais se reúnem num grupo virtual batizado "3V" - acrônimo ao estilo militar para a "terceira via" eleitoral.

Os contatos do grupo são discretos. O "3V" reúne oito nomes conhecidos nas Forças Armadas, que trocam impressões por meio de mensagens no WhatsApp. Quase todos são oficiais de alta patente da reserva, mas há entre eles um coronel verde-oliva da ativa. As restrições da pandemia de Covid-19 impediram muitos encontros presenciais - somente três ocorreram em apartamentos de generais no Plano Piloto, em Brasília.

Os militares acompanham os passos de Moro e acham que ele pode cristalizar apoios e se mostrar viável para derrotar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), atualmente líder em pesquisas de intenção de voto. Esse é um traço que une o grupo: o objetivo de encontrar um nome alternativo a Bolsonaro que possa impedir a volta do PT ao poder. Só não querem apoiar a extrema direita. "A terceira via é uma boa solução para o impasse que vivemos. Há um medo grande da volta do PT, da esquerda", diz o general de Exército da reserva Paulo Chagas, decepcionado com Bolsonaro, a quem apoiou em 2018. "Não passamos de eleitores engajados, nosso papel é difundir nosso pensamento e mostrar que não existe um caminho só, que a gente pode e deve evoluir. Vejo muitos militares que concordam que Bolsonaro foi uma decepção, preferiu reimplantar o presidencialismo de coalizão. A essência política não mudou nada."

Além de Santos Cruz e Paulo Chagas, integram o 3V o general Maynard de Santa Rosa, ex-secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência, o general Lauro Luís Pires da Silva, o coronel Walter Felix Cardoso, ambos ex-assessores da SAE. Outro rosto conhecido é o general Marco Aurélio Costa Vieira. Ex-secretário nacional do Esporte, demitido no início do governo Bolsonaro, o general Marco Aurélio é ligado ao ex-comandante-geral do Exército, general Eduardo Villas Bôas - ele dirige o instituto que leva o nome de Villas Bôas. Todos são do Exército. Pela Marinha, participa o capitão de Mar e Guerra dos Fuzileiros Navais Álvaro José Teles Pacheco, conhecido como comandante Pachequinho.

Mensageiro da paz

Santos Cruz é o rosto mais conhecido no "3V". Na manhã da última quinta-feira, 25, data de sua filiação ao Podemos, ele expôs uma parte do que pensa e discute entre os camaradas. O discurso escrito à mão, em um bloco de papel, defendia o liberalismo econômico, o conservadorismo e a "paixão" às causas sociais. O general pregou a eliminação de "privilégios imorais", a redução de "desigualdades vergonhosas" e o fim da reeleição, do culto à personalidade e do aparelhamento de instituições.

O general entrou no auditório de um hotel na capital federal de mãos dadas com a mulher, Dora. Vestia terno preto e gravata vermelha, com um escudo do Internacional espetado na lapela do paletó - o ex-ministro da Secretaria de Governo é gaúcho. Não sorriu nem quando incentivado pelos novos colegas de partido. Santos Cruz foi apresentado pelo senador Álvaro Dias (Podemos-PR) como um "mensageiro da paz" que já enfrentou tiroteios, referências ao currículo do general de quatro estrelas como comandante dos capacetes-azuis das Nações Unidas, no Congo e no Haiti.

Moro elogiou o currículo do general e fez um aceno à caserna. Disse que Santos Cruz não representa as Forças Armadas, mas arrasta consigo a credibilidade da carreira militar. Num sinal de trégua, o ex-juiz ponderou que a sociedade brasileira precisa superar a divisão entre civis e militares, uma herança da ditadura que incomoda os oficiais, temerosos por exemplo de que um governo de esquerda volte a fomentar investigações de crimes.

"Essa separação que não faz nenhum sentido, entre militar e civil, nós temos que superar. Somos todos brasileiros, estamos no mesmo barco. Não existe oposição, como se quis fazer em governos anteriores, colocando o militar com viés negativo, e nem no atual governo também, querendo colocar o militar como superior aos brasileiros em geral. Somos todos irmãos, somos todos iguais", discursou Moro.

Discretamente, um grupo de amigos de Santos Cruz, parte deles da caserna, acompanhou os discursos no fundo do salão e posou depois para fotos. Na reserva, eles passariam despercebidos em trajes civis, não fossem alguns símbolos na lapela. Um dos presentes era o general de Exército da reserva Ítalo Fortes Avena, ex-conselheiro da Missão do Brasil nas Nações Unidas, em Nova York.

Amigo de Santos Cruz, o general Avena concorda que a adesão a Moro sinaliza, para a caserna, um flanco político alternativo ao Palácio do Planalto. "O meio militar é livre para escolher o caminho que quiser", diz o general Avena. "Pela nossa formação, somos liberais, legalistas e anticomunistas."

Santos Cruz filiou-se ao diretório do Podemos no Distrito Federal, mas a direção ainda vai decidir se o transfere ao Rio, conforme conveniências eleitorais. O partido deseja que ele seja candidato a senador, embora especule-se que possa inclusive ser candidato a vice-presidente na chapa de Moro, caso a campanha falhe em preencher esse espaço com um nome de outro partido aliado. Ao Estadão, o general disse que seu movimento é de apoio a Moro e não a busca por um cargo público. "Estou me filiando para apoiar o movimento do Moro, não para ser candidato. Isso vamos ver mais à frente", disse Santos Cruz durante a cerimônia. Ele negou que exista uma mobilização para que militares ingressem no partido. "Minha decisão é individual", disse.

Almoço

No entanto, seu exemplo será seguido e já aproximou de Moro até de generais que preferem a discrição. Horas depois da cerimônia, Moro e Santos Cruz almoçaram com o general Otávio Santana do Rego Barros, ex-porta-voz de Bolsonaro e do Centro de Comunicação Social do Exército, também escanteado pelo governo e hoje um crítico dos desmandos bolsonaristas. Pelo menos mais um general do grupo "3V" está a caminho do Podemos, Paulo Chagas.

Outro entusiasta de Moro é o general Guilherme Theophilo, que trabalhou como secretário nacional de Segurança Pública no governo Bolsonaro, quando Moro era o ministro da Justiça e Segurança Pública. Ex-PSDB, partido pelo qual concorreu ao governo do Ceará em 2018, Theophilo está filiado ao Podemos e foi ao lançamento da pré-candidatura de Moro.

Alguns generais mais experientes ainda preferem acompanhar à distância o jogo da pré-campanha. Um deles é o ex-secretário de Assuntos Estratégicos do governo Bolsonaro, general Maynard de Santa Rosa. Ele afirma que não pretende se filiar, mas reconhece em Moro "potencial" para afetar a predileção por Bolsonaro na tropa, mas pondera que o ex-juiz da Operação Lava Jato precisa de assessoramento político.

