segunda-feira, 15 de julho de 2019

Futuro marido que traiu noiva é desmascarado durante casamento

Noiva lê mensagens de traição do futuro marido em vez dos votos no altar durante ritual do casamento


noivas 300x199 - DESMASCARADO: Noiva lê mensagens de traição em vez dos votos no altar

Descobrir uma traição não é nada fácil. Pior ainda é descobrir na noite anterior ao casamento. Uma noiva, que usa o pseudônimo de Casey, passou exatamente por isso e relatou a sua história ao site “Whimn”.
Casey conta que estava em um hotel na noite anterior à cerimônia quando recebeu uma mensagem de um número desconhecido no seu celular. O conteúdo era uma série de capturas de tela acompanhada de um texto: “Eu não me casaria com ele. Você vai?”.
No início, Casey não acreditou no que estava lendo, mas depois se deu conta de que as imagens revelavam a traição do futuro marido. As capturas de tela mostravam trocas de mensagens picantes entre o noivo e outra mulher. E não era uma ou duas mensagens, mas muitas, incluindo uma selfie do casal.
Como era de se esperar, a noiva ficou extremamente decepcionada e caiu no choro. Ela conta que suas madrinhas de casamento, que também estavam hospedadas no mesmo hotel, deram suporte e aconselharam ela a ligar imediatamente para o noivo cancelando tudo.
No entanto, Casey teve uma ideia melhor: ler as mensagens em voz alta no altar para desmascarar e expor o noivo aos familiares e amigos. E foi exatamente isso o que fez.
Com o vestido de noiva dos sonhos, ela seguiu todo o ritual do casamento até chegar o momento dos votos. Ao invés de ler uma declaração ao noivo, Casey começou a falar em voz alta o conteúdo explícito das mensagens.
Ela leu as mensagens da amante elogiando o desempenho do homem na cama, assim como ele dizendo à mulher que ela tinha “habilidades incríveis” e que não parava de pensar em ter relações com ela. “Eu nunca tive esse tipo de conexão antes”, dizia uma das frases.
Os convidados ficaram chocados com a revelação da traição . Sem ter como contra-argumentar, o noivo deixou a cerimônia em silêncio, seguido por um de seus padrinhos. Casey não relata o que aconteceu em seguida, mas diz que, obviamente, a festa não aconteceu.
Fonte: Meia hora - Créditos: Polêmica Paraíba

Ex jogador Cafu tem bens penhorados para cobrir empréstimos

Ex capitão Cafu, jogador que mais jogou pela seleção brasileira, enfrenta dívidas milionárias

