sábado, 27 de fevereiro de 2021

Prefeitura de Tavares realiza pagamento dos servidores referente a fevereiro

Em seu segundo mês consecutivo à frente da Prefeitura de Tavares, Coco de Odálio realiza pagamento dos servidores dentro do mês trabalhado

Nesta sexta-feira, 26 de fevereiro, o prefeito do município de Tavares, no Sertão da Paraíba, Genildo José da Silva (Coco de Odálio) realizou o pagamento de todos os servidores municipais (efetivos, comissionados e contratados), referente ao mês de fevereiro de 2021. 

Além do salário de fevereiro, a Prefeitura também efetuou o pagamento do terço de férias dos servidores efetivos aniversariantes neste mês.

A continuidade do pagamento dos salários dentro do mês trabalhado, é uma priorização da atual administração no sentido de manter o equilíbrio das contas públicas, assegurando o compromisso com os servidores. 

“Uma das nossas prioridades é o pagamento dos nossos servidores dentro do mês trabalhado, para que eles possam manter suas responsabilidades financeiras em dia. Dessa forma, aquecemos o comércio local e mantemos o respeito e a valorização aos nossos servidores”, ressaltou o prefeito.

Ascom - PMT

Solange Félix garante dinheiro na conta dos servidores públicos de Juru

Prefeitura de Juru, no Sertão da Paraíba, realiza pagamento de todos os servidores municipais, referente ao mês de fevereiro

Foto: Reprodução/Internet

Nesta quinta-feira, 25 de fevereiro, a Prefeitura Municipal de Juru, no Sertão da Paraíba, efetuou o pagamento de todos os servidores municipais, referente ao mês de fevereiro de 2021.

Com a realização do pagamento dentro do mês trabalhado, como ocorreu também em janeiro, a prefeita Solange Félix mantém o compromisso de valorização dos funcionários do município e a responsabilidade com a máquina pública, movimentando a economia e aquecendo o comércio local. 

Só um lockdown de 21 dias salvaria o Brasil do colapso total, diz cientista

SITUAÇÃO PREOCUPANTE: Cientista brasileiro especialista em epidemia defende lockdown de 21 dias para o Brasil não colapsar de vez

lockdown sa 6601feec - Para país não colapsar de vez: cientista defende lockdown de 21 dias 

Mesmo com uma vacina já sendo aplicada na população, a situação ainda é preocupante. O cientista brasileiro especialista em epidemiologia Miguel Nicolelis acredita que só um lockdown de 21 dias salvaria o país do colapso total.
Em conversa com o jornal O Globo, ele disse a população precisa “acordar para a dimensão da nossa tragédia” e que se algo não for feito, será inevitável um colapso da saúde e funerário. “Eu estou vendo a grande chance de um colapso nacional. Não é que todo canto vá colapsar, mas boa parte das capitais pode colapsar ao mesmo tempo, nunca estivemos perto disso”, declarou.
Nicolelis diz que a situação preocupa de Norte a Sul, mas chama atenção principalmente para os cenários no Rio Grande do Sul, triângulo mineiro, Distrito Federal, Mato Grosso e São Paulo e Rio de Janeiro. O problema maior, segundo o cientista, é que diferentemente da primeira onda, quando um estado por vez apresentou situação mais crítica, agora, tudo está explodindo ao mesmo tempo. Isso vai implicar em falta de medicamentos, impossibilidade e intubação e transferência de doentes.
Nessa quinta-feira, 25, o Brasil ultrapassou a marca de 250 mil mortos pela covid-19 e registrou 1.541 óbitos em 24 horas, o segundo maior número desde o início da pandemia. Segundo o cientista, que está propondo a criação de uma comissão de salvação nacional com os governadores, ainda tem como contornar o cenário no Brasil. Para que isso seja possível, é necessário, na visão dele, um lockdown imediato nacional de 21 dias.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: Catraca Livre - Publicado por: Gerlane Neto

Ministro da Saúde admite que diversas cepas da Covid-19 já estão no Brasil

Variante da Covid-19 encontrada na Paraíba propaga ‘três vezes mais contaminação’, diz ministro Eduardo Pazuello

Eduardo Pazuello ministro da saude - COVID-19: variante encontrada na Paraíba propaga 'três vezes mais contaminação', diz ministro

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, admitiu que diversas cepas do coronavírus já estão no Brasil e destacou que o modo como se desenvolvem em cada cidade e região depende de fatores climáticos, sociais, de saneamento e de cultura. Em relação aos aumentos de casos em capitais do Nordeste, a exemplo de Fortaleza e João pessoa, ele citou que as variantes encontradas nessas cidades têm um potencial maior de contaminação.

