quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Dr. Sídney recebe Cássio, Cartaxo, Ruy Carneiro e João Henrique em Princesa no próximo sábado

EX-PREFEITO DE PRINCESA ISABEL DECLARA APOIO A CARTAXO, RUY CARNEIRO E JOÃO HENRIQUE EM 2018 

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé
Em bate-papo informal com a redação do blog JURU EM DESTAQUE na última quinta-feira (11), o médico Sidney Oliveira, ex-prefeito de Princesa Isabel, falou sobre o seu posicionamento com relação ao pleito estadual que se avizinha, entre outros assuntos relacionados à política local e regional. 
Indagado se não tinha planos de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, ocupando o vácuo político deixado pela família Pereira e Nominando Diniz na região de Princesa, Dr. Sidney disse que jamais pensou em se candidatar a deputado estadual, pois, embora tivesse serviços prestados nos demais municípios, sempre havia se dedicado à política princesense.
Apaixonado confesso por Princesa, o ex-prefeito comentou a respeito do resultado da eleição municipal de 2016 e destacou que, apesar do resultado adverso, continuava lutando pelos anseios dos princesenses, atendendo a todos indistintamente, inclusive em sua casa.
Sobre as eleições de 2018, disse ser simpatizante da candidatura de Luciano Cartaxo para governador do Estado, e afirmou que iria abraçar o projeto de reeleição do deputado estadual João Henrique, proprietário da Rádio Princesa Isabel, e que iria apoiar Ruy Carneiro para deputado federal.   
Na oportunidade, o líder político da oposição de Princesa Isabel revelou que no próximo sábado (20) iria recebendo em sua residência a comitiva do senador Cássio Cunha Lima, que acompanhado de Cartaxo, Ruy e João Henrique, vem prestigiar o aniversário da sua esposa, a ex-deputada Flora Diniz.
Por falar em aniversário, Dr. Sidney mudou de idade na terça-feira (09).

Parabéns para Luciano Cavalcanti

QUEM TAMBÉM MUDOU DE IDADE NESTA TERÇA-FEIRA FOI O PROFESSOR LUCIANO CAVALCANTI

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé
Parabéns, amigo Luciano!
Todo dia é uma nova oportunidade que a vida oferece a quem nela crê. Portanto, fazer aniversário é olhar pra trás com gratidão e pra frente com fé.
Feliz Aniversário!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Aniversariante do Dia

OS PARABÉNS ESPECIAIS DE JURU EM DESTAQUE DE HOJE SÃO PARA O GAROTO KAUÃ, FILHO DO EMPRESÁRIO COCO DE ODÁLIO

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Parabéns, Kauã!
Agradeça o papai e a mamãe e a todos que, de uma forma ou de outra, contribuem para seu crescimento.
Continue sempre assim: sendo essa criança que alegra muitos corações, inclusive o meu.
Feliz aniversário!

Kauã, o aniversariante especial de JURU EM DESTAQUE desta terça-feira, com seus pais, Márcia e o líder político tavarense Coco de Odálio

Jumento no telhado

Jumento fica preso em telhado de residência na cidade de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba

Os moradores da casa revelaram que ouviram um barulho e quando foram averiguar, encontraram o animal no telhado

O jumento permaneceu no telhado por um tempo e, impaciente, começou a espernear, chegando a danificar parte das telhas - (Foto: Reprodução)

Um jumento ficou preso no teto de uma residência localizada no bairro Cristo Rei, em Cajazeiras, no sertão do Estado, na noite desta segunda-feira (15). O episódio curioso foi registrado por populares.
Ainda não há informações sobre como o animal foi parar no telhado da residência. No entanto, o fato de o local ser bastante acidentado pode ter ajudado na queda do jumento.
Os moradores da casa revelaram que ouviram um barulho e quando foram averiguar, encontraram o animal no telhado. O jumento permaneceu no telhado por um tempo e, impaciente, começou a espernear, chegando a danificar parte das telhas.


