segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Oração constrange alguns presentes na diplomação de Bolsonaro

Bolsonaro leva pastor ao Tribunal Superior Eleitoral, promove oração e causa constrangimento

O culto ocorreu em uma sala reservada aos ministros da Corte, antes do início da cerimônia de diplomação do presidente eleito


Bolsonaro leva pastor ao TSE, promove oração e causa constrangimento
Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, do jornal “O Globo”, o presidente pediu ao religioso que fizesse uma oração, antes do início da solenidade. O breve culto foi realizado em uma sala reservada aos ministros da Corte.
Ainda de acordo com o colunista mencionado acima, a oração deixou alguns dos presentes constrangidos. Um ministro chegou a dizer que o local não é apropriado para manifestações religiosas.
No momento da oração, estavam presentes na sala Rodrigo Maia, presidente da Câmara, e Eunício Oliveira, presidente do Senado.
O pastor em questão é Josué Valandro, da Igreja Batista Atitude, que fica na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.
Notícias ao Minuto

O inconformismo no PT continua

PT entra com novas ações no Tribunal Superior Eleitoral contra chapa de Bolsonaro

O partido presidido por Gleisi Hoffmann (foto) requer a cassação do registro ou da diplomação do presidente e do vice eleitos


PT entra com novas ações no TSE contra chapa de Bolsonaro
O partido, derrotado na eleição, requer a cassação do registro ou da diplomação do presidente e do vice eleitos. Bolsonaro e Mourão foram diplomados no TSE na tarde desta segunda (10).
Uma das ações pede ao tribunal para investigar o suposto uso irregular do WhatsApp para difundir informações durante a campanha eleitoral e tem como base uma reportagem da Folha de S.Paulo, do último dia 2, que mostra documentos apresentados à Justiça do Trabalho por um funcionário de uma empresa que vendia disparos de mensagens em massa.
A outra ação pleiteia que se investigue um suposto tratamento privilegiado dado pela TV Record à candidatura de Bolsonaro. O dono da emissora, bispo Edir Macedo, declarou voto em Bolsonaro durante a campanha e deu a ele espaço em entrevistas.
Conforme o PT afirmou ao TSE, "empresas responsáveis por efetuar disparos em massa [por WhatsApp] utilizaram dados de terceiros - adquiridos de forma ilegal, haja vista o desconhecimento destas pessoas e a consequente falta de autorização para tanto - para, mediante falseamento de identidade, realização e cadastro junto às empresas de telefonia".
"Por meio desses cadastros, [as empresas] conseguiam os devidos registros de chips de celulares e concretizavam os disparos em massa das mensagens de cunho eleitoral", afirmou o partido, a partir da reportagem da Folha de S.Paulo.
A reportagem menciona nomes de agências de comunicação, como a Yacows, que foi subcontratada pela AM4, produtora que trabalhou para a campanha de Bolsonaro, que teriam serviços do tipo, segundo a ação trabalhista à qual a Folha de S.Paulo teve acesso e segundo relatos de pessoas envolvidas.
"Tendo em vista que os preços por mensagem variam entre R$ 0,08 a R$ 0,40, a depender de qual base de dados é utilizada, resta evidente que a contratação de disparos em massa, caso confirmada, configura abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação digital, condutas vedadas pela legislação eleitoral. Ademais, supera meio milhão de reais o valor declarado pela coligação 'Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos' referente aos serviços da empresa AM4", escreveu o PT em um dos pedidos ao TSE.
No outro, o partido cita casos em que viu favorecimento da Record a Bolsonaro. "No dia 4 de outubro de 2018, exatamente no mesmo horário em que a rede Globo apresentaria o seu tradicional debate entre os presidenciáveis", afirmou o PT, "a Rede Record concedeu ao candidato Jair Bolsonaro 26 minutos de exposição exclusiva, em entrevista exibida em telejornal noturno".
"Demonstra-se deveras desproporcional os privilégios concedidos a apenas um candidato, por meio da exposição promovida pela Rede Record ao candidato Bolsonaro, uma vez que se utiliza de horário nobre da televisão brasileira, com custos suportados por um de seus apoiadores", sustentou o partido.
Os pedidos para abertura das Aijes (ações de investigação judicial eleitoral) serão analisados pelo corregedor do TSE, ministro Jorge Mussi.
Além desses dois pedidos, já há outras Aijes contra Bolsonaro em andamento, também ajuizadas pelo PT. Uma delas investiga o uso do WhatsApp nas eleições com fundamento em outra reportagem da Folha de S.Paulo, do dia 18 de outubro, em que se noticiou que empresários impulsionaram disparos por WhatsApp contra o PT.
No dia seguinte à publicação, o WhatsApp informou que bloqueou uma série de contas das empresas citadas na reportagem. 
Notícias ao Minuto com informações da Folhapress