"A decepção com JB, cujo discurso agradava aos militares, mas que não se mostrou capaz de honrá-lo, aconselha prudência e cautela", disse Santa Rosa. "Se surgir uma terceira via viável, pode incomodar. Estou aguardando os próximos passos de Sérgio Moro, para identificar quem e quais são as suas afinidades. Ele pode crescer, se fizer as apostas certas. Ele se mostrou obstinado e competente no combate à corrupção. Infelizmente, não demonstrou habilidade política. Vai depender de boas assessorias."

Um general de Exército que passou pelo Palácio do Planalto acompanhou a ressalva de Santa Rosa. Para ele, o País precisa de um presidente com experiência política, não de "neófito" ou "salvador da pátria".

Capitão

Desbancar a preferência por Bolsonaro no meio militar não é considerado fácil nem pelos aliados de Moro. O presidente, capitão do Exército, tem uma carreira política de três décadas como porta-voz do segmento. Já no governo, os militares tiveram seu orçamento da Defesa preservado ou reforçado, espalharam-se por cerca de 6 mil cargos na administração pública federal e chegaram a comandar 11 ministérios. Assumiram a chefia de algumas das principais estatais do País, como Petrobras, Correios e Itaipu Binacional. Até mesmo nomes da ativa ocuparam funções políticas.

O presidente levou adiante uma reforma das aposentadorias militares acompanhadas de reajustes que deram vantagens remuneratórias, algo que nenhuma outra categoria recebeu, bloqueou vetos aos aumentos mesmo durante a calamidade pública da pandemia e ainda autorizou o recebimento de vantagens acima do teto constitucional, o que fez com que ministros com vencimentos antes abatidos, agora possam acumular remunerações na faixa dos R$ 65 mil. Insatisfeitos com a reforma, parte da base da tropa quer ainda mais e espera ser inserida no reajuste que Bolsonaro prometeu aos servidores a partir da aprovação da PEC dos Precatórios.

Não há ainda pesquisas conhecidas que mostrem predileção por um ou por outro nas Forças Armadas. Oficiais de baixa patente da ativa, ouvidos reservadamente, ponderam que Bolsonaro é bem-quisto na base da tropa, ainda visto como defensor dos interesses pecuniários e sindicais. O presidente trabalha para reforçar esses laços como fez em todas as vésperas de campanha de sua carreira política e continua viajando o País para prestigiar formaturas e cerimônias militares como nenhum outro presidente desde a redemocratização.

Um oficial da Marinha, no entanto, confirma que no generalato da ativa, das três Forças, há conversas frequentes sobre a entrada de Moro na campanha e que ele pode ser uma alternativa a Bolsonaro no primeiro turno. O que mais os atrai é o histórico do ex-juiz, a imagem de "herói" prendendo a cúpula política e empresarial. Ele é visto como alguém de "coragem" que tentou levar adiante a agenda contra a impunidade, o que segundo esse oficial agrada muito ao meio militar. No segundo turno, seja Moro ou Bolsonaro, eles votam em quem for a opção para derrotar Lula.

O coronel Marcelo Pimentel, punido três vezes na reserva por declarações contra a politização no Exército, rejeita o movimento de Santos Cruz e companhia. Para ele, existe uma articulação de um "partido militar" informal influente no governo e que deseja se desassociar de Bolsonaro e manter o oficialato no poder. Ele opina que, num cenário com Bolsonaro candidato, a dupla Moro-Santos Cruz seria uma espécie de manobra para "apagar a flagrante associação dos generais do Alto Comando ao governo Bolsonaro, que foi montado por eles nos mínimos detalhes". "Moro e Santos Cruz foram dissidências fabricadas para o desembarque, espécies de baleeiras de naufrágio", diz Pimentel.

Notícias ao Minuto com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Sexo tântrico

Conheça a prática alucinante que existe a milhares de anos e que promete prolongar o prazer sexual

WhatsApp Image 2021 11 24 at 13.20.00 - SEXO TÂNTRICO: conheça a prática alucinante e que promete prolongar o prazer

O sexo tântrico trata-se de um tipo de sexo longo, lento e “alucinante” que, sinceramente, soa também como intimidador e sexy.

Você provavelmente já ouviu falar sobre sexo tântrico antes. Talvez tenha uma vaga sensação de que isso envolve prolongar a ereção de um cara (e meio que é mesmo). Mas ele existe há milhares de anos e tem origens nos mesmos ensinamentos do yoga.

Tantra é uma antiga prática hindu, traduzindo a tecelagem e expansão de energia, que promove intimidade mais profunda usando respiração, toque mais lento, energia e orgasmo tardio. Não é focado no orgasmo, então funciona para indivíduos que podem ter ansiedade em atingir um orgasmo rápido demais ou não.

Não há um livro de regras, por exemplo. Porém, no coração do tantra há rituais sexuais que deixam você de bom humor e o ajudam a se conectar com seu parceiro.

Uma coisa importante: “adorar” ou servir um ao outro. Os parceiros voltam o foco um para o outro (como através da massagem), o que prolonga e estimula a excitação.

Talvez a melhor parte do sexo tântrico é que isso beneficia a todos. O tantra pode ajudar os homens que sofrem de ejaculação precoce, porque retarda o processo de sexo e elimina a pressão para realizar. Para as mulheres, aprender a relaxar e estar no momento pode ajudar na função orgástica, bem como na construção do desejo. Ele também pode ajudar seu relacionamento fora do quarto, melhorando a comunicação íntima.

Enquanto orgasmos não são o objetivo, por exemplo, “orgasmos tântricos” são muitas vezes referidos como experiências transcendentais.

Mas como isso pode acontecer? Primeiro, converse com seu parceiro. Dê-lhes as informações sobre o que é e por que você quer experimentar. Uma vez que seu parceiro der ok, comece a incorporar a arte do tantra em sua rotina de sexo com estes passos simples.

Sexo tântrico: definir a cena

Entre no clima incorporando rituais ao sexo. Isso pode ser qualquer coisa, como decorar seu espaço com velas, travesseiros e música suave. O mais importante é fazer vocês se sentirem bem. Você quer sentir que o sexo é algo importante e distinto da vida cotidiana.

Comece pela respiração

Assim como na ioga, o tantra começa e se centra em torno da respiração. Tente este método: respire fundo pelo nariz. Na inspiração, encha a barriga com ar. Expire.

Visualize que você está empurrando a respiração pela pélvis, pelos joelhos e pelo chão. Pratique a técnica da respiração do ventre algumas vezes antes de levá-la ao sexo, para que ela se torne mais automática.