O ex-jogador teve vários imóveis e bens penhorado pela Justiça


Ex-capitão da seleção, Cafu enfrenta dívidas milionárias
A companhia é cobrada por empréstimos que vão de R$ 1,1 milhão a R$ 6 milhões. "É um problema particular meu. Posso dar meus imóveis, meu carro, minha casa, posso dar o que quiser como pagamento de dívida", afirmou Cafu à Folha de S.Paulo.
Todos os bens foram adquiridos enquanto Cafu jogava futebol. Há pelo menos 32 imóveis. São apartamentos de 55 a 293 metros quadrados em São Paulo e Alphaville, em Barueri, uma casa, com mais de 2.000 metros quadrados, outra no litoral paulista, de 1.080 metros quadrados, e terrenos no interior. Um deles, em Mairinque, tem 38 mil metros quadrados.
Cafu fez seu último jogo como atleta profissional em 2008, no Milan. Ele estreou no futebol no São Paulo de Telê Santana, depois de ter sido reprovado em nove peneiras. Bicampeão mundial no clube paulista, vestiu ainda as camisas do Juventude, Palmeiras e Roma. Ele é o atleta que mais jogou na seleção brasileira, com 149 partidas, e esteve em três finais seguidas da Copa–1994, 1998 e 2002.
A Capi Penta é réu em um processo movido pela Vob Cred, uma securitizadora que cobra R$ 5,275 milhões da empresa desde 2018. A Vob baseia a cobrança numa escritura pública de confissão de dívida, com garantia hipotecária do terreno de 38 mil metros quadrados na cidade de Mairinque, adquirido por Cafu em 2005 por R$ 380 mil (R$ 793 mil atuais). Procurada, a empresa não respondeu à reportagem.
Em fevereiro deste ano, o juiz Bruno Paes Straforini, da 1ª Vara Cível de Barueri, determinou o bloqueio do imóvel deste terreno e de mais 14 imóveis no nome de Cafu e Regina. Os bloqueios também são frutos de cobranças em ações movidas por Valentim Osmar Barbizan, diretor-administrativo da Vob Cred, no valor de R$ 2,691 milhões, e pelo banco ABC Brasil, no valor de R$ 1 milhão. Nessa última, a instituição financeira alerta a Justiça das dívidas fiscais de Cafu que, segundo consta no processo, no final de 2017 já atingiam R$ 407 mil.
O ABC Brasil não foi o único que acusou Cafu de inadimplência. O Banco Industrial foi à Justiça por empréstimo de R$ 3,5 milhões. Como o ex-atleta não quitou a quantia até a data prometida, em julho de 2017, quatro meses após retirar o dinheiro, o ex-capitão da seleção passou a ser cobrado em R$ 6 milhões, com os juros contratuais e honorários.
Além dos imóveis penhorados e bloqueados, outros estão alienados em empréstimo feito por Cafu. A matrícula de dois imóveis, com área total de 1.080 metros próximos do mar em Peruíbe, estão alienados como garantia de uma dívida de R$ 1 milhão com o banco Santander. O ex-jogador terá que quitar esse valor com 96 parcelas mensais (até outubro de 2023) de R$ 23,1 mil cada. Cafu adquiriu os imóveis, em Peruíbe, em agosto de 2008 por R$ 1,4 milhão (R$ 2,9 milhões atuais).
A Fundação Cafu, no jardim Irene, em São Paulo, está inscrita na Dívida Ativa da União com R$ 857 mil. A Capi Penta está inscrita em R$ 598 mil e o próprio Cafu (pessoa física) está sendo cobrado em R$ 235 mil na dívida ativa.
Cafu atendeu a reportagem e disse que não iria falar sobre a sua situação financeira e nem sobre a Capi Penta, principal responsável pelas dívidas que penhoraram os imóveis.
O ex-capitão da seleção disse que falaria apenas sobre a Fundação Cafu. A instituição está com atividades suspensas enquanto, de acordo com Cafu, passa por um processo de "reformulação geral, em termos de projetos e de estatuto".
"Está fechada por um planejamento, é óbvio que estamos com problemas financeiros [na Fundação]", afirmou Cafu. "A Fundação custa R$ 150 mil por mês, e eu que tenho que mantê-la. Se você pesquisar nos últimos anos, as empresas deixaram de investir no terceiro setor. Estou batalhando para deixar nossa fundação em pé, mas isso requer alguns sacrifícios."
Segundo o ex-atleta, a fundação oferece atividades como dança, balé, coral, bateria e informática. Os problemas na instituição se tornaram públicos em 2018, quando funcionários fizeram greve.
O ex-jogador rechaçou a palavra endividamento. "[Financeiramente] estou tranquilo, não posso deixar minhas 950 crianças na rua, porque se eu parar tudo o que estou fazendo hoje, levo minha vida tranquilo. Mas não quero isso", disse o ex-jogador.
Sem jogar, Cafu segue envolvido com o futebol. Ele foi um dos membros do Comitê Organizador Local da Copa América. Em junho, foi anunciado pelo Comitê Organizador da Copa de 2022, no Qatar, como o embaixador no Brasil.