Problemas demais na 'caserna' de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não precisa de oposição; aliados já fazem esse trabalho


Jair Bolsonaro, ladeado pelos filhos políticos, um trio do barulho
Nem começou o governo e o presidente eleito Jair Bolsonaro já tem problema demais para resolver dentro de sua “caserna”.
Religiosamente, soldados do seu exército estão às voltas com problemas internos. Ora, ocupados com o fogo amigo, ora alvejados por denúncias.
O PSL – partido de Bolsonaro – não se entende. Até “barraco” no grupo de wathsapp entre a bancada já rolou.
Há uma guerra autofágica, combinada com amadorismo e euforia de quem não sabe lidar direito com o poder ainda nem oficializado.
Os filhos do capitão são um caso à parte.
Cada vez que abrem a boca criam um embaraço diferente. Nos Estados Unidos, “representando o pai”, o deputado Eduardo disse mais do que devia.
Carlos Bolsonaro, vereador do Rio, não contém o ímpeto de suas tuitadas e bombardeia preferencialmente aliados, quando não insufla teorias da conspiração.
Flávio, o senador eleito pelo Rio, vai gastar tempo agora explicando a movimentação financeira atípica de seu ex-assessor parlamentar, com depósitos na conta da futura primeira-dama.
Onyx Lorenzoni, iminente ministro da Casa Civil, não tem pavio para suportar uma pergunta de um jornalista sobre um fato público de intensa repercussão e se retira abruptamente da presença da imprensa.
Magno Malta, o “vice dos sonhos”, foi preterido e saiu fazendo beicinho, com direito a solidariedade do pastor Silas Malafaia, espécie de conselheiro espiritual de Bolsonaro.
Aliás, o staff evangélico não fechou questão na indicação de Damares Alves para a Cidadania.
É muito barulho na coxia, antes da cortina se abrir para a estréia.
Se a coisa continuar nessa pisada, os adversários de Bolsonaro correm o risco de não precisar fazer oposição. O próprio governo já se encarrega desse trabalho.
MaisPB - Por Heron Cid

Diplomação de Bolsonaro e Mourão

Tribunal Superior Eleitoral concede diploma de presidente do Brasil a Jair Bolsonaro 