Faça contato com os olhos

O contato visual ajudará vocês a se sentirem mais próximos durante o sexo. Concentrem-se um no outro. Tradicionalmente, olha-se para o olho esquerdo, mas você pode olhar para ambos se isso for mais confortável para você.

Façam massagens um no outro

Dê mini massagens eróticas, alternando entre quem dá e recebe prazer. Por exemplo, você pode pedir a seu parceiro que lhe dê uma massagem nos pés por dois minutos e, em seguida, faça o que seu parceiro disser que deseja por dois minutos.

Na sua vez de receber, dê feedback ao seu parceiro (por exemplo, “para a esquerda”, “um pouco mais de pressão”, etc.). Então, quando for a vez dele, incentive-o a fazer o mesmo. Esta é uma maneira de aprender a ser o melhor amante possível para nosso parceiro. E vice-versa, é claro.

Preste atenção ao movimento do seu corpo

Pense em como é mexer em corpos. E tente não julgar nada ou compará-lo com outras experiências que você teve. Apenas se concentre no que você está sentindo no momento. Esta é uma maneira de colocar o cérebro em ponto morto e deixar de lado o pensamento. Também é uma ótima maneira de garantir que você não perca todo o prazer que acontece antes de chegar à linha de chegada.

Sexo tântrico: tente a posição yab yum

Existe uma posição tântrica tradicional chamada “yab yum” que pode ajudar a alinhar as energias necessárias para uma poderosa conexão de amor tântrico.

Peça ao seu parceiro para se sentar no chão de pernas cruzadas. De frente para ele, sente-se por cima das pernas dele e coloque as suas ao redor do corpo dele. Se precisar, pode colocar um travesseiro embaixo de você.

Dito isso, você pode tornar qualquer posição tântrica, desde que se sinta bem e esteja confortável.

Sexo tântrico: atrase o orgasmo

Atrasar o orgasmo muitas vezes intensifica a experiência. Permanecer em um estado elevado de excitação também pode ajudar as pessoas a experimentarem orgasmos energéticos ou orgasmos sem ejacular.

Esse atraso significa apenas recuar e atrasá-lo. A técnica se chama afiação e você pode tentar enquanto se masturba para entender melhor. Estimule-se até o ponto do orgasmo, depois pare e comece de novo.

Assim, quando estiver com seu parceiro, vocês podem se revezar para o clímax antes de se render ao final dos fogos de artifício.

Polêmica Paraíba

Doria acena para outros nomes que também buscam liderar 3ª via

Governador João Doria faz aceno para Moro um dia após ser escolhido candidato do PSDB à Presidência da República

doria moro reproducao 1280x720 1 - Doria faz aceno para Moro um dia após ser escolhido candidato do PSDB à presidência

Um dia após ser escolhido candidato nas prévias do PSDB, o governador de São Paulo, João Doria, fez acenos, neste domingo, 28, a outros nomes de centro que também buscam liderar uma terceira via contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições do ano que vem. Em entrevista à “CNN Brasil”, o tucano não descartou uma aliança com o ex-juiz federal Sergio Moro e elogiou os senadores Simone Tebet (MDB-MS) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

— É possível. Eu tenho boas relações com Sergio Moro e tenho respeito por ele, não haveria nenhuma razão para não manter relações com alguém que ajudou o Brasil, com alguém que contribuiu com a Lava Jato, assim como Simone Tebet, uma brilhante senadora, e o senador Rodrigo Pacheco, com boa postura e equilíbrio — disse Doria.

O governador também afirmou que já conversou com alguns pré-candidatos após o resultado das prévias para traçar os planos conjuntos visando as eleições de 2022. Ele, no entanto, não citou nome, mas disse que as conversas devem continuar pelas próximas semanas.

Sobre uma possível aglutinação das candidaturas da chamada terceira via no ano que vem, Doria disse que as pesquisas eleitorais não devem ser o principal fator para decidir o postulante ao Palácio do Planalto:

— A pesquisa não é único elemento necessário. Ela é parte integrante, mas tem que ter uma composição de forças para que este candidato ou candidata possa representar uma capacidade de enfrentamento a Lula e Bolsonaro.

De acordo com sondagens mais recentes, Doria aparece atrás de Lula, Bolsonaro, Moro e do candidato do PDT, Ciro Gomes, nas intenções de voto.

Doria não quis fazer comentários sobre um possível lugar em sua campanha para o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG). Desafeto de Doria, o mineiro apoiou nas prévias o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Um dos principais desafios do governador de São Paulo será unir o PSDB. Doria também precisará estruturar sua campanha em Minas Gerais, que é o segundo maior colégio eleitoral do país.

Sobre Eduardo Leite, Doria fez elogios ao adversário e disse que espera tê-lo em sua equipe de campanha. O agora pré-candidato tucano à Presidência também foi questionado se o ex-governador Geraldo Alckmin estará no projeto. Ele respondeu que isso acontecerá se o correligionário se manter no PSDB. Alckmin é cortejado pelo PSD, PSB e pelo União Brasil, fruto da fusão entre DEM e PSL.

— Temos que estar juntos para termos projetos para os brasileiros. Não vejo condições de um projeto do PSDB, mas um projeto de Brasil. Temos que ter humildade, capacidade, bom diálogo e propostas claras e objetivas — afirmou à “CNN Brasil”.

Fonte: Folhapress - Publicado por: Larissa Freitas 

Especialista fala a respeito de nova cepa da Covid-19

Apesar de mutações, nova variante ômicron do novo coronavírus provocou sintomas leves até agora

omicron 768x425 1 - Apesar de mutações, ômicron provocou sintomas leves até agora; entenda

Em entrevista ao jornal britânico The Telegraph, publicada ontem, Angelique Coetzee, clínica-geral há 33 anos e presidente da Associação Médica da África do Sul, disse que os pacientes que atendeu com a variante ômicron do novo coronavírus (Sars-CoV-2) apresentaram apenas sintomas leves. A especialista ressaltou, no entanto, que ainda é necessário mais tempo para confirmar as informações e os dados a respeito da nova cepa.

Coetzee foi a responsável pelo primeiro alerta às autoridades sobre a variante ômicron do coronavírus, recém-descoberta na África do Sul. Ela disse que ficou intrigada com os sintomas “incomuns” e mais leves apresentados pelos pacientes que a procuraram no consultório em Petroria.

“O sintoma mais comum é fadiga intensa por um ou dois dias, seguido de dores no corpo”, disse em entrevista ao periódico britânico. “Algumas pessoas também se queixam de garganta arranhando e uma tosse seca não contínua, que vai e volta”.