“Na nossa visão, estamos enfrentando uma nova etapa da pandemia. Ela tem esse vírus mutável que nos dá três vezes mais contaminação. E a velocidade com que isso acontece em pontos focais pode surpreender o gestor em termos de estrutura de apoio. Essa é a realidade que nós vivemos hoje no Brasil”, disse. A informação repercutiu na Agência Brasil.

O ministro acrescentou que a nova realidade não está centrada apenas no Norte e Nordeste do país, como ocorreu em 2020 e que há outros locais impactados agora. Por isso, destacou a necessidade de o país estar alerta e preparado para combater o vírus.

Com esse objetivo, Pazuello citou três grandes ações. A primeira é o atendimento imediato nas unidades básicas de saúde. A segunda envolve a estruturação da capacidade em leitos para atendimento, incluindo desde recursos humanos e equipamentos até o uso de leitos remoto, ou seja, remoções. E a terceira é a vacinação. “Com essas três grandes estratégias, nós vamos enfrentar a pandemia nessa nova etapa”, afirmou.

A fala do ministro repercutiu no site Agência Brasil.

O secretário executivo de saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, explicou os níveis de contaminação provocados pela nova cepa. “O fato é que as mutações tem maior capacidade de infectar seres humanos, uma vez que menos quantidade de vírus em menor intervalo de tempo de convívio é capaz de viabilizar a transmissão da doença de uma pessoa para outra ao estarem próximas sem proteção”, disse.

Polêmica Paraíba

Governo da Paraíba anuncia concurso público para a Polícia Civil

Governador João Azevêdo anuncia concurso com 1.400 vagas para a Polícia Civil da Paraíba

João Azevêdo anuncia concurso com 1.400 vagas para a Polícia Civil

O governador João Azevêdo anunciou, nesta sexta-feira (26), a realização de concurso que vai ofertar 1.400 vagas para a Polícia Civil. O concurso visa suprir as necessidades dos cargos de carreira da Polícia Civil, considerando um cenário com previsão de 785 servidores aptos à aposentadoria.

As oportunidades contemplam nove cargos de carreira da Polícia Civil: Delegado (120 vagas), Escrivão (520 vagas), Perito Médico (50), Técnico em Perícia (73), Necrotomista (70), Agente de Investigação (414), Perito Criminal (77), Perito Químico (45) e Papiloscopista (31).

A Comissão Organizadora do concurso está sendo formada e o edital com os detalhes será divulgado em breve no Diário Oficial do Estado.

O concurso da Polícia Civil envolve várias fases, e o tempo para a sua realização pode chegar até um ano e meio para a conclusão do processo, incluindo o Curso de Formação, que dura seis meses.

Fonte: Polêmica Paraíba com Secom PB - Publicado por: Felipe Nunes

Já são 37 dias com a média de óbitos por Covid-19 no Brasil acima de mil

Um dia após recordes, Brasil registra segunda maior média de mortos da pandemia do novo coronavírus

morte covid19 indenizacao seguro - Um dia após recordes, Brasil registra 2ª maior média de mortos da pandemia

O Brasil registrou hoje a segunda maior média de mortes por Covid-19 de toda a pandemia — um dia depois de bater o recorde nesse índice e de computar a maior marca de óbitos em 24 horas. Foram 1.148 óbitos em média nos últimos sete dias.

Os dados são do consórcio de veículos de imprensa.

Até o início desta semana, a média mais alta havia sido verificada em 14 de fevereiro: 1.105 — marca que foi superada pela primeira vez na quarta-feira (24), com 1.129. Ontem, a média atingiu o seu maior patamar com 1.150.

O país se encontra atualmente em estabilidade na comparação com a média móvel de 14 dias atrás. Mas é uma estabilidade em números altos: já são 37 dias com a média de óbitos acima de mil, o maior período de toda a pandemia. Na quarta, o Brasil chegou aos 250 mil mortos em decorrência da covid.

Foram computadas nas últimas 24 horas, 1.327 novas mortes causadas pela doença — o quarto dia seguido com mais de 1.300 vítimas. Entre terça e quinta, foram 1.370, 1.433 e 1.582, respectivamente. Os números não indicam quando os óbitos ocorreram de fato, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais. O total de vítimas até agora é de 252.988.

De ontem para hoje houve uma redução no número de estado com tendência de aceleração de 13 para 10. Apenas 3 apresentaram tendência de queda e outros 13 mais o Distrito Federal estão em situação estável.