O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (10) que o poder popular “não precisa mais de intermediação”.
Bolsonaro deu a declaração após ser diplomado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No discurso, também elogiou a Justiça Eleitoral e disse que governará para todos.
“O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes”, afirmou.
Durante o discurso, Bolsonaro agradeceu os mais de 57 milhões de votos recebidos no segundo turno das eleições e pediu a “confiança” dos eleitores que optaram por outros candidatos.
“Agradeço aos mais de 57 milhões de brasileiros que me honraram com o seu voto. Aos que não me apoiaram peço a confiança para construirmos juntos um futuro melhor para o nosso país”, disse.
Bolsonaro afirmou que governará “em benefício de todos” durante o mandato, sem distinção.
Na opinião do presidente eleito, as diferenças são “inerentes” em sociedades múltiplas e complexas como a brasileira, mas há “ideais” que aproximam os brasileiros.
“A partir de 1º de janeiro serei o presidente de todos, dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade, ou religião”, declarou o presidente eleito.
Justiça Eleitoral
Em outro trecho do discurso, Bolsonaro elogiou a atuação do Tribunal Superior Eleitoral na campanha eleitoral e disse que a vitória dele nas urnas se trata do “reconhecimento” de que o povo escolheu seus governantes “em eleições livres e justas”.
Ao longo da campanha, entretanto, o presidente eleito questionou mais de uma vez a credibilidade das urnas eletrônicas e chegou a dizer que só reconheceria o resultado da eleição se ele fosse o vencedor da corrida presidencial
Em uma transmissão pelas redes sociais durante o processo eleitoral, ele falou até mesmo em “fraude” nas eleições.
Bolsonaro ressaltou que o Brasil é “uma das maiores democracias do mundo”. Segundo ele, os brasileiros votaram de forma “pacífica e ordeira”, expressando o desejo por mudanças.
O presidente eleito disse que país deve se orgulhar pela eleição e que seu compromisso com a “soberania do voto popular é inquebrantável”.
“Nós brasileiros devemos nos orgulhar dessa conquista. Em um momento de profundas incertezas em várias partes do globo somos um exemplo de que a transformação pelo voto popular é possível”, afirmou.
Nação mais justa
Bolsonaro afirmou ainda que a “construção de uma nação mais justa e desenvolvida” exige a “ruptura com práticas que historicamente retardaram o nosso progresso”.
“Não mais à corrupção, não mais à violência, não mais às mentiras, não mais manipulação ideológica, não mais submissão do nosso destino a interesses alheio, nãos mais mediocridade complacente em detrimento do nosso desenvolvimento”, declarou.
O presidente eleito também citou que a “pauta histórica” de reivindicações da população contempla “segurança publica e combate ao crime, igualdade de oportunidades com respeito ao mérito e ao esforço individual”.
“Sempre no marco da Constituição Federal, nosso dever é transformar esses anseios em realidade”, disse.
“Nossa obrigação é oferecer um Estado eficiente que faça valer a pena os impostos pagos pelos contribuintes. Nossa obrigação é garantir que os brasileiros regressem aos seus lares em segurança após um dia de trabalho. Nosso dever é oferecer condições para que o empreendedor crie empregos e gere renda ao trabalhador”, acrescentou.
Democracia não se resume ao voto
Após diplomar Bolsonaro, a presidente do TSE, Rosa Weber, afirmou que a democracia não se resume ao voto porque é preciso o “exercício constante de diálogo e tolerância, a compreensão das diferença”.
Segundo a ministra, esse “exercício” inclui o respeito às minorias, “em especial àquelas estigmatizadas pela situação de vulnerabilidade em que injustamente se acham expostas”.
“A democracia, não nos esqueçamos, repele a noção autoritária do pensamento humano”, afirmou.
À plateia, Rosa Weber citou a questão dos refugiados, “vítimas infelizes da terrível crise humanitária”, afirmando que o Brasil está vinculado a compromissos assumidos há décadas no plano internacional.
Dirigindo-se ao presidente eleito, afirmou que a supremacia da Constituição deve ser o “norte” do próximo governo.
Diplomação
A entrega do diploma oficializou o resultado das urnas, é o último passo do processo eleitoral e condição formal para a posse, marcada para 1º de janeiro.
A chapa de Bolsonaro recebeu 57,7 milhões de votos na eleição deste ano, derrotando no segundo turno a chapa de Fernando Haddad (PT).
A solenidade desta segunda-feira no plenário do TSE, em Brasília, reuniu parentes de Bolsonaro, autoridades e futuros ministros do governo. Os mandatos de Bolsonaro e de Mourão vão até 31 de dezembro de 2022.
G1

Força-tarefa da Operação Alameda prende prefeito de Niterói

Prefeito de Niterói é preso suspeito de desviar R$ 10 milhões da verba de transporte do município