Esporte ao Minuto

Estratégia de Bolsonaro

Governo federal vai 'destravar' distribuição de cargos do segundo escalão

O governo ainda não preencheu a maioria das vagas de segundo escalão nos Estados


Governo vai 'destravar' distribuição de cargos
A estratégia do Planalto também prevê atenção especial ao Nordeste, antigo reduto do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril do ano passado. É naquela região que está, por exemplo, a cobiçada Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), foco de corrupção em um passado não muito distante. Diretorias da estatal serão loteadas entre DEM, PP, MDB e PSDB, que, apesar de não integrar o Centrão, é uma espécie de "agregado" no bloco que dá as cartas do poder na Câmara.
As negociações têm sido feitas com as bancadas estaduais, e não com os líderes dos partidos, mas até hoje a liberação dos espaços nas repartições federais foi a conta-gotas. A ideia é que, além da Codevasf, superintendências do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) sejam preenchidas no pós-Previdência.
Às vésperas da votação da reforma, vista pela equipe econômica como fundamental para o ajuste das contas públicas, deputados começaram a pressionar o Planalto não apenas pelo pagamento de emendas orçamentárias, mas também por nomeações. O governo garantiu um crédito suplementar para obras em redutos de parlamentares bem antes das eleições municipais de 2020 e empenhou R$ 2,5 bilhões em emendas apenas nos cinco primeiros dias deste mês, mas a promessa de mais recursos dificilmente será cumprida a curto prazo, por causa do aperto fiscal.
Desconfiados, deputados iniciaram, então, um movimento para cobrar os cargos represados. Antes mesmo de o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, perder o posto de articulador político do Planalto, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso, já estava recolhendo as indicações de seus pares.
"No caso da Bahia, nada foi tratado com a bancada e os cargos ainda são ocupados pelas mesmas pessoas que estavam no governo anterior", disse o deputado José Rocha (PL-BA), que é vice-líder do governo na Câmara. "Pelo que sei, não houve mudanças e, na maioria dos órgãos, continuam os nomeados da gestão Temer, mas o pessoal está dando um crédito de confiança para o governo Bolsonaro", afirmou o ex-coordenador da bancada do Maranhão, Hildo Rocha (MDB-MA), escolhido para presidir a Comissão Especial da reforma tributária.
Fervura
Bolsonaro foi aconselhado por aliados a abandonar o uso do termo "velha política" para se referir ao Congresso. Diante da provocação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para quem o chefe do Executivo foi "muito competente" ao representar a "nova política" depois de cumprir sete mandatos ininterruptos de deputado, até o novo ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, tentou jogar água na fervura.
"Quando se fala em velha e nova política se busca o antagonismo, a divisão. Política é política. Quando é feita essa diferença, gera calor", argumentou Ramos em café da manhã com jornalistas, na sexta-feira. "Não é que o presidente tenha se dobrado à velha política. Ninguém escondeu nada, foi tudo transparente. Não estou vendo esse processo como se estivesse sendo um toma lá, dá cá. Se o deputado recebe (emendas) não é para ele; é para a sua cidade", completou o ministro.
Ex-comandante militar do Sudeste e há poucos dias na articulação política do governo, general Ramos disse que quer servir de "ponte" entre o Palácio do Planalto e o Congresso. "No andar da carruagem, vou arrumar as melancias que estão em cima", brincou ele.
O apoio da maioria dos deputados do Nordeste à reforma da Previdência, porém, provocou estranheza nos adversários. Nos bastidores, muitos políticos comentavam que promessas de cargos e emendas estavam por trás do "sim" à Previdência na bancada nordestina.
"Os governadores do PT falaram contra, mas atuaram pesadamente pela reforma. Somente isso explica essa explosão de votos", comentou o ex-ministro Ciro Gomes, candidato derrotado na disputa presidencial do ano passado pelo PDT. "Só o Ceará não deu maioria", acrescentou. Joice negou qualquer acordo com os governadores dos partidos de oposição. "Eles não ajudaram em nada. Foi trabalho nosso e muito duro", reagiu. 
Notícias ao Minuto com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Tentativa de criar 'terceiro turno' das eleções fracassa