Apesar do susto, o jumento conseguiu descer do telhado sozinho. Ele destelhou a parte em que estava e caiu no chão da casa sem ferimentos graves. Após isso, saiu andando normalmente do local.
O Corpo de Bombeiros foi acionado para realizar o socorro ao animal, mas quando chegou ao local, o jumento já havia conseguido sair do telhado.
ClickPB

Pedido de prisão para ex-presidentes da Câmara dos Deputados

Ministério Público Federal pede 78 anos de prisão para o ex-deputado Henrique Eduardo Alves


Líder do clã Alves, Henrique é tido como o grande financiador das campanhas da família e amigo íntimo de Eduardo Cunha
Não é brincadeira, nas alegações finais, o Ministério Público Federal pediu na Operação Sépsis, que investiga desvios no FI-FGTS, 78 anos de prisão para o ex-deputado federal Henrique Alves e 386 anos para o também ex-deputado federal Eduardo Cunha – ambos foram presidentes da Câmara dos Deputados. Confira no link alegações finais apresentadas pelo MPF: 

MPF pede 386 anos de prisão para ex-deputado

Ministério Público Federal pede 386 anos de prisão para o deputado cassado Eduardo Cunha

O pedido foi feito nas alegações finais assinadas pelos procuradores Anselmo Cordeiro Lopes e Sara Moreira Leite, que integram a força-tarefa da Operação Greenfield - (Foto: Reprodução)             
O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal do Distrito Federal (JFDF) que o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) seja condenado a 386 anos de prisão, além de multa no valor de R$ 13,7 milhões pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e prevaricação, no âmbito da Operação Sépsis.
O pedido foi feito nas alegações finais assinadas pelos procuradores Anselmo Cordeiro Lopes e Sara Moreira Leite, que integram a força-tarefa da Operação Greenfield. Eles querem também que o ex-ministro de Estado e ex-deputado Henrique Eduardo Alves seja condenado a 78 anos de prisão, além de multa de R$ 3,2 milhões, pelos mesmos crimes.
“Igualmente é essencial para a definição das penas de Henrique Alves e Eduardo Cunha a constatação de serem estes criminosos em série (criminal serial), fazendo da política e da vida pública um caminho para a vida delituosa. De fato, restou demonstrado no curso da ação penal que Cunha e Alves possuem personalidades voltadas para o crime, para a corrupção em seu sentido mais amplo”, escreveram os procuradores.
Neste processo, os dois ex-deputados foram acusados de receber propina da empresa Carioca Engenharia em contratos do projeto Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, financiados pelo Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS).  Ambos já se encontram presos preventivamente em decorrência de outros casos.
A liberação das operações de financiamento teria sido influenciada por Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal, que foi indicado ao cargo pelo PMDB e possuía ingerência sobre os recursos do FI-FGTS.
Entre as provas apresentadas estão planilhas mantidas por Lúcio Funaro, ex-operador financeiro do PMDB que assinou acordo de delação premiada, além de mensagens de celular e comprovantes de movimentações financeiras. As propinas teriam sido recebidas em espécie e por meio de depósitos em contas no exterior.
O esquema também foi delatado pelos empresários Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Júnior, donos da Carioca Engenharia. Mesmo também tendo confessado o esquema, Funaro e Cleto devem ser condenados a 32 anos de prisão cada, pediu o MPF. Alexandre Margotto, ex-funcionário de Funaro, foi alvo de um pedido de prisão de 10 anos e 8 meses.
A apresentação das alegações finais do MPF é a última etapa processual da ação penal, após a qual o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, deve proferir as sentenças no caso.
A defesa de Cunha disse que as alegações finais do MPF no caso não passam de “ficção científica”, não havendo provas contra o ex-deputado, somente depoimentos em delações premiadas.
Agência Brasil