Uma força-tarefa do Ministério Público estadual e da Polícia Civil prendeu, na manhã desta segunda-feira (10), o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT). Ele é suspeito de ter desviado mais de R$ 10 milhões da verba de transporte do município entre 2014 e 2018. A investida é desdobramento da Lava Jato no Rio e realizada pelo MP-RJ.
Segundo os policiais que efetuaram a prisão do prefeito, Neves se descontrolou emocionalmente e pediu para ser atendido por um médico. Ele deixou sua residência, em Santa Rosa, às 8h30, e chegou à Cidade da Polícia às 9h05.
A Operação Alameda, baseada em delação do ex-dirigente da Fetranspor Marcelo Traça, ainda cumpriu outros três mandados de prisão e 19 de busca e apreensão. Traça também foi denunciado pelo MP. Os cinco vão responder por peculato e corrupção ativa e passiva.
Ao chegar à Cidade da Polícia, Rodrigo Neves falou com a imprensa e disse estranhar esse tipo de ocorrência. Ele também negou ter recebido propina e se disse perplexo com a sua prisão.
“Trabalho desde os 18 anos de idade, 20 anos de vida pública, não viajo pro exterior, tenho três filhos lindos, fecho minhas contas como qualquer cidadão de classe média, vivo em um imóvel simples. Me estranha muito esse tipo de ocorrência”, afirmou o prefeito de Niterói.
Denunciados
– Rodrigo Neves, prefeito de Niterói ( PDT), preso;
– Domício Mascarenhas de Andrade, ex-secretário municipal, preso;
– João Carlos Félix Teixeira, presidente do consórcio TransOceânico e sócio da Viação Pendotiba, preso;
– João dos Anjos Silva Soares, presidente do consórcio Transnit e sócio da Auto Lotação Ingá, preso;
– Marcelo Traça, ex-dirigente da Fetranspor, em liberdade por causa da delação.
Como era o esquema
O prefeito de Niterói é apontado como líder de esquema que cobrava das empresas de ônibus consorciadas do município 20% sobre cada reembolso da gratuidade de passagens.
O benefício é concedido a alunos da rede pública de ensino, idosos e pessoas portadoras de necessidades especiais. Periodicamente, as viações informam à prefeitura quantos passageiros foram transportados de graça para que o município as pague de volta. Os 20% eram cobrados em cima desse valor.
G1

Justiça expede novo mandado de prisão contra ator por injúria

Dado Dolabella é considerado foragido pela Justiça e pode ser preso a qualquer momento


Um novo mandado de prisão para Dado Dolabella foi expedido na última sexta-feira (7) por ato de injúria contra a ex-mulher Viviane Sarahyba, ocorrido em 2010. O ator é considerado foragido da Justiça e pode ser preso a qualquer momento.
De acordo com a coluna do Leo Dias, do jornal ‘O Dia’, o mandado foi expedido pelo juizado de violência doméstica da comarca regional de Jacarepaguá, no Rio. O ator deverá cumprir a pena de dois meses e 15 dias em regime aberto, segundo a condenação. As polícias do Rio e de São Paulo, e as forças federais já estão procurando o ator.
Dado foi condenado em 2014 por ter xingado e riscado o carro da sua ex-mulher, Viviane Sarahyba, quatro anos antes. A vítima relata que o ator escreveu palavrões nas portas do lado direito do carro dela com o auxílio de uma chave.
Notícias ao Minuto