Tribunal Superior Eleitoral rejeita 'terceiro turno' das eleições para presidente da República 

O TSE já arquivou cinco ações que apuravam suspeitas de irregularidades nas campanhas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)


TSE rejeita 'terceiro turno' das eleições
Integrantes do TSE ouvidos reservadamente pela reportagem afirmaram que as apurações não levantaram provas suficientes nem para a cassação do presidente da República e de seu vice, Hamilton Mourão, nem para declaração de inelegibilidade de Haddad. As investigações consideradas mais delicadas contra Bolsonaro e Mourão, envolvendo o suposto disparo de mensagens em massa no WhatsApp, encontram-se em estágio incipiente e podem não ser analisadas pelo plenário neste ano.
O TSE já cassou governadores, prefeitos, deputados (federais e estaduais) e vereadores, mas nunca um presidente da República. Em 2017, por 4 votos a 3, o tribunal rejeitou cassar o mandato do então presidente Michel Temer em uma apuração sobre eventual abuso de poder político e econômico na campanha de reeleição de Dilma Rousseff (PT), em 2014.
"O cargo em disputa, em princípio, é indiferente para o resultado da ação. O que é necessário para a procedência da ação é a existência de prova robusta que demonstre que a infração teve gravidade suficiente para alterar a normalidade e legitimidade do pleito. Nesse aspecto, realmente, quanto maior a eleição, maior deve ser o abuso para que ele possa ser considerado grave", disse o ex-ministro do TSE Henrique Neves.
Das cinco ações arquivadas, duas miravam a chapa de Bolsonaro e Mourão. Os casos diziam respeito à atuação do dono da Havan, empresário Luciano Hang, que teria coagido funcionários a votar em Bolsonaro, e ao papel do também empresário Denisson Freitas, da empresa de ar-condicionado Komeco, que teria gravado áudio para que seus empregados utilizassem adesivos e camisetas a favor do então candidato do PSL.
"Para se caracterizar o abuso de poder, é impositivo restar comprovada, de forma inequívoca, a gravidade dos fatos e demonstrado o alto grau de reprovabilidade da conduta", disse o corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Jorge Mussi, ao concluir, em julgamento, que não havia provas suficientes para comprovar a ligação da campanha de Bolsonaro com a suposta coação de funcionários da Havan. A ação foi arquivada por unanimidade em dezembro.
No caso de Haddad, as ações analisadas pelo TSE investigavam a contratação de pesquisas eleitorais, atos de campanha promovidos por sindicatos e até mesmo a turnê do cantor Roger Waters, ex-integrante e um dos fundadores da banda Pink Floyd. No caso de Waters, a campanha do então candidato do PSL acusou o artista de colocar em prática uma "ostensiva e poderosa propaganda eleitoral negativa" em seus shows, ao criticar Bolsonaro. "Somente o artista e sua equipe detiveram controle sobre o conteúdo dos shows. O candidato (Haddad) e os empresários não possuíam qualquer ingerência sobre o roteiro da apresentação", observou Mussi no julgamento. O resultado pelo arquivamento também foi unânime.
No segundo semestre deste ano, o TSE deverá julgar pelo menos mais três ações envolvendo a disputa presidencial de 2018 - duas contra Bolsonaro e uma contra Haddad. Os casos se referem a outdoors espalhados com o nome de Bolsonaro em diversos municípios, à cobertura da Rede Record na campanha presidencial (que teria favorecido o candidato do PSL, segundo o PT) e ao uso da estrutura do governo da Paraíba (comandado à época por Ricardo Coutinho, do PSB) para favorecer o ex-prefeito petista.
Dos atuais sete ministros titulares da Corte, que devem participar dos julgamentos, dois foram nomeados por Bolsonaro - Sérgio Banhos e Tarcísio Vieira (reconduzido). Bolsonaro também escolheu Carlos Velloso Filho para uma vaga de ministro substituto, impondo uma derrota para a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, que havia articulado o nome da advogada Daniela Teixeira. Se o presidente da República e o vice são cassados nos primeiros dois anos de mandato, novas eleições são convocadas. Caso a cassação da chapa ocorra na segunda metade do mandato, cabe ao Congresso fazer uma eleição indireta.
Defesas
Procurada, a advogada de Bolsonaro, Karina Kufa, afirmou que as ações que ainda tramitam no TSE contra o presidente são "frágeis" e tendem a ser julgadas improcedentes em razão da ausência de provas. "Não houve qualquer irregularidade na campanha", disse. A defesa de Haddad não quis se manifestar sobre o assunto. 
Notícias ao Minuto com informações do jornal O Estado de S. Paulo