Em comunicado, a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que estudos sugerem que a nova cepa aumentaria a chance de uma pessoa que já tenha sido contaminada de voltar a ser infectada. Mas a agência admite que ainda desconhece o impacto da nova mutação.

Dados são preliminares, diz especialista

Sim, as notícias são animadoras, mas é preciso cautela —já que as informações são bastante preliminares. “Ao que parece, o número no aumento de casos provocados pela ômicron ainda não se refletiu no aumento de internações e óbitos”, afirma Alexandre Naime, infectologista e professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista).

O especialista, no entanto, pede para frisar o “ainda” na frase acima. “É um dado muito preliminar, que ainda será monitorado nos outros casos que estão sendo detectados fora da África do Sul”, explica. “Por enquanto, o que sabemos com certeza é que essa variante é bastante diferente das outras e potencialmente mais transmissível”, afirma.

Uma das explicações possíveis para a menor gravidade seria que uma parte já estaria imunizada com a vacina. “Outro fator é que, quando um vírus apresenta muitas mutações, ele acaba perdendo seu poder patogênico [poder de provocar doenças graves] apesar de se tornar mais transmissível, diz o Naime.

E o Brasil?

No Brasil, a Anvisa recomendou que o governo adote restrições para voos e viajantes vindos de seis países da África: África do Sul, Botsuana, Suazilândia (Eswatini), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Mas o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirma que os cuidados devem ser os mesmos tomados contra outras variantes do novo coronavírus.

Para o epidemiologista Pedro Hallal, professor na Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, é inevitável que a ômicron chegue ao Brasil, mas o país está bem preparado para enfrentar a nova variante. “O Zé Gotinha ganhou da Delta e, agora, está se preparando para enfrentar a ômicron”, brinca. “Com a tendência de melhora da vacinação no Brasil, o país tem alguma defesa para lidar com a ômicron”, acredita.

Fonte: UOL - Publicado por: Larissa Freitas

Caso suspeito de nova variante de Covid-19 no Brasil

Brasileiro vindo da África do Sul testa positivo para Covid-19, mas ainda não se sabe com qual variante

swab - Brasileiro vindo da África do Sul testa positivo para Covid-19, mas ainda não se sabe com qual variante

Um passageiro brasileiro vindo da África do Sul que desembarcou em Guarulhos, em São Paulo, no sábado, 27, em um voo da Ethiopian Airlines, testou positivo para Covid-19. Ainda não há informações sobre se ele estaria com a nova variante Ômicron, segundo a Anvisa.

A agência fiscaliza e exige que o viajante apresente exame PCR negativo para Covid-19 realizado em, no máximo, 72 horas antes do voo internacional (na origem do voo). O passageiro em questão chegou ao Brasil com teste negativo, assintomático. No entanto, após sua chegada, a Anvisa foi informada às 21h12 do sábado sobre o resultado positivo de novo teste de RT-PCR, realizado pelo laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos.

Diante do resultado, a Anvisa notificou o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) nacional, estadual e municipal, às 01h07 do dia 28/11. A Vigilância epidemiológica do Município de Guarulhos também foi acionada para acompanhamento do caso.

Após a identificação e testagem com resultado positivo para Covid-19, o paciente foi colocado em isolamento e já cumpre quarentena residencial. Os órgãos de saúde estadual e municipal passam a fazer o monitoramento do caso. O Ministério da Saúde acompanha o caso.

Por causa da nova variante Ômicron, O Brasil vai fechar as fronteiras aéreas para passageiros vindos de seis países do Sul da África: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. No entanto, a medida só vale a partir de segunda-feira. A Anvisa também recomendou, no sábado, que Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia sejam incluídos na lista de países sujeitos a restrições.

Desde sexta-feira, muitos países em todo o mundo, incluindo os EUA, Canadá e as nações da União Europeia, anunciaram restrições ou proibições de viagem relativas ao Sul do continente africano. No sábado, o governo da África do Sul lamentou o fechamento de fronteiras aos seus cidadãos e viajantes, afirmando que o fato de o país ter descoberto a nova variante acabou por “castigá-lo”.

A nova variante também revela a disparidade entre os índices de vacinação em todo o mundo. Enquanto muitos países desenvolvidos administram doses de reforço, menos de 7% das populações nos países de baixa renda receberam a primeira dose, de acordo com grupos médicos e de direitos humanos.

Fonte: UOL - Publicado por: Larissa Freitas

Prefeito é morto com três tiros enquanto assistia jogo de futebol

CRIME COVARDE: Prefeito é assassinado com três tiros na tarde deste domingo durante partida de futebol – Primo do gestor é o suspeito

Capturarkk - CRIME COVARDE: Prefeito é assassinado com três tiros na tarde deste domingo durante jogo de futebol - Sobrinho é o suspeito

O prefeito de Madeiro, no Estado do Piauí, José Ribamar de Araújo Filho, mais conhecido como Zé Filho (Progressistas), foi assassinado com três tiros na noite deste domingo (28), no município de Madeiro. O principal suspeito de cometer o crime é o sobrinho do ex-prefeito Zé Neto, identificado como Felipe Seixas, que também é primo de Zé Filho.

Conforme informações repassadas pelo tenente Saboia, o prefeito estava acompanhando uma partida de futebol quando por volta de 18h00 foi surpreendido pelos disparos, que teriam partido de Felipe Seixas, que estava acompanhado do tio, o ex-prefeito de Madeiro, Zé Neto, e do atual vice-prefeito, Pedro Filho. “O prefeito se encontrava no jogo e o sobrinho do ex-prefeito Zé Neto e o atual vice-prefeito chegaram lá ameaçando ele e acabou ocorrendo o crime. Inclusive testemunhas relatam que 30 minutos antes do ocorrido, o sobrinho do ex-prefeito chegou a mostrar a arma”, informou o tenente.

O prefeito Zé Filho foi atingido com três tiros, sendo um na cabeça, um no peito e outro no ombro. Ele ainda chegou a ser socorrido e encaminhado ao hospital de Luzilândia, mas não resistiu aos ferimentos.

Os acusados de cometer o crime fugiram do local e ainda não foram localizados. A Polícia Militar está em diligências.

Estava sendo ameaçado

O tenente Saboya relatou ainda que o prefeito de Madeiro já havia contado à polícia que havia sido ameaçado. “Ele já estava sofrendo ameaças. Ele disse que o ex-prefeito já tinha ameaçado ele e tinha oferecido R$ 4 milhões para ele se afastar do cargo”, completou o tenente.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Assessoria de comunicação confirmou a morte

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Madeiro, que cuida das redes sociais do prefeito Zé Filho confirmou a morte do gestor e lamentou o ocorrido. “Madeiro perde um grande entusiasta que fazia de tudo para trazer progresso ao município”, diz trecho da nota.