Denúncias de abuso sexual serão investigadas por força-tarefa

Polícia Civil de Goiás recebe novas denúncias no caso do médium João de Deus


A Polícia Civil de Goiás vai montar nesta segunda-feira (10) uma força-tarefa para investigar as denúncias de abuso sexual supostamente praticado pelo médium João de Deus.
Segundo o delegado-geral da Polícia Civil do estado, André Fernandes, a delegacia especializada em investigações apurava uma denúncia recebida há 45 dias, mas, somente no fim de semana, houve 25 novos relatos. As vítimas começarão a ser ouvidas em Goiânia nesta semana.
“Quando da veiculação do programa, o número de vítimas aumentou. Estamos calculando 25 pessoas. Estamos fazendo uma reunião hoje [segunda-feira] com a inteligência e vários delegados, fazendo uma força-tarefa para agilizar a conclusão deste caso”, disse o delegado à Folha.
Fernandes afirmou ainda que algumas investigações foram desenvolvidas no passado pela Polícia Civil e remetidas à Justiça. O Ministério Público de Goiás já havia informado sobre investigações anteriores. Promotores se reuniram no início desta manhã em Goiânia para levantar as apurações antigas e verificar como foram concluídas.
A Promotoria também organizou uma força-tarefa e pretende ouvir as vítimas a partir desta segunda-feira.
No sábado (8), 12 mulheres relataram ao jornal O Globo e ao programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, terem sido abusadas sexualmente pelo médium João Teixeira de Faria, 76, conhecido como João de Deus, que mantém a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no interior de Goiás.
Uma delas, a holandesa Zahira Lieneke Mous, contou que conheceu a casa em Abadiânia em 2014, quando buscava a cura para o trauma de ter sofrido abusos sexuais no passado. Após pesquisas, sentiu-se à vontade para ir sozinha ao local.
Na segunda visita à casa, foi informada que teria uma consulta particular com o médium em um escritório que fica dentro da casa. Ao chegar no escritório, o médium pediu para que ela ficasse de costas, conduzindo-a para um banheiro. Depois, ele teria colocado as mãos dela no pênis dele e fez com que elas se movimentassem.
Além do relato de Zahira, outras denúncias também têm sido divulgadas. Nesta segunda-feira, o Ministério Público fará uma coletiva para dar mais detalhes sobre os casos.
Folha

Redes sociais são usadas para reclamar salários atrasados

Servidores da Prefeitura de Cajazeiras, na Paraíba, fazem campanha para receber salários


Servidores da Prefeitura Municipal de Cajazeiras, no Sertão do Estado, usaram as redes sociais para reclamar no atraso do pagamento dos salários relativos ao mês de novembro e o 13º salário.
Na última sexta-feira (07) o funcionário Anderson Gomes postou: “Todo trabalhador tem que receber seus proventos até o quinto dia útil de cada mês trabalhado, assim é o que a lei diz, mas não funciona aqui em Cajazeiras.
Já Luzia Trajano publicou: “Quero saber porque nós ACS (agentes comunitários de saúde) ainda não recebemos o nosso pagamento do mês de novembro. Desde o dia 04 de dezembro que o Governo Federal fez o repasse do nosso incentivo e do mês de novembro. O povo não vive só de asfalto e de propaganda, nós temos famílias para dar conta. Portanto cumpra o dever de nos pagar. Não é favor, é obrigação do gestor pagar os funcionários”.
Matinha Araújo também usou sua página pessoal para cobrar o pagamento: “Fui ao banco e não tem pagamento do décimo. Mais uma mentira que foi anunciada. Cadê meu pagamento de novembro e o décimo? Qual foi o inferno que foi depositado? Governo para mentir na cara do povo”.
Este slideshow necessita de JavaScript.
Prefeitura diz que problema será normalizado até dia 20 
Procurada pelo Portal MaisPB, a Prefeitura de Cajazeiras informou, através do secretário de Comunicação Social do Município, Jota França, que já foi realizado o pagamento do décimo terceiro salário, para em seguida realizar o depósito referente ao mês de novembro. A expectativa, segundo o auxiliar da gestão, é que tudo seja concluído até o dia 20 de dezembro.
“Hoje está sendo finalizado o pagamento do 13º, o banco demora um pouco para creditar, mas já deve estar nas contas dos servidores. Já o salário de novembro vai ser iniciado amanhã. Quando o pagamento é programado para o dia, não podemos dizer a hora”, justificou.
Ainda segundo o secretário, os professores que receberam o 13º hoje, dentro de dez dias recebem o mês de novembro e no máximo até o início de janeiro recebem o valor referente a dezembro.
MaisPB