63 vídeos confirmam estupros praticados por prefeito

Médico e prefeito de Uruburetama, no Ceará, abusa de mulheres há décadas e filma os crimes



O médico e prefeito de Uruburetama, José Hilson Paiva, pratica há décadas o crime de abuso sexual de suas pacientes, conforme denúncias de mulheres que procuraram o ginecologista em busca de consulta. O G1 teve acesso a 63 vídeos, filmados pelo próprio médico, com as pacientes. As gravações mostram Hilson com a boca nos seios de mulheres sob o pretexto de estar tirando secreção e penetrando as pacientes, alegando que precisava “desvirar” o útero delas.
Especialistas que assistiram aos vídeos afirmam que em nenhum momento Hilson Paiva realizou um atendimento ginecológico. “Trata-se de um monstro”, e as imagens “demonstram claramente um estupro da paciente”, avaliam profissionais da Associação Médica Brasileira.
O Ministério Público ouviu o relato de seis mulheres que dizem ser vítimas de abuso do médico. O prefeito afirma que nunca fez “nada forçado” e que as acusações são “jogada da oposição”. “Querem me derrubar”, argumenta Hilson de Paiva.
Os vídeos não podem ser publicados porque há mulheres nuas nas imagens e cenas de abuso sexual. Elas denunciam o prefeito desde a década de 1980, o que não resultou em condenação até então. Em outros casos, as mulheres relataram que tinham medo de denunciar o gestor porque dependiam da Prefeitura de Uruburetama para ter emprego no serviço público.
“Nunca tinha ido em consulta nenhuma. Não sabia como funcionava. Se ele estava dizendo que era daquela maneira, eu tinha que acreditar”, relata uma mulher que diz ter sido abusada por Hilson de Paiva e que não quer se identificar.
O doutor Hilson, como gosta de ser chamado, tem 70 anos, atende em hospitais públicos e também é político. Ele foi eleito prefeito de Uruburetama em 2016 com 76% dos votos.
‘Todo mundo tem ele como boa pessoa’
Pacientes relatam que procuravam Hilso Paiva devido à credibilidade que ele tinha como médico — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
Pacientes relatam que procuravam Hilso Paiva devido à credibilidade que ele tinha como médico — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
Onze mulheres ouvidas pelo Fantástico afirmaram que buscaram Hilson de Paiva pela boa reputação que ele tinha como médico na cidade. “Todo mundo tem ele como uma pessoa boa, sem saber o que ele faz”, afirma outra vítima.
Elas contam que eram atendidas em consultório particular na casa de José Hilson e também no Hospital Municipal da cidade.
Uma delas foi abusada quando tinha 14 anos. Atualmente maior de idade, ela diz que nunca contou nada pra ninguém sobre o caso e que voltava a se consultar com o doutor Hilson porque ele era o único ginecologista de Uruburetama.
“Ele sempre trancava a porta, mandava a gente entrar e mandava a gente tirar a roupa. Pegava no seio, ficava pegando no corpo da gente, colocava o pênis dele na gente.”
Outra vítima estava com um nódulo no seio quando marcou uma consulta com o médico. “Fiquei nua. Eu achei estranho foi ele usar um canudo e chupar os meus seios.”
Em cinco dos 63 vídeos aos quais o G1 teve acesso, o Hilson de Paiva aparece com a boca nos seios das pacientes. Ele fala que é um procedimento médico para ver se há secreção. “Diminuindo, melhorou”, argumentava o médico após o procedimento abusivo.
“O que eu vi é uma maneira muito fácil de ludibriar as pessoas. Você não vai preparada pra lidar com uma situação dessa. A gente vai muito preparada pra ficar curada”, relata outra paciente do médico.
'Trata-se de um monstro'
Denúncia das pacientes é de que o prefeito de Uruburetama abusava das mulheres durante atendimento em consultório — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
Denúncia das paciente é de que o prefeito de Uruburetama abusava das mulheres durante atendimento em consultório - Foto: TV Verdes Mares/Reprodulçao
O secretário-geral da Associação Médica Brasileira, Antônio Jorge Salomão, assistiu aos vídeos e avaliou o conteúdo. Para ele, nenhuma das imagens mostra, a qualquer momento, um procedimento médico. “Em nenhum momento da humanidade existe esse procedimento. Isso é asqueroso.”
Para o vice-presidente da associação, Diogo Leite Sampaio, o caso se trata de crime. “Ele está se aproveitando da paciente. Ele não está examinando, procurando nenhum problema na paciente. Isso é crime.”
Das 11 mulheres localizadas pelo Fantástico que acusam o médico José Hilson, duas aparecem em três dos 63 vídeos.
Uma delas conta que procurou o doutor Hilson em 2012 porque não conseguia engravidar. No vídeo, ela já aparece nua, no consultório particular do médico, onde ele atende até hoje. A mulher nunca havia feito exame ginecológico.
“Ele pegava nos seios e pediu pra fazer sexo oral com ele”, lembra a paciente. “Fazer uma aplicação oral porque é muita secreção mesmo. Muita, muita, muita”, argumentava o médico. “Perguntei a ele por quê. Ele pegou e disse que não, que era o procedimento. Que era o que o médico fazia. Que ele tinha que ver a minha sensibilidade. Eu disse pra ele que não, que eu não queria.”
O vídeo mostra que, em seguida, o médico coloca a paciente em pé, de costas, apoiada na maca. “Pode virar. Isso, bem devagar”, comenta Hilson no vídeo. “Ele começou a mexer detrás de mim. Ele dizia: ‘Você tem que me ver como médico. Você não pode me ver como um homem. Eu sou seu médico’.”
O abuso deixou trauma na paciente. “Eu era uma pessoa que achava graça do nada, sabe? Agora todo mundo acha estranho. Vem falar comigo e eu estou séria. Eu não consigo mais brincar com ninguém”, lamenta.
Uma outra paciente que aparece nos vídeos gravados pelo médico foi abusada, segundo ela, em 2017. O crime ocorreu também no consultório particular do ginecologista e mostra o mesmo tipo de abuso: a paciente nua, de costas, e ele dizendo que está fazendo um exame. “Isso tá muito inflamado, mulher”, diz o médico no vídeo.