Fonte: G1 - Publicado por: Larissa Freitas

domingo, 28 de novembro de 2021

Hulk marca 2 vezes e Atlético fica mais próximo de ser campeão

Com dois gols de Hulk, Atlético-MG bate o Fluminense e pode ser Campeão Brasileiro na próxima terça-feira

hulk - Com dois de Hulk, Atlético-MG bate o Fluminense e pode ser Campeão Brasileiro na terça

O galo está cada vez mais próximo de ser o Campeão Brasileiro. Neste domingo (28) o time derrotou o Fluminense por 2 a 1, com dois gols de Hulk. O Fluminense abriu o placar, mas o paraibano Hulk, destaque na partida, conseguiu converter o pênalti sofrido por Diego Costa e empatou o jogo. No segundo tempo, marcou de falta, e garantiu a vitória, se tornando maior artilheiro do clube mineiro em uma temporada com 32 gols.

O Atlético chegou aos 78 pontos e segue isolado na ponta da tabela. O oponente da tarde, o Fluminense, estacionou nos 51  pontos e encerrou a sequência de duas vitórias consecutivas na competição.

Agora o Atlético torce para que o Flamengo não vença o Ceará, no Maracanã, na próxima terça (30).

Fonte: Polêmica Paraíba com informações do GE - Publicado por: Rebeka Melo

Fim de casamento

Renato Gaúcho indica saída e Flamengo avalia demissão do técnico, após derrota na final da Libertadores 

renato gaucho tecnico do flamengo durante a final da libertadores em montevideu 1638044043575 v2 450x337 - FIM DE CASAMENTO: Renato Gaúcho indica saída, e Flamengo avalia demissão

Como esperado, após a derrota na final da Libertadores a situação de Renato Gaúcho no comando do Flamengo ganhou contornos de fim de casamento. O técnico indicou a saída, que já vinha amadurecendo desde as ameaças a sua filha, Carol Portaluppi, nas redes sociais.

Incomodado com a perseguição diante de pouco tempo para conseguir efetivamente trabalhar, voltou a deixar o cargo à disposição no Uruguai com o vice-campeonato para o Palmeiras. A diretoria do Flamengo, que já convivia com cobranças pela troca de comando, desta vez vai interromper o trabalho.

Os dirigentes chegaram de Montevidéu e o vice de futebol Marcos Braz colocou panos quentes, mas no vestiário do Centenário o clima entre funcionários era de que o técnico já tinha caído. E entre a diretoria a decisão sobre a não permanência já era um consenso que nem precisou ser verbalizado literalmente.

“Se hoje o Flamengo tivesse ganho, as pessoas teriam me perguntado se eu ia renovar o contrato para o ano que vem. Eu já to vacinado quando a isso no Brasil. Amanhã todo mundo vai criticar. No Brasil só é bom quem ganha”, disse um abatido Renato na entrevista coletiva.

Apesar da boa relação com os jogadores, entre o elenco a descrença no futuro do trabalho de Renato Gaúcho bateu forte. A comissão técnica e a diretoria deram apoio até onde deu. Agora, as partes vão discutir se haverá comum acordo ou se Renato será demitido.

Tudo isso deve ser definido até esta segunda-feira. Renato não está confortável para comandar o time diante do Ceará no Maracanã em virtude dos últimos xingamentos da torcida nos jogos do Brasileiro que perdeu.

A permanência do técnico no Flamengo em 2022 não estava condicionada por nenhum tipo de acordo de renovação automática do contrato, válido até o fim de dezembro. Não há gatilho em caso de o presidente Rodolfo Landim ser reeleito. O martelo pela saída será batido a qualquer momento pelo mandatário.

Fonte: Globo - Publicado por: Larissa Freitas

Globo é massacrada pelo SBT durante final da Libertadores

SBT massacra TV Globo no Ibope com transmissão da final da Copa Libertadores da América

download 2 5 - SBT massacra Globo no Ibope com final da Libertadores

Não foram só os torcedores do Palmeiras que comemoraram uma noite histórica no sábado 27, com a conquista da Copa Libertadores da América sobre o Flamengo. No Ibope, o SBT massacrou a TV Globo, liderando durante a transmissão da partida por ampla vantagem na audiência.

Em São Paulo, o SBT obteve 26,3 pontos no Ibope (com picos de 30), contra apenas 9,3 da Globo no horário. No Rio de Janeiro, a vitória na audiência foi ainda maior: 30 (com picos de 32) a 9. Os números são preliminares. Os dados consolidados saem na segunda-feira 29.

Esta foi a primeira vez em que o SBT derrotou a Globo em São Paulo e no Rio, simultaneamente, desde que a emissora de Silvio Santos retomou as transmissões de futebol, em 2020. No ano passado, o canal já havia superado a concorrente em cada uma dessas praças, mas nunca ao mesmo tempo.

Cada ponto de audiência no Ibope em São Paulo equivale a 76,5 mil domicílios (cerca de 205,3 mil pessoas). No Rio, o índice corresponde a 49,8 mil domicílios (125,7 mil indivíduos). Isso significa que na região metropolitana de São Paulo, ontem, o SBT foi assistido, no pico, por mais de 6,3 milhões de telespectadores. No Rio, foram 4 milhões.

A decisão entre Palmeiras e Flamengo também foi muito acompanhada em outras praças do país. Em Brasília, por exemplo, o SBT conquistou 31,6 pontos de audiência, enquanto a Globo amargou apenas 3,1.

Na TV paga, a Fox Sports, que transmitiu a final da Libertadores, liderou no horário e fechou com média de 11,7 pontos. O SporTV, canal esportivo do Grupo Globo, ficou com 0,3 e chegou a zerar em alguns momentos, principalmente durante o segundo tempo do jogo e a prorrogação.

Palmeiras e Flamengo disputaram a final da Libertadores em Montevidéu. No tempo normal, houve empate por 1 a 1 e, na prorrogação, o time paulista venceu por 1 a 0. Foi o terceiro troféu da competição conquistado pela equipe, o segundo consecutivo. O Flamengo tem dois títulos de Libertadores em sua história (1981 e 2019).

Fonte: UOL - Publicado por: Larissa Freitas

Susto

Adolescente é picado por escorpião durante prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

Escorpiao amarelo amazonico Foto Thiago Carvalho MUSA - SUSTO! Adolescente é picado por escorpião durante prova do Enem
Escorpiao-amarelo-amazônico - Foto: Thiago-Carvalho-MUSA

Um adolescente que fazia as provas do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passou por um grande susto na tarde deste domingo (28/11) na capital goiana. O estudante de 17 anos foi picado na perna por um escorpião amarelo em plena sala-de-aula. O aluno passa bem.