Dia do Cortador de Cana

Terça-feira, 16 de janeiro, é o Dia do Cortador de Cana de Açúcar

O dia de trabalho começa já de madrugada
Reprodução
Nesta segunda-feira, 16 de janeiro, é o Dia do Cortador de Cana. O dia-a-dia dos cortadores de cana na atualidade, em grande parte do Brasil, pouco difere da realidade dos canaviais na época colonial, fazendo com que haja muita reflexão acerca desse tipo de trabalho.
O dia de trabalho começa já de madrugada. Ainda na escuridão, os trabalhadores se levantam, tomam seu café puro e ralo e rumam em direção à praça, ou a algum outro ponto central da "rua", para aguardar o transporte que os levará para mais um dia de peleja nos canaviais.
Esse transporte disponibilizado pelas usinas e pelos fazendeiros, em tese, é precário. São utilizados ônibus velhos e enferrujados, sem condição de uso e sem a mínima segurança para os trabalhadores. Isso quando não são usados os "gaiolões" e "boiadeiros", caminhões que tem como função o transporte de animais. Não é difícil, em várias regiões do país, esbarrar com esses caminhões nas estradas da zona canavieira, onde se misturam perigosamente trabalhadores, foices, facões e enxadas.
Começando o corte pouco antes do sol nascer, esses trabalhadores só param de golpear seus facões contra os talos de cana quando o dia está prestes a terminar numa jornada de trabalho que muitas vezes ultrapassa as doze horas. Toda essa disposição se deve não ao gosto e entusiasmo pelo trabalho, mas sim pela necessidade, a fim de se tentar ter uma vida menos indigna.
Os trabalhadores recebem por produção, ou seja, recebem um determinado valor por tonelada de cana cortada.
Essa forma de remuneração faz com que os trabalhadores se transformem em escravos de si mesmos. A ânsia em conseguir ganhar um pouco mais por mês, faz com que muitos deles desrespeitem e ultrapassem seus próprios limites. E a conseqüência desse esforço muitas vezes é fatal.
Inúmeras são as condições adversas do trabalho, mas algumas são mais gritantes, a saber:
I) ambiente de trabalho precário e insalubre, com elevadas temperaturas, exposição à poeira e à fuligem da cana queimada. Ainda, a ausência de instalações sanitárias, refeitórios;
II) como já mencionado acima, o transporte fornecido, mal conservados e conduzidos muitas vezes por motoristas inexperientes, misturando trabalhadores junto aos instrumentos cortantes, expondo-os a perigo;
III) não fornecimento dos equipamentos de proteção individual, ou quando fornecidos, inadequados, como por exemplo a não variação de tamanho do equipamento;
IV) desrespeito total a diversos direitos trabalhistas, que se dá com a não observância do intervalo para refeição e das pausas para relaxamento e alongamento, pagamento incorreto das horas "in itinere", não discriminação no atestado de saúde ocupacional dos riscos da atividade dos rurícolas, etc.
É perceptível que o desgaste, o processo laboral e a reprodução da força de trabalho empregados no corte da cana-de-açúcar ferem o princípio da dignidade da pessoa humana fazendo com que este tipo de trabalho seja análogo ao trabalho escravo.
A saúde do trabalhador deve ser preservada a todo o momento no trabalho, tem que ter um salário digno para subsistir sua família, dentre outros fatores, como assegura o artigo 23 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, "in verbis":
"toda pessoa que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social".
Nessa vereda, mister se faz mencionar os ensinamentos do ilustre Ingo Wolgang Sarlet que assevera:
"qualidade intrínseca e distintiva de cada ser humano que o faz merecedor do mesmo respeito e consideração por parte do Estado e da comunidade, implicando, neste sentido, um complexo de direitos e deveres fundamentais que assegurem a pessoa tanto contra todo e qualquer ato de cunho degradante e desumano, como venham a lhe garantir as condições existentes mínimas para uma vida saudável, além de propiciar e promover sua participação ativa e co-responsável nos destinos da própria existência e da vida em comunhão com os demais seres humanos."
A vida, portanto, é o bem maior a ser tutelado em qualquer meio ambiente de trabalho, cabendo a todos os envolvidos fazerem valer seus direitos e também seus deveres para a efetivação da proteção a vida do trabalhador atendendo, de fato, ao princípio da dignidade da pessoa humana.
PARTE TÉCNICA DO TRABALHO
O corte da cana se dá em um retângulo, com 8,5 metros de largura, equivalente a 5 “ruas” (linhas em que é plantada a cana) e um comprimento que varia conforme a produtividade do trabalhador. Este retângulo é chamado eito; a distância medida ao final do dia indica o ganho diário do trabalhador. Os metros lineares de cana, multiplicados pelo valor da cana pesada na usina, dão o valor da diária a receber.
Estima-se que 6 toneladas de cana (considerando uma cana de primeiro corte, de crescimento ereto) correspondem a um comprimento de 200 metros. O  trabalhador, além de cortar a cana contida neste retângulo de, deve cortar também as pontas e transportar.
No Centro-Sul o utensílio de trabalho do cortador de cana é o podão, espécie de machete de ponta chata, pesando cerca de meio quilo, que o próprio trabalhador mantém afiado como uma navalha, grças à lima que leva para o eito. A vestimenta precisa cobrí-lo por inteiro, apesar do calor, numa armadura para escapar das folhas de cana que cortam como facas. Inclui botina com biqueira de aço, perneiras de couro até o joelho, calças de brim, camisa de manga comprida com mangote de brim, luvas de raspa de couro, lenço no rosto e pescoço echapéu ou boné. Hoje, pode incluir óculos protetores.
No princípio de cada jornada, o supervisor da turma designa o eito do cortador e este inicia o trabalho: começa a cotar pela linha central, sem deixar linhas sem cortar (“deixar telefone”).
Em sua rotina de trabalho, o cortador abraça um feixe, de cinco e dez canas, curva-se e corta. Os cortes são bem rente ao chão (uma vantagem do corte manual sobre a colheitadeira), pois é no pé da cana que se concentra a sacarose; mas não podem atingir a raiz para não prejudicar a rebrota. Se a cana estiver “deitada” ou “acamada”, exigirá mais cortes. A seguir, o trabalhador corta o “palmito” – a parte de cima das canas, onde estão as folhas verdes, que são jogadas ao solo. Por fim, transporta o feixe para a linha do meio (3ª linha) que dista 3 metros das extremidades do eito. Depois começa tudo de nobo.
Um bom cortador de cana é como um corredor fundista: não depende  tanto da massa muscular, mas da resistência, em uma atividade repetitiva e exaustiva, a céu aberto, sob o sol, às vezes aguentando fuligem, poeira e fumaça, por um período que vaira entre 8 a 12 horas.
O dispêndio de energia do trabalhador, sob o sol, com esta vestimenta, leva a suar abundantemente, perder muita água (em média, 8 litros/dia) e sais minerais. Isso produz desidratação e cãibras frequentes. As cãibras começam em geral nas mãos e pés, avançam pelas pernas e chegam no tórax, o que provoca fortes dores e convulsões, dando a impressão de que um ataque epiléptico. Para conter as cãibras e desidratação, algumas usinas ministram aos trabalhadores soro fisiológico, e até suplementos energéticos.
Publicidade
Fonte: Ururau