Pedido de punição para prefeito paraibano

PSB Mulher repudia prefeito Fábio Tyrone e cobra enquadramento na Lei Maria da Penha


A Secretaria Estadual de Mulheres do PSB e Executiva Nacional de Mulheres do PSB emitiu nota em que considera grave o caso envolvendo o prefeito de Sousa e filiado ao partido, Fábio Tyrone, acusado de agredir sua ex-namorada.
“Mais grave ainda é vir de um filiado ao Partido Socialista Brasileiro - PSB, partido que tem como princípio a defesa das mulheres e dos seus direitos em todos os campos. Mas, não basta fazer parte de um partido de esquerda, não basta ser um gestor reconhecido, é preciso romper com as práticas machistas, autoritárias e violentas que estão no cerne do comportamento masculino, a cultura do poder do macho se expressando em agressão física e moral”, diz trecho da nota assinada pela secretária Valquiria Alencar de Sousa.
NOTA
Mais uma mulher agredida, mais um ato de violência contra a mulher na Paraíba, marcando dolorosamente as comemorações dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que são principalmente, das mulheres. Se isso machuca o corpo, machuca mais a dignidade feminina da vítima e de todas nós, mulheres.
Tão grave quanto a agressão é vir de um agente público, o prefeito da cidade de Sousa, Fábio Tyrone Braga de Oliveira contra sua namorada, Myriam Gadelha, aquele que deveria cuidar e proteger as mulheres através de políticas de enfrentamento à violência, mas, mais grave ainda é vir de um filiado ao Partido Socialista Brasileiro-PSB, partido que tem como princípio a defesa das mulheres e dos seus direitos em todos os campos. Mas, não basta fazer parte de um partido de esquerda, não basta ser um gestor reconhecido, é preciso romper com as práticas machistas, autoritárias e violentas que estão no cerne do comportamento masculino, a cultura do poder do macho se expressando em agressão física e moral.
Os princípios partidários são intocáveis e o respeito ás mulheres é um deles, eles são as diretrizes que conduzem o partido e seus filiados nas trilhas da vida pública e também na prática de vida pessoal.
Assim como Myriam, centenas de mulheres são vítimas de agressões, assédio, estupros e assassinatos diariamente em nosso país, praticados, na grande maioria, por namorados, companheiros, amantes maridos, homens que se imaginam donos dos corpos femininos, portanto, com o poder de vida e de morte destas mulheres nas mãos!
Todas que fazem parte da Secretaria Estadual de Mulheres do PSB da Paraíba se solidarizam com a advogada Myriam Gadelha e se colocam à sua disposição para ajudá-la no que precise.
Importante frisar a atitude da advogada que, em tempo ágil, fez valer os seus direitos, acionando a Justiça que lhe concedeu medida protetiva, mecanismo presente na Lei Maria da Penha, importante mecanismo de proteção para todas nós, mulheres brasileiras, que nos protege e nos dá garantias para a validação de nossos direitos enquanto cidadãs!
A Secretaria Estadual de Mulheres do PSB – Paraíba vem a público repudiar as agressões do prefeito, Fábio Tyrone, contra sua namorada, Myriam Gadelha, assim como pede apuração ágil e enquadramento na Lei Maria da Penha.
Ao mesmo tempo, encaminha e requer à Executiva Estadual do PSB a instalação da Comissão de Ética para abertura de apuração do caso e as sanções cabíveis.
João Pessoa, 10 de dezembro de 2018
Valquiria Alencar de Sousa – Secretária Estadual de Mulheres do PSB e Executiva Nacional de Mulheres do PSB
MaisPB

Ex-namorada diz que prefeito paraibano tenta distorcer os fatos

Ex-namorada rebate prefeito de Sousa sobre agressões: “Ele não é vítima. Ele me espancou”