“Ele introduziu algo na minha vagina nessa hora. Ele vai levando na lábia”, relata a vítima. Ela não denunciou o médico. Diz que, por causa do abuso, faz tratamento psicológico e psiquiátrico. “Eu me sinto nua e despida, como se a culpa fosse minha.”
Analisando o caso dessa paciente, representantes da Associação Médica Brasileira avaliam que não houve atendimento profissional. “Não existe um tratamento clínico, muito menos uma manipulação que esse senhor, que eu nem posso chamar de médico, fez com a paciente”, argumenta Diogo Leite Sampaio.
Os vídeos mostram o ginecologista com pelo menos 23 mulheres. Dentre elas, 17 claramente foram enganadas pelo médico e sofreram abusos sexuais, conforme avaliação dos especialistas.
“É indescritível as cenas que nós observamos. Não se trata de um médico. Trata-se de um monstro”, avalia o secretário-geral da Associação Médica Brasileira.”São crimes graves. Muitas das imagens demonstram claramente um estupro da paciente, que precisam ser punidos severamente. São imagens repugnantes. São imagens de um criminoso que não faz medicina”, complementa Diogo Leite Sampaio. 
 O médico José Hilson é nascido no Ceará e se formou no Rio de Janeiro em 1976. Depois de obter o diploma, voltou para o estado. Entre 1989 e 1992, assumiu a Prefeitura de Uruburetama pela primeira vez, quando virou notícia no Brasil por fazer a primeira prestação de contas do município em praça pública.
As primeiras denúncias ocorreram em 1986. Em 1994, duas mulheres foram à polícia denunciar Hilson de Paiva por assédio sexual durante as consultas. O caso foi arquivado, sem a condenação do médico. “Ele pediu pra eu ficar de lado, colocar a língua pra dentro e pra fora, com os olhos fechados”, conta uma mulher que diz ter sido abusada pelo ginecologista em 1994 e não fez a denúncia na época.
“Quando eu senti, eu estava colocando minha língua no pênis dele. Saí correndo, e ele foi pro banheiro, vestindo as calças.”
Mulher de Hilson também foi prefeita
A mulher de Hilson de Paiva, Maria das Graças Cordeiro de Paiva, assumiu a Prefeitura de Uruburetama por dois mandatos, entre 1997 e 2004. Em seguida, Hilson foi vice-prefeito entre 2013 e 2016.
Na campanha mais recente, que terminou com ele eleito prefeito pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B), Paiva falava em lutar pela saúde pública. “Nós precisamos pensar no nosso povo. No povo de Uruburetama. O povo de Uruburetama tem que ser respeitado.”
Em 2018, o prefeito enfrentou uma crise quando um dos vídeos com as relações abusivas que ele mesmo gravou foi divulgado na imprensa. Com a repercussão do caso, cinco mulheres procuraram a polícia e denunciaram o médico por crimes sexuais. A ex-prefeita saiu em defesa do marido. Para ela, houve uma relação extraconjugal, mas não um estupro ou abuso. “Eu quero saber qual é o homem que não trai sua esposa. Eu não conheço no Brasil”, afirmou Maria das Graças na época.
Além de as pacientes não terem conseguido a condenação, o prefeito entrou na Justiça contra quatro delas, alegando calúnia e difamação. Três desistiram de denunciar o médico para evitar serem processadas. A única que mantém as acusações disse ter sido abusada em 1994.
“Para o processo [de calúnia e difamação contra as pacientes] ser arquivado, as vítimas teriam que pedir desculpa pra ele. Quando chegou na minha hora, eu disse: ‘Eu não vou pedir desculpa, você quem deve me pedir desculpa’.”
No Fórum de Uruburetama, o juiz do processo, José Cléber Moura do Nascimento, não quis falar sobre o caso.
Denúncias em outras cidades
José Hilson também atendeu pacientes na cidade de Cruz, a 150 quilômetros de Uruburetama. Além de ter um consultório particular, foi médico da família e atuou como clínico geral no Centro de Saúde e no Hospital Municipal. Em Cruz, ele também gravou vídeos com cenas de abuso sexual; 40 dos 63 vídeos foram filmados em um consultório do centro de saúde.
As cenas são parecidas com as de Uruburetama: o ginecologista fala que está fazendo um exame e engana as pacientes. Doze sofrem abusos. Uma delas foi atendida em 2012.
“Olhei no jaleco dele, ele com os genitais dele toda de fora. Ele realmente queria penetrar em mim. Eu saí de lá correndo. Hoje, eu estou aos poucos buscando força em Deus, tratamento e o apoio da família.”
Ela conta que Hilson a chamava de “bebê”. Nos vídeos, ele trata todas as pacientes com esse termo. “Tá muito inflamada ainda, bebê”; “Isso, bebê”; “Muito irritado, bebê, ainda”, diz em alguns trechos dos vídeos.
Essa palavra traz sofrimento até hoje para vítima. “Quando [alguém] me chama de bebê, vem um impacto. Não aceito esse nome. Bebê, pra mim, é muito chocante.”
‘Nunca fiz nada forçado’
Em entrevista, o prefeito nega ter realizado qualquer prática de abuso. Para ele, as denúncias são uma estratégia de políticos de oposição para afastá-lo.
“Eu nunca fiz nada forçado. Nada à força, não tive nada forçado. Isso é uma jogada da oposição. Querem me derrubar.” Ele afirma que teve relações sexuais com algumas mulheres, “mas não foi no consultório”.
Questionado por que filmava as pacientes, Hilson diz apenas que o repórter “perguntou demais” e deixa o local da entrevista.
Por meio de nota, o advogado do prefeito afirma que o cliente teve conhecimento dos vídeos apenas por “ouvir dizer”, que “aguarda as mídias para uma manifestação mais concreta sobre o caso” e que irá ao Ministério Público para saber sobre a veracidade do material.
Conforme juristas ouvidos pelo G1, Hilson de Paiva pode ser condenado pelas filmagens que fez das pacientes e também por violação sexual mediante fraude e estupro.
“Há muitos anos que esse homem vive abusando um monte de mulheres. Eu espero que aconteça justiça por muitas que não podem falar, que não sabem como falar, que não puderam se defender”, diz uma das pacientes do médico.
Fonte: G1