O fato ocorreu nas instalações da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUCGO) na Praça Universitária. Os bombeiros foram chamados para atender a ocorrência. O jovem foi medicado e encaminhado ao Hospital de Doenças Tropicais (HDT).

O jovem contou aos bombeiros que estava fazendo a prova e sentiu uma picada com leve ardor na perna. Era por volta das 13h22. Ele então olhou para o chão e viu um pequeno escorpião amarelo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou pouco depois à Escola de Artes e Arquitetura da PUC, onde o jovem fazia as provas. Ele foi atendido em primeiros socorros e teve que abandonar o exame para ser levado ao HDT.

Os bombeiros informaram que ele estava consciente e que apenas reclamava de um leve ardor na perna. Ainda não há informação atualizada sobre o estado de saúde dele.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: Metrópoles - Publicado por: Rebeka Melo

Ministro da Saúde tranquiliza os brasileiros sobre nova variante da Covid-19

Marcelo Queiroga diz que cuidados com a ômicron devem ser os mesmos que de outras variantes: “Gostaria de tranquilizar brasileiros”

ministerio da saude marcelo queiroga eduardo pazuello fcpzzb abr 1603215066 0 - Queiroga diz que cuidados com a ômicron devem ser os mesmos que de outras variantes: "Gostaria de tranquilizar brasileiros"

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que os cuidados que a população deve tomar em relação a variante ômicron, que surgiu na África do Sul, são os mesmos de outras cepas da Covid que já circulam pelo mundo.

“Gostaria de tranquilizar todos os brasileiros porque cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes. A principal arma que nós temos para enfrentar essa situação é a nossa campanha de imunização”, destacou em uma live nas redes sociais.

O secretário de Vigilância da Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, ressaltou que além da imunização, as pessoas precisam continuar adotando as medidas não farmacológicas e até evitar viagens para lugares em que a nova cepa esteja circulando para evitar a contaminação.

Medeiros ressaltou que o país está preparado para enfrentar essa nova variante. A pasta não descarta a possibilidade da entrada da nova cepa no país.

“É extremamente importante que mantenhamos o foco na campanha de vacinação e mantenhamos as chamadas medidas não farmacológicas. Evitarmos aglomerações, higienização das mãos, álcool em gel, a etiqueta respiratória”, destacou.

Durante a live, integrantes da pasta também comentaram sobre a medida do governo de proibir a entrada no Brasil de quem esteve, nos últimos 14 dias, em seis países africanos: África do Sul, Botsuana, Suazilândia (Eswatini), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.​

Para Rodrigo Cruz, secretário-executivo do Ministério da Saúde, isso vai retardar a entrada da variante no país. A decisão havia sido tomada na sexta-feira (26) em reunião convocada em caráter emergencial, por causa da nova cepa.

A medida foi tomada após recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Neste sábado (27), a agência reguladora recomendou que mais quatro países entrem na lista. São eles: Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

“Foi uma medida adotada pelo Brasil por precaução seguindo a conduta de alguns países do mundo também. Restringiu-se a entrada de pessoas que tiveram pelo menos a 14 dias nesses países onde identificou-se essa variante ômicron. Tudo com o intuito de aprimorar nossa vigilância e retardar a entrada dessa variante no Brasil até que a gente tenha mais ideia dos seus reais impactos, enfim, de todas essas questões”, disse.

A Anvisa também propôs que o governo federal cobre o certificado de vacinação contra a Covid-19 como forma de liberar a entrada de viajantes no Brasil. O governo, contudo, não deliberou na reunião de sexta a respeito deste pedido da agência reguladora na reunião desta sexta no Palácio do Planalto.

De acordo com interlocutores da Saúde e do Planalto, que estiveram no encontro, o assunto deve ser discutido nesta semana, mas admitem ser improvável que seja atendido o pedido do órgão regulador.

O pedido de estabelecer o “passaporte da vacina” foi apresentado pela Anvisa no dia 12 ao Palácio do Planalto, como revelou a Folha, mas esbarra nas bandeiras negacionistas de Bolsonaro e de seus aliados. O presidente já disse publicamente que não se vacinou ainda.

Até a manhã deste domingo (28), havia casos confirmados da nova variante em ao menos oito países europeus: Reino Unido, Alemanha, Bélgica, Itália, Holanda, Áustria, Dinamarca e República Tcheca.

A OMS classificou a nova cepa como “variante de preocupação”, por causa do potencial risco de ser mais transmissível que as anteriores. Mesmo antes dessa avaliação, o grande número de mutações da variante gerou uma grande onda de atenção em vários países do mundo.

O Ministério da Saúde emitiu um alerta para as secretarias estaduais sobre a nova variante. O documento da pasta foi direcionado para a rede CIEVS (Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde), que reúne o sistema de vigilância do país.

O texto orienta que as redes façam a notificação imediatamente para a pasta quando houver casos suspeitos ou confirmados.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: folha de SP - Publicado por: Rebeka Melo

Ministro diz que o Brasil está preparado para enfrentar nova cepa da Covid-19

‘País está preparado’, diz ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre nova variante do coronavírus

Marcelo Queiroga Foto Jefferson Rudy Agencia Senado - 'País está preparado', diz Marcelo Queiroga sobre nova cepa da Covid-19

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil tem condições de oferecer atendimento à população no caso de a nova variante do coronavírus entrar no país. “Nosso país está preparado”, disse o chefe da pasta, em live no Instagram, no fim da manhã deste domingo (28).

Segundo Queiroga, o país conta hoje com 42 mil leitos disponíveis nos hospitais. Ele também falou que as salas de vacina do país têm imunizantes suficientes para “todos os brasileiros aptos a tomarem as vacinas”.

“Gostaria de tranquilizar os brasileiros porque os cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes. E a principal arma que nos temos para enfrentar essas situações é a nossa campanha de imunização. Nesse particular, o Brasil, como vocês sabem, vai muito bem”, afirmou.

Queiroga disse que o Ministério da Saúde já distribuiu 372 milhões de doses de vacinas, sendo que 308 milhões já foram aplicadas. “Mais de 178 milhões de habitantes já tomaram uma ou mais doses da vacina.”

A OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou como ‘preocupante’ a variante B.1.1.529 do coronavírus causador da Covid-19 e vai chamá-la de Ômicron, informou o órgão após uma reunião do Grupo Consultivo Técnico sobre o Vírus SARS-CoV-2 nesta sexta-feira (26).

Autoridades sanitárias da África do Sul notificaram na quarta-feira (24) a OMS sobre a nova cepa, que é potencialmente mais contagiosa e com múltiplas mutações.