Seguro-desemprego para cortadores de cana

Projeto do deputado Benjamin Maranhão garante seguro a cortadores de cana-de-açúcar 

(Foto: Jonathan Lins/G1)
Na data em que se comemora o Dia dos Cortadores de Cana-de-açúcar, nesta terça-feira (16), o deputado federal Benjamin Maranhão (SD) lembrou do projeto de Lei 1582/15, que tramita na Câmara dos Deputados, que garante o seguro-desemprego aos trabalhadores rurais que atuam no cultivo da cana.
O parlamentar paraibano foi relator da matéria na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP).
Para Benjamin, não se pode ignorar a situação dos trabalhadores rurais que atuam no cultivo da cana-de-açúcar. “O trabalho é exaustivo, repetitivo e causa danos à saúde do trabalhador, que hoje não conta com esse benefício. A produção do etanol constitui prioridade para o País e nada mais justo a percepção por seis meses de remuneração nessa atividade. Por isso, relatamos pela aprovação do projeto”, afirmou.
Segundo o projeto, que se encontra para análise da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara, o benefício deverá ser pago em três parcelas a cada doze meses, em moldes semelhantes ao seguro defeso pago aos pescadores artesanais.
Para receber o dinheiro, o trabalhador deve comprovar que trabalhou na cultura de cana-de-açúcar nos seis meses anteriores e que não é beneficiado por outros recursos da assistência social.
De acordo com Benjamin, o projeto de autoria do deputado Jarbas Vasconcelos (MDB-PE) objetiva conceder o benefício ao trabalhador rural por período limitado (dezembro de 2025), durante a entressafra, a cada intervalo de doze meses.
Hoje, os cortadores de cana são considerados trabalhadores temporários, portanto não têm direito ao seguro nos casos de desemprego involuntário.
MaisPB