Momentos históricos

15 de julho: Corrida espacial e lançamento do Twitter marcaram a data

Confira alguns momentos que marcaram a data na história!


15 de julho: Corrida espacial e lançamento do Twitter marcaram a data
Foi em 15 de julho que  aconteceu a Corrida espacial, em 1975, quando em uma missão conjunta, a espaçonave do Projeto Apollo fez uma acoplagem em órbita da Terra com a nave espacial da União Soviética. 
Neste dia, em 2006, também aconteceu o lançamento do Twitter, que se tornou uma das maiores plataformas de mídia social do mundo.
Foi também em 15 de julho que o designer e estilista Gianni Versace foi assassinado, em 1997.
Notícias ao Minuto
Nascimentos: artes
1945 — Luiz Carlos Lacerda, diretor de cinema brasileiro.
1952 — Terry O'Quinn, ator estadunidense.
1954 — Dee D. Jackson, cantora britânica.
1956 — Marky Ramone, músico norte-americano.
1956 — Ian Curtis, músico britânico (m. 1980).
1956 — Joe Satriani, guitarrista norte-americano.
1960 — Willie Aames, ator norte-americano.
1961 — Forest Whitaker, ator norte-americano.
1966 — Samuel Rosa, cantor, compositor e guitarrista brasileiro. (Foto)
1966 — Amanda Foreman, atriz norte-americana.
1968 — Leticia Calderón, atriz mexicana.
1970 — Rogério de Moura, cineasta, roteirista e ator brasileiro.
1972 — Scott Foley, ator estadunidense.
1976 — Diane Kruger, atriz e modelo norte-americana.
1977 — Lana Parrilla, atriz estadunidense.
1980 — Juliana Almeida, atriz e apresentadora brasileira.
1988 — Aimee Carrero, atriz dominicana.
1989 — Tristan Wilds, ator norte-americano.
1992 — Koharu Kusumi, cantora, modelo e atriz japonesa.
Notícias ao Minuto
Nascimentos: personalidade e figuras importantes
1953 — Jean-Bertrand Aristide, político haitiano.
1957 — Radamés Lattari, treinador brasileiro de vôlei.
1962 — Michelle Ford, ex-nadadora australiana.
1964 — Vladimir Soria, ex-jogador e treinador de futebol boliviano.
1974 — Takashi Hirano, ex-jogador de futebol japonês.
1983 — Nelson Merlo, piloto brasileiro.
1984 — Jéferson, jogador de futebol brasileiro.
1990 — Damian Lillard, jogador de basquete norte-americano.
1991 — Derrick Favors, jogador de basquete norte-americano.
1191 — Danilo Luiz da Silva, jogador de futebol brasileiro. (Foto)
1993 — Gabriel Xavier, jogador de futebol brasileiro.
Notícias ao Minuto
Mortes: 
1921 — Alphonsus de Guimaraens, poeta brasileiro (n. 1870).
1923 — Semyon Alapin, enxadrista russo (n. 1856).
1956 — Ernest Bloch, compositor estadunidense (n. 1880).
1971 — Bill Thompson, cantor, dublador e ator de rádio norte-americano (n. 1913).
1974 — Christine Chubbuck, jornalista estadunidense (n. 1944).
1977 — Misha'al bint Fahd al Saud, princesa saudita (n. 1958).
1990 — Margaret Lockwood, atriz britânica (n. 1916).
1997 — Gianni Versace, estilista italiano (n. 1946). (Foto)
2008 — György Kolonics, canoísta húngaro (n. 1972).
2011 — Googie Withers, atriz britânica (n. 1917).
Notícias ao Minuto
Acontecimentos históricos: 
1823 — Um incêndio destrói a antiga Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma, Itália.
1826 — Ocorre o congresso pan-americano no Panamá, sob auspícios de Simón Bolívar, que tinha por objetivo unificar os novos Estados americanos.
1834 — A Inquisição espanhola é oficialmente abolida depois de quase 356 anos de atuação.
1870 — A Terra de Rupert e o Território do Noroeste são transferidos da Companhia da Baía de Hudson para o Canadá, e são criados a partir desses vastos territórios a província de Manitoba e os Territórios do Noroeste.
1910 — Em seu livro Psiquiatria Clínica, Emil Kraepelin dá nome à doença de Alzheimer, nomeando-a em homenagem ao seu colega Alois Alzheimer.
1918 — Primeira Guerra Mundial: início da Segunda Batalha do Marne, a última ofensiva alemã na frente ocidental. Os exércitos alemães são derrotados ao tentar tomar Paris.
1927 — Massacre de Viena de 1927: oitenta e nove manifestantes são mortos pela polícia austríaca em Viena.
1946 — Bornéu do Norte, atual Sabá, Malásia, é anexado pelo Reino Unido.
1974 — Em Nicósia, Chipre, nacionalistas patrocinados pela junta grega lançam um golpe de Estado, depondo o presidente Makarios e instalando Nikos Sampson como presidente cipriota.
1975 — Corrida espacial: o Programa de Teste Apollo-Soyuz apresenta uma missão conjunta do Projeto Apollo e do programa espacial soviético que efetua uma acoplagem em órbita da Terra de uma espaçonave dos Estados Unidos com uma da União Soviética. Foi o último lançamento de uma nave espacial Apollo e da família de foguetes Saturno.
1983 — Um ataque no Aeroporto de Orly, em Paris, é efetuado pela organização militante armênia ASALA, deixando oito pessoas mortas e 55 feridas. (Foto)
2003 — AOL Time Warner desfaz o Netscape. A Mozilla Foundation é criada no mesmo dia.
2006 — O Twitter é lançado, tornando-se uma das maiores plataformas de mídia social do mundo.
2016 — Facções das Forças Armadas da Turquia tentam um golpe de Estado.
Notícias ao Minuto
Feriados e Eventos: 
Aniversário da cidade de Juazeiro, Bahia. (Foto)
Aniversário da cidade de Irati, Paraná.
Fonte: Wikipedia

Madrugada de terror em Teixeira, na Paraíba

Polícia Militar apreende dinamites e armas de quadrilha que planejava atacar bancos