Fonte: G1 - Publicado por: Larissa Freitas.

Péssima notícia para o Brasil

“Infelizmente” vai chegar ao Brasil, diz presidente do Butantan sobre variante da Covid-19, denominada ômicron

dimas covas - "Infelizmente" vai chegar ao Brasil, diz presidente do Butantan sobre variante ômicron

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que a  recém-descoberta variante da Covid-19, denominada ômicron , “infelizmente” vai chegar ao Brasil. De acordo com ele, “resta saber se [a variante] será contida”.

Identificada primeiramente na África do Sul, a ômicron foi classificada como “variante de preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e causa apreensão por parte de autoridades ao redor do mundo, devido à maior facilidade de transmissão.

Até o momento, pelo menos 10 países já registraram casos de infecção pela nova cepa do vírus e muitos deles fecharam suas fronteiras a viajantes vindos de países da parte sul do continente africano . O Brasil proibiu voos de 6 países: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

“O Brasil e os demais países dependem de medidas locais e regionais”, disse Covas à  Folha de S. Paulo . De acordo com ele, além do controle de entrada de viajantes, também é preciso que eles façam quarentena. “Não vejo isso sendo adotado”.

O presidente do Instituto afirmou ser estudada a possibilidade de fazer doações da vacina Coronavac a países africanos para ajudar na contenção do vírus, já que a taxa de imunização no continente é baixa.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: IG - Publicado por: Rebeka Melo

Sintomas da menopausa

MENOPAUSA PRECOCE: Saiba por que a capacidade de produzir hormônios diminui e como identificá-la

WhatsApp Image 2021 11 25 at 12.37.21 - MENOPAUSA PRECOCE: Saiba por que a capacidade de produzir hormônios diminui e como identificá-la

A partir do terceiro mês sem menstruar, na faixa etária entre 45 e 55 anos, o médico já inicia uma investigação, com a dosagem de hormônios a partir de exames de sangue. O sintoma mais comum da menopausa é o fim da menstruação devido a interrupção da produção de hormônios pelos ovários. Normalmente, isso ocorre entre 45 e 55 anos, caso ocorra antes dessa idade é caracterizada a menopausa precoce. No entanto, não é um mês sem menstruar que vai indicar que a mulher entrou nesse período. Só é considerado menopausa quando ela já está há um ano sem apresentar sangramento.

Como diagnosticar

Não é possível prever o acontecimento da menopausa precoce pelos ciclos menstruais. O médico costuma suspeitar da condição em mulheres com menos de 40 anos que, além de apresentarem os sintomas acima, também não conseguem engravidar. Dessa forma, alguns exames são realizados:

Exame de gravidez;
Medição das concentrações hormonais;
Análise cromossômica.

Com o exame de gravidez sendo feito, e as concentrações de estrogênio e de hormônio folículo-estimulante medidas semanalmente, é possível confirmar o diagnóstico de menopausa precoce. Outros exames também podem ser realizados para ajudar o especialista a identificar a causa da menopausa precoce. Assim, pode-se avaliar os riscos para a saúde da mulher, indicando o tratamento adequado para a menopausa precoce. Um exame de sangue deve ser feito para detectar o hormônio antimulleriano, produzido nos ovários, para avaliar o grau de funcionamento dos ovários e calcular a chance da mulher conseguir engravidar.

Em mulheres com menos de 35 anos, uma análise cromossômica pode ser realizada. Outros procedimentos e tratamentos também podem ser necessários caso uma anomalia cromossômica seja detectada. Além disso, pode-se medir a densidade óssea para verificar quanto à presença de osteoporose.

Causas

As causas são variadas. A genética é um fator de risco. Outros aspectos que podem causar o problema são a Síndrome de Turner, condição que ocorre quando o par de cromossomo X é incompleto, e doenças autoimunes que interrompem o processo de produção hormonal. Tabagismo e consumo de drogas são fatores de risco para a menopausa precoce. Também já é provado que mulheres que se submeteram a tratamentos quimio ou radioterápicos podem ter menopausa precoce. Tabagismo e consumo de drogas também são fatores de risco, já que as substâncias interferem no funcionamento do ovário.

Sintomas da menopausa precoce

Grande parte das mulheres que desenvolvem menopausa precocemente apresentam uma evolução sexual e reprodutiva normal durante a vida, com a menarca no período esperado, assim como os ciclos menstruais mais ou menos regulares.

Não se pode detectar precocemente quais mulheres estão sob maiores chances de ter a falência ovariana precoce por meio da avaliação do padrão menstrual. É somente quando os ovários começam a apresentar sinais de falha que os primeiros sintomas da menopausa precoce começam a aparecer.

Isto é, os sintomas da menopausa precoce são semelhantes aos da menopausa normal. A diferença é que eles começam a surgir antes do momento previsto. Por apresentar risco para a infertilidade, apenas 5 a 10% das mulheres que começam a entrar na menopausa precocemente conseguem engravidar antes da total falência dos ovários. Entre os sintomas estão:

Afogueamento ou fogacho

O afogueamento, conhecido como fogacho, são as ondas de calor que acontecem na menopausa. Este é o sintoma mais comum, ocorrendo em mais de 80% das mulheres.

Os calores são causados pela diminuição da produção de estrogênio, provocando desregulação do termostato normal do corpo. Os fogachos começam no período pré-menopausa e podem durar até dois anos após a menopausa.

Durante o climatério, o fogacho costuma desaparecer. Entretanto, cerca de 10% das mulheres permanecem sentindo este sintoma por muito tempo. O sintoma geralmente começa como a súbita sensação de calor centralizado na parte superior do tórax e rosto, e que rapidamente se torna generalizada.

A sensação de calor pode durar de dois a quatro minutos, e é frequentemente associada a transpiração em excesso e, ocasionalmente, palpitações. Também podem ocorrer calafrios, tremores e o sentimento de ansiedade. A frequência dos fogachos varia muito. Desde um ou dois episódios por dia até dezenas deles ao longo das 24 horas. Contudo, as ondas de calor são particularmente comuns à noite.

Suores noturnos

Os suores noturnos são uma variante dos fogachos. Em algumas mulheres, os afogueamentos acontecem predominantemente à noite. Isso provoca suores intensos durante o período noturno. Em muitos casos, os suores noturnos atrapalham o sono e podem agravar os sintomas de cansaço e irritação da perimenopausa.

Distúrbios do sono

Os fogachos e suor noturnos, como já citados, é importante causa do incômodo no sono, no período caracterizado como menopausa precoce. Contudo, não são os únicos. Muitas mulheres na pré-menopausa apresentam dificuldades para dormir mesmo na ausência dos fogachos.