Aumento da obesidade e do sobrepeso

João Pessoa é a quarta capital com mais obesos em todo o país, aponta pesquisa  

(Foto: David Gray/Reuters)
Uma pesquisa com 53 mil usuários de planos de saúde de todo o Brasil aponta aumento da obesidade e do sobrepeso entre 2008 e 2016. Entre as capitais, João Pessoa ficou em quarto lugar figurando entre as capitais com mais obesos do país, com 20%.
Na capital paraibana, cerca de 53% dos usuários de plano de saúde apresentam quadro de excesso de peso.
Os dados foram divulgados na segunda (15) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e fazem parte da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).
Manaus tem o índice mais elevado, com 22,3%, seguida por Macapá, com 20,8%, e Rio de Janeiro, com 20,5%. João Pessoa tem 20,2% e Aracaju, 20%. Palmas e Distrito Federal têm o menor percentual, de 13,4%.
O Índice de Massa Corpórea é um dos parâmetros utilizados pela Organização Mundial da Saúde para identificar se uma pessoa está em um peso correspondente a sua altura. O valor é calculado dividindo o peso da pessoa pela sua altura ao quadrado [multiplicada por ela mesma]. Quando atinge ao menos 30 pontos de IMC, uma pessoa é considerada obesa, o que é o caso de 20% dos pessoenses.
MaisPB

Operação Firewall prende golpista em flagrante

Preso líder de grupo que aplicou golpe de R$ 10 milhões com cartões de crédito clonados 

Um homem foi preso em flagrante na segunda-feira (15) praticando golpes contra empresa de eletrônicos. O suspeito já era investigado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Polícia Civil da Paraíba e responde a quatro processos criminais por clonagem de cartões de crédito.
Segundo informações da Polícia, Thiago Felipe é apontado como líder de um grupo criminoso investigado na Operação Firewall, processo que tramita na DDF com  21 pessoas já identificadas.
Neste processo, a Polícia levantou que foi desviado cerca de R$ 10 milhões. Apesar disso, a maioria dos suspeitos desta Operação continua em liberdade.
Por estarem soltos, a Polícia garante que investigados continuam praticando golpes. Ainda de acordo com a Polícia, alguns suspeitos foram presos fora do Brasil, e aguardam julgamento.
Alguns cartões clonados que foram encontrados com suspeito
MaisPB

Fim de relacionamento

Depois de crise no fim de 2017, Cauã Reymond e Mariana Goldfarb terminam namoro

Chegou ao fim o namoro de Cauã Rymond com Mariana Goldfarb. A informação é do blog do jornalista Ancelmo Gois. Eles estavam juntos desde março de 2016. A modelo e apresentadora do canal OFF já deixou o flat em que morava com o ator global na Joatinga, Zona Oeste do Rio.
O relacionamento de Cauã e Mariana entrou em crise desde o fim do ano passado, quando começaram a circular boatos de que o ator estaria se reaproximando ds atriz Isis Valverde. Para quem não lembra, Isis foi apontada como a pivô do fim do casamento de Cauã com Grazi Massafera, em 2013.
No fim do ano, Mariana passou a usar as redes sociais para mandar indiretas sugerindo uma crise no relacionamento com o galã global e não postou mais fotos com ele.
Procurado pelo EXTRA, a assessoria de imprensa de Cauã disse que não conseguiu falar com o ator e que, por isso, não pode confirmar a notícia. Já o representante de Mariana disse que a apresentadora não fala da vida pessoal.
Extra

Encontrados mortos com marcas de tiro

Promotor e esposa são encontrados mortos em apartamento na manhã de hoje no Rio de Janeiro