WhatsApp Image 2019 07 15 at 08.32.52 780x405 - TERROR EM TEIXEIRA: Polícia apreende dinamites e armas de quadrilha que planejava atacar bancos
A Polícia Militar da Paraíba interceptou uma quadrilha, no início da madrugada desta segunda-feira (15), na cidade de Teixeira, e apreendeu todo o material que o bando estava transportando para possivelmente atacar bancos no Sertão da Paraíba, esta semana. Até agora, três pessoas foram detidas e a PM continua as buscas na região para prender mais envolvidos. A identificação deles ainda está sendo confirmada.
A ação policial, realizada pela 4ª Companhia do 3º Batalhão, começou pouco depois da meia noite. Um veículo que vinha na PB-110, na região de Teixeira, não obedeceu a ordem de parada dada pela PM e teve início uma perseguição. O grupo criminoso acabou perdendo o controle do carro e bateu em uma pedra.
Duas pessoas foram detidas ainda no local. Um terceiro suspeito foi preso agora no começo da manhã, em São José do Bonfim. As buscas continuam.
Até agora, foram apreendidas vinte e cinco bananas de dinamite, fuzil, duas submetralhadoras, pistola, carregadores, quase seiscentas munições de armas de grosso calibre, várias espoletas, cinco coletes balísticos, touca ninja, lanternas de cabeça, motosserra, lixadeiras, alicate grande, discos de corte, um rádio comunicador e outros materiais usados por quadrilhas que atacam bancos.
Fonte: Paraíba Já

'Maria passou na frente'

‘Não quebrou nada’, diz Padre Marcelo Rossi após levar empurrão; VEJA VÍDEO


marcelo rossi 300x167 - 'Não quebrou nada', diz Padre Marcelo Rossi após levar empurrão; VEJA VÍDEO
Em vídeo o Padre Marcelo Rossi diz que ‘Maria passou na frente’ após ter sido empurrado do altar por uma mulher neste domingo (14) em Cachoeira Paulista. A mulher furou a segurança do evento e empurrou o padre durante a celebração. Após a agressão ela foi contida pela Polícia Militar e encaminhada para a delegacia.
O padre celebrava a missa de encerramento do acampamento ‘Por Hoje Não’ (PHN). Por volta das 14h50 a mulher, que participava do evento, invadiu o altar e empurrou o padre, que caiu da estrutura.
Apesar da queda, o padre não ficou ferido e depois voltou ao altar para terminar a celebração. Em um vídeo divulgado pela Canção Nova ao fim da missa o padre diz que está bem.
“Maria passou na frente, pisou na cabeça da serpente, estou ótimo”, disse. “Fiquem tranquilos, só umas dorzinhas, não quebrou nada”, acrescentou.
Após a agressão, a mulher foi contida pela PM e encaminhada para a delegacia para o registro do boletim de ocorrência, feito pela Canção Nova. O Padre Marcelo Rossi decidiu não registrar a agressão.
De acordo com a Polícia Militar, ela estava com um grupo do Rio de Janeiro no evento e eles afirmaram à polícia que ela sofre de transtornos mentais.
Em nota a Canção Nova informou que lamenta o incidente ocorrido com o padre Marcelo Rossi durante a missa e informou que ele foi atendido pela equipe médica do evento e, após ser liberado, seguiu com a celebração até o fim.
Fonte: Polêmica PB com G1 - Publicado por: Larissa Freitas

Padre Marcelo Rossi é empurrado por mulher e cai de palco

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de palco durante missa em São Paulo; VEJA VÍDEO


mulher empurra padre 300x169 - SUSTO: Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de palco durante missa em São Paulo; VEJA VÍDEO

Uma mulher empurrou o padre Marcelo Rossi do palco de um evento na tarde deste domingo, 14, em Cachoeira Paulista, São Paulo.
O padre participava do encerramento do Acampamento PHN (Por Hoje Não, por hoje não vou mais pecar), na sede da comunidade católica Canção Nova.
A agressão foi gravada ao vivo e as imagens mostram o momento em que o religioso cai do palco. Os fieis que assistiam a celebração ficam desesperados e sem entender a atitude da mulher.
Apesar da queda, o padre voltou ao palco minutos depois e disse que não registraria boletim de ocorrência contra a fiel.
A polícia informou que a mulher tem 40 anos e que fazia parte de um grupo que veio do Rio de Janeiro para o evento. Os acompanhantes informaram à PM que ela sofre de transtornos mentais.
De acordo com a Polícia Militar, a mulher foi encaminhada para a delegacia de Lorena para o registro do caso. Foi informado que a ocorrência foi feita pela Canção Nova. 
Veja vídeo:


Fonte: Polêmica PB com informações do G1

Wilson Braga está internado na UTI desde o início da semana

Ex-governador Wilson Braga está internado na UTI de hospital em João Pessoa


cats - Ex-governador Wilson Braga está internado na UTI de hospital em João Pessoa 
O ex-governador, e ex-deputado federal e estadual, Wilson Leite Braga, 87 anos, está internado na Unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, desde o meio da semana. Segundo a equipe médica que cuida do ex-parlamentar, ele foi diagnosticado com uma intensa infecção urinária que gerou um quadro de febre, calafrios e alucinações.
Wilson Braga poderá ser transferido para um apartamento, o que depende da sua melhora do quadro clínico, onde continuará tomando antibióticos e outras medicações indicadas para frear o quadro clínico,  preocupante para seus familiares. O ex-governador completará 88 anos na próxima quinta-feira.
Fonte: Polêmica Paraíba