A dificuldade para dormir pode aparecer até 7 anos antes da menopausa precoce, e costuma se agravar no último ano que precede a menopausa. As mulheres que apresentam maior dificuldade para dormir são, em geral, as que sofrem com ansiedade e depressão.

Menstruação irregular

As alterações no período menstrual podem ocorrer antes da mulher entrar na pré-menopausa e menopausa precoce. Inicialmente as mudanças são sutis e incluem alterações na intensidade do sangramento e diminuição do ciclo.

Conforme a menopausa precoce se aproxima, as mudanças menstruais se tornam mais óbvias. O ciclo menstrual passa a ser irregular e mais longo, durando entre 40 a 50 dias. O volume menstrual pode alterar para mais ou menos, e escapes podem ocorrer no meio do ciclo.

Assim, a menstruação se torna cada vez mais irregular, até desaparecer. A mulher no período pré-menopausa não sabe quando será sua última menstruação. Por isso, o diagnóstico da menopausa precoce só pode ser estabelecido de forma retrospectiva.

Depressão

As mulheres na pré-menopausa têm duas vezes mais chances de ter depressão do que em outras fases da vida. Esse risco é ainda maior em mulheres com sintomas severos de pré-menopausa, como fogachos e distúrbios do sono. Além disso, a depressão também pode acontecer em mulheres com menopausa precoce e que ainda desejam engravidar.

A redução dos níveis de estrogênio, associada aos sintomas incômodos da menopausa precoce e ao fato da mulher entender que está entre a juventude e a velhice, colaboram para uma aumentar a incidência da doença. No entanto, após o primeiro ano de climatério, o risco de depressão começa a cair.

Ansiedade

A ansiedade durante é provavelmente causada pela queda nos níveis de estrogênio circulantes no corpo na menopausa precoce. Esse é o motivo que reduz a produção de neurotransmissores responsáveis por regular o humor, como a serotonina e a dopamina.

Variações de humor

Assim como na ansiedade, a queda dos níveis de estrogênio é responsável pela grande variedade do humor das mulheres no período pré-menopausa e da menopausa precoce.

Durante um único dia, a mulher pode experimentar diferentes sentimentos como euforia, raiva e tristeza, sem motivo aparente para tal. Da mesma forma que os sintomas físicos da menopausa precoce são importantes, os sintomas emocionais também costumam ser.

Secura vaginal

A vagina é composta por tecidos dependentes de estrogênio. Por isso, a deficiência desse hormônio quando ocorre na menopausa precoce causa o estreitamento do epitélio vaginal, resultando em atrofia e sintomas de secura vaginal, além de coceira e dor durante a relação sexual.

Diminuição da libido

As alterações hormonais típicas da menopausa precoce são as responsáveis também pela redução da libido na mulher. Da mesma forma, a própria secura vaginal pode tornar o ato sexual doloroso. Esse fato aliado a redução da quantidade de sangue na região vaginal e da vulva por deficiência de estrogênio, pode reduzir na mulher o prazer durante o sexo.

Dor em articulações

A queda dos níveis de estrogênio na menopausa precoce também afeta a saúde das articulações, tendões, ligamentos e músculos. Cerca de 60% das mulheres na pré-menopausa e menopausa precoce sentem dores articulares.

Mulheres obesas ou com sobrepeso são as mais afetadas por esse problema. Diferente de vários sintomas da menopausa precoce que desaparecem no climatério, as dores nas articulações costumam permanecer.

Cansaço

O cansaço, a indisposição e falta de energia para atividades do dia-a-dia também são comuns na menopausa precoce. Eles acontecem não só devido aos desequilíbrios hormonais, mas também por alterações de humor e pela falta de sono. De forma geral, o cansaço costuma melhorar na fase do climatério.

Ganho de peso

O metabolismo da mulher e a forma como o corpo armazena gordura costumam se alterar com a redução dos níveis de estrogênio. O gasto calórico do corpo diminui, facilitando engordar com uma quantidade menor de calorias. Além disso, o corpo começa a apresentar um padrão de acúmulo de gordura mais parecido com o dos homens, com mais gordura disposta na barriga e ao redor da cintura.

Dor nas mamas

A mastodinia, ou dor nas mamas, é um sintoma muito comum nos primeiros anos da menopausa precoce. No entanto, vai se tornando um pouco mais branda e, em geral, ele desaparece no climatério.

Dor de cabeça

Um dos tipos de enxaqueca está relacionada ao período menstrual, e ocorre de forma cíclica todo o mês antes da menstruação acontecer. As mulheres que apresentam esse tipo de dor de cabeça podem ter um agravamento da mesma quando entram na menopausa precoce.

Mesmo aquelas mulheres que nunca tiveram dor de cabeça relacionada à menstruação podem passar a desenvolver o sintoma. A enxaqueca começa até 7 anos antes da menopausa e se intensifica de acordo com o ciclo menstrual, ficando cada vez mais irregular.

Pelos faciais

Durante o período da menopausa precoce, a relação entre os níveis de estrogênio e androgênio se alteram. A mulher produz pequenas quantidades de androgênios durante a vida, com seus efeitos bloqueados pelo estrogênio.

Entretanto, conforme a menopausa precoce se aproxima, os níveis de estrogênios caem e os de androgênios sobem. Esse aumento dos hormônios pode provocar o aparecimento de pelos no rosto da mulher, principalmente no queixo, região acima dos lábios, nas bochechas, peito e no abdômen.

Desequilíbrio e tonturas

No período da menopausa precoce, episódios súbitos de tonturas e perda do equilíbrio costumam se tornar mais frequentes. As causas ainda não são bem esclarecidas. No entanto, como todos os sintomas da menopausa, estão relacionados ao componente da falta de estrogênios.

Sensação de barriga inchada

A sensação de estar com a barriga inchada ou distendida é comum no período de menopausa precoce. Mulheres que já apresentavam esse sintoma durante a menstruação costumam ser as que mais apresentam o inchaço nesta fase.

A redução do estrogênio altera a forma com que o corpo digere as gorduras da alimentação. Isso causa o aumento na produção de gases, responsáveis pela sensação de barriga inchada.

Tratamento

A menopausa precoce não é reversível. A Terapia de Reposição Hormonal (TRH) costuma ser usada pelos médicos para minimizar aqueles sintomas que interferem na qualidade de vida da mulher. No entanto, esse tipo de tratamento deve ser muito bem avaliado, pois há contraindicações para mulheres que possuem antecedentes ou riscos elevados de doenças como tromboembolia, câncer de mama e câncer de endométrio. A avaliação do médico é o mais importante antes de começar qualquer tipo de tratamento.

Polêmica Paraíba - Publicado por: Fabricia Oliveira