A advogada Myriam Pires Benevides Gadelha rebateu, nesta segunda-feira (10), a tese de legítima defesa levantada pelo prefeito de Sousa, Fábio Tyrone (PSB), e afirmou ter sido espancada pelo ex-namorado. Em entrevista ao Arapuan Verdade, ela revelou que Tyrone tem comportamentos semelhantes à sociopatia.
Ela sustenta que o prefeito tenta distorcer os fatos ao afirmar que agiu em legítima defesa após agredi-la com tapas, soco e chutes. Myriam acrescenta que Tyrone tem comportamento controlador e possessivo. “Não é a primeira vez que ele faz isso com uma mulher”, disse, lembrando processo da ex-esposa contra o prefeito com base na Lei Maria da Penha.
“Ele não é vítima. Ele não agiu em legítima defesa. Ele me espancou”, destacou. A advogada ainda afirmou que foi agredida por Tyrone em outra oportunidade. “Acho lamentável que ele diga que eu o provoquei. Vai além da hipocrisia, tem um comportamento de sociopatia. É no mínimo incongruente essa declaração dele”, frisou. A advogado concluiu a entrevista ressaltando acreditar que Fábio Tyrone será punido pela justiça.
Entenda
Ao solicitar medida protetiva ao Tribunal de Justiça da Paraíba, a advogada Myriam Pires Benevides Gadelha relatou que manteve relacionamento com Fábio Tyroen por cerca de quatro meses, período em que ele teria revelado personalidade ciumenta, possessiva e controladora. Ela argumentou que, no dia 17 de novembro de 2018, durante viagem de lazer à cidade de São Paulo, Tyrone teria, com ciúmes, lhe empurrado e tentado lhe agredir pelo pescoço.
Ela informou que, no dia 06 de dezembro de 2018, em festa realizada em João Pessoa, o prefeito teria iniciado briga porque ela supostamente estaria bebendo demais e conversado com muitas pessoas.
Myriam Gadelha revelou que no trajeto da festa para casa, com as discussões mais acaloradas, o prefeito lhe desferiu um tapa no rosto e, ao chegar na residência dela, a xingou com palavras de ‘baixo calão’ para, em seguida, agredi-la com outro tapa no rosto, empurrá-la no chão e iniciar uma sequência de chutes. A advogada acrescenta que ao mandar ele ir embora, foi novamente agredida com um soco no olho direito.
MaisPB

Prefeito paraibano diz ser vítima de agressão praticada por ex-namorada

Acusado de agredir ex-namorada, prefeito Fábio Tyrone alega “legítima defesa”


O prefeito de Sousa, Fábio Tyrone, se pronunciou no início da tarde desta segunda-feira (10) sobre a acusação de violência doméstica que pesa contra ele. Tyrone é acusado de agredir a sua ex-namorada, a advogada Myriam Pires Benevides Gadelha.
Em entrevista à rádio 104 FM, de Sousa, o prefeito afirmou ter sido vítima de agressão praticada pela advogada e apenas ter reagido após um tapa, agindo em legítima defesa. Ele argumentou que foi impedido por ela de sair da sua casa, o que causou uma reação. Segundo ele, partes das marcas de agressões exibidas por sua ex-namorada não foram provocadas durante a briga dos dois.
“Vou mostrar que fui instigado, que reagi, me levaram ao limite. Eu fui vítima de um processo de instigação que até o último momento tentou tirar minha sanidade de ser um homem ponderado”, argumentou, reconhecendo que já ocorreram outras brigas do casal.
O prefeito acrescentou não querer se eximir da culpa, mas ressaltou que irá fazer exame de corpo delito para provar que também foi agredido. Ele reforça que imagens de câmeras de segurança mostram as agressões que diz ter sofrido.
Tyrone diz respeitar as mulheres e que uma outra medida protetiva contra ele, desta vez emitida em favor da sua ex-esposa, não tem relação com agressões físicas. Durante a entrevista, Tyrone pediu desculpas pelas agressões.
Entenda
Ao solicitar medida protetiva ao Tribunal de Justiça da Paraíba, a advogada Myriam Pires Benevides Gadelha relatou que manteve relacionamento com Fábio Tyroen por cerca de quatro meses, período em que ele teria revelado personalidade ciumenta, possessiva e controladora. Ela argumentou que, no dia 17 de novembro de 2018, durante viagem de lazer à cidade de São Paulo, Tyrone teria, com ciúmes, lhe empurrado e tentado lhe agredir pelo pescoço.
Ela informou que, no dia 06 de dezembro de 2018, em festa realizada em João Pessoa, o prefeito teria iniciado briga porque ela supostamente estaria bebendo demais e conversado com muitas pessoas.
Myriam Gadelha revelou que no trajeto da festa para casa, com as discussões mais acaloradas, o prefeito lhe desferiu um tapa no rosto e, ao chegar na residência dela, a xingou com palavras de ‘baixo calão’ para, em seguida, agredi-la com outro tapa no rosto, empurrá-la no chão e iniciar uma sequência de chutes. A advogada acrescenta que ao mandar ele ir embora, foi novamente agredida com um soco no olho direito.
MaisPB