O promotor de justiça Marcus Vinícius da Costa e a mulher dele, Luciana Alves, também servidora do Ministério Público do Rio de Janeiro, foram encontrados mortos na manhã desta terça-feira (16) em um apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste carioca. Os corpos do casal têm marcas de tiro. No local, também havia uma arma.
Não há sinais de arrombamento do imóvel, localizado na rua Coronel Paulo Malta Resende. Segundo a Polícia Militar, a pistola foi encontrada perto do corpo de Marcus Vinícius.
De acordo com comunicado do MP/RJ, a Polícia Civil diz acreditar que o fato tenha ocorrido na madrugada de segunda (15), mas ainda não há informações sobre as circunstâncias das mortes.
Uma moradora do prédio, que pediu para não ser identificada, conta que foram ouvidos vários disparos no domingo à tarde. “O dia estava muito tranquilo até que ouvimos muitos disparos. Nem imaginei que fosse dentro de um apartamento, por isso nem ligamos para a polícia. Acredito que tenha sido quatro ou cinco tiros que escutamos.”
O Batalhão de Polícia Militar do Recreio dos Bandeirantes foi o primeiro a chegar ao local. A DH (Divisão de Homicídios) foi acionada e uma perícia é realizada no local.
Segundo a DH, as características encontradas no local apontam para homicídio, seguido de suicídio, mas o caso ainda está sendo investigado.
Marcus Vinícius da Costa integrava, desde o final do ano passado, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Rio. Anteriormente, ele atuava na promotoria de Campo Grande, na zona oeste da cidade.
UOL

Vasão da Estação de Bombeamento de Custódia vai dobrar

Transposição: vazão do Rio São Francisco deve dobrar até o final do mês de janeiro

Estação de Bombeamento EBV4
A quantidade de água do rio São Francisco que chega à Paraíba deve dobrar até o final deste mês. A informação foi dada pelos engenheiros da estação de bombeamento EBV-4 aos diretores da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) na tarde da segunda-feira (15) durante visita técnica ao sistema do eixo leste da transposição, que fica no município de Custódia, em Pernambuco.
Até a manhã desta terça-feira (16), a vazão que chegava ao Portal das Águas, na cidade de Monteiro, era de 3,78 metros por segundo. “Isso porque apenas uma bomba da EBV-4 está funcionando. A outra está sendo ajustada para começar a operar em breve. Fomos informados de que já foram feitos testes sem água, com resultado positivo. Esta semana serão feitos novos testes, desta vez com água”, explicou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva, que visitou as obras da transposição com representantes do Ministério Público da Paraíba.
A vazão das águas da transposição do rio São Francisco na Paraíba é acompanhada de forma ininterrupta pelo Governo do Estado. O monitoramento em tempo real é feito por cinco plataformas de coletas de dados instaladas ao longo do curso do rio Paraíba. Elas informam, via internet, a quantidade de água que sai da cidade de Monteiro e chega ao açude Epitácio Pessoa, no município de Boqueirão.
Também na manhã desta terça-feira (16), a plataforma localizada no açude São José 2, em Monteiro, apresentava 3,67 m³/s. A medição em Sumé era de 2,75 m³/s. Já na cidade de Caraúbas era de 2,71 m³/s e 2,36 m³/s em São Domingos do Cariri. Os dados em tempo real estão disponíveis no site aesa.pb.gov.br .
Boqueirão 
O reservatório Epitácio Pessoa, mais conhecido como Boqueirão, comporta mais de 411 milhões de m³ de água e atualmente está com 9,72% da capacidade, o equivalente a cerca de 40 milhões de m³. O açude recebe as águas do Velho Chico e abastece Campina Grande e outras 18 cidades do compartimento da Borborema.
O Projeto de Integração do Rio São Francisco é composto pelos eixos Leste e Norte e possui 477 quilômetros de extensão. Com 217 quilômetros de canais, este eixo Leste foi projetado para ampliar a oferta hídrica e garantir abastecimento a cerca de 4,5 milhões de pessoas em 168 municípios nos estados de Pernambuco e Paraíba. É composto por seis estações de bombeamento, cinco aquedutos, um túnel, uma adutora e 12 reservatórios – estruturas que cruzam os municípios pernambucanos de Floresta, Betânia, Custódia e Sertânia até chegar a Monteiro (PB).  Eixo Norte: com 260 quilômetros de extensão, ele beneficiará municípios nos quatro estados contemplados pelo Projeto – Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.
MaisPB