Programa Moradia Legal beneficia famílias carentes em Água Branca


A imagem pode conter: 4 pessoas
A parceria realizada entre a Prefeitura de Água Branca, a Corregedoria Geral de Justiça da Paraíba e o Cartório de Registro de Imóveis Marçal Leite já apresenta ótimos resultados na cidade.
O pacto entre os órgãos institucionalizou o Programa MORADIA LEGAL no município que já beneficiou um total de 167 famílias carentes nos Bairros Gualterina Alencar Vidal e Nova Brasília.
Os contemplados receberam os registros de seus imóveis gratuitamente. Antes em situação irregular, as propriedades passaram a existir de fato e de direito, garantindo tranquilidade para os moradores e evitando problemas futuros.
Um total de 67 famílias já haviam recebido os registros dos seus imóveis durante as comemorações do 59° Aniversário de Água Branca. Na última quarta feira (05), mais 100 famílias foram contempladas em solenidade de conclusão da regularização fundiária.
O evento celebrou o sucesso do programa e contou com a presença de várias autoridades: Everton Firmino Batista (Prefeito); José Aurélio da Cruz (Desembargador e Corregedor Geral de Justiça); Pedro Davi de Vasconcelos (Juiz da Comarca de Água Branca); Maria Aparecida Marçal Leite (Tabeliã) e Jean Pereira Leite (Escrevente).
Ascom

domingo, 9 de dezembro de 2018

Ciro critica Lula e o PT

‘A maior força política do Brasil é o anti-petismo’, afirma Ciro Gomes em vídeo polêmico


ciro gomes 1 - VEJA VÍDEO: 'A maior força política do Brasil é o anti-petismo', afirma Ciro Gomes em vídeo polêmico
O ex-ministro e candidato a presidência da República, Ciro Gomes(PDT), lançou nesta semana um vídeo em que comenta seu relacionamento com o Partido dos Trabalhadores e critica as decisões do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva(PT) e da cúpula petista durante a composição partidária para as eleições presidenciais deste ano. Segundo Ciro o partido usou de notícias falsas, e grupos nas redes sociais voltadas a atacar sua campanha, o ex-governador do Ceará afirmou que o PT quem o escolheu como adversário durante todo o primeiro turno e que não haveria a possibilidade dele no segundo turno curvar-se ao partido que mais o atacou.
”A minha questão é que vocês não sabem nem o começo da missa com o PT”, inicia o vídeo em que Ciro primeiro fala da sua caminhada política que se construiu por 20 anos juntamente com o ex-presidente Lula. ”Até as pedras do caminho sabiam que o Lula estava inelegível”, afirma antes de iniciar as críticas ao partido e chamar Fernando Haddad (PT) de poste e Dilma Rousseff (PT) de candidata inexperiente.
Fonte: Polêmica Paraíba