Das regiões, apenas o Norte teve queda (-25%) após dias seguidos em estabilidade. Já Nordeste (40%) e Sul (50%) tiveram aceleração. Centro-Oeste (-4%) e Sudeste (-2%) se mantiveram estáveis.

Nas últimas 24 horas, houve 63.908 testes positivos para o novo coronavírus em todo o país. Desde o início da pandemia, o total de infectados subiu para 10.457.794.

Dados da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira (26) que o Brasil registrou 1.337 novas mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas. Pelos números da pasta, este é o 4º dia consecutivo com mais de 1,3 mil novas vítimas computadas entre um dia e outro. Desde o início da pandemia, houve 252.835 óbitos provocados pela doença no país.

Entre terça (23) e quinta (25), foram cadastradas 1.386, 1.428 e 1.541 mortes, respectivamente – esta última marca foi a segunda maior em toda a pandemia, pelos dados do governo, atrás apenas das 1.595 vítimas registradas em 29 de julho.

Foram confirmados 65.169 casos da doença de ontem para hoje, de acordo com o Ministério. O total de infectados em todo o país chegou a 10.455.630 desde o começo da pandemia.

Segundo o governo federal, 9.355.974 pessoas se recuperaram da covid-19 até o momento, com outras 846.821 em acompanhamento.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: Uol - Publicado por: Gerlane Neto

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Prefeitura decreta medidas de prevenção de contágio pela Covid-19, em Juru

SOLANGE FÉLIX ADOTA AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO DE CONTÁGIO PELA PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS DECRETADAS PELO GOVERNO ESTADUAL 

"É fundamental que a população cumpra as medidas restritivas impostas pelo governo estadual para que seja possível ter números positivos nos próximos dias", disse a prefeita de Juru - PB

Em cumprimento ao decreto de número 41.053, do governo estadual, que estabelece medidas para conter a disseminação da Covid-19 e evitar aglomerações no território paraibano, a prefeita do município de Juru, no Sertão da Paraíba, Solange Maria Félix Barbosa, do Cidadania, decretou medidas restritivas de controle e prevenção da pandemia do novo coronavírus, no município. O anúncio foi feito através da página social da prefeitura no Facebook, que publicou o decreto nº 016/2021, de 24 de fevereiro de 2021.

Em contato com a redação do Blog JURU EM DESTAQUE, a prefeita Solange Félix falou acerca do decreto e ressaltou, que para conter o avanço da pandemia, é fundamental que a população cumpra as medidas restritivas para que seja possível ter números positivos nos próximos dias e a economia continue funcionando. 

Dentre as ações do novo decreto, publicado na tarde da última terça-feira (23), no Diário Oficial do Estado (DOE), em edição suplementar, que passaram a vigorar entre os dias 24 de fevereiro e 10 de março, está o toque de recolher das 22h00 às 05h00 nos municípios com bandeiras vermelha e laranja, definidos na 19ª avaliação do Plano Novo Normal, do Governo da Paraíba, entre estes Juru. Já os bares, restaurantes e lanchonetes poderão ficar abertos entre as 06h00 e 16h00 e funcionar, após esse horário, apenas com delivery e takeaway (refeições ou lanches que são consumidos em casa ou outro local), até às 22h00.

O novo decreto também suspende o retorno das aulas presenciais nas escolas das redes estadual e municipais de todo o estado, devendo ocorrer apenas de forma remota. Já as instituições privadas dos ensinos superior, médio e fundamental das séries finais funcionarão exclusivamente de forma virtual e poderão ofertar aulas em sistema híbrido no ensino fundamental das séries iniciais e do ensino infantil, dando aos pais e responsáveis a escolha de levar ou não as crianças às unidades educacionais.

Os cultos, missas e cerimônias religiosas presenciais serão suspensos durante a vigência do decreto, também nos municípios com bandeiras laranja e amarela, ficando asseguradas as atividades de preparação, gravação e transmissão das celebrações.

Ainda de acordo com o novo decreto, os shoppings centers, galerias e centros comerciais, nos municípios onde houver, poderão funcionar das 09h00 às 21h00. Os restaurantes localizados nos estabelecimentos acima mencionados poderão funcionar até 16h00 e os demais estabelecimentos situados nas praças de alimentação poderão funcionar até 21h00.

Já serviços como a indústria, construção civil, call centers, salões de beleza, hotéis, creches, escolinhas de esporte e academias poderão funcionar, seguindo os protocolos e horários determinados pelas autoridades sanitárias e pelo decreto.

Fiscalização

A Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) e os órgãos de vigilância sanitária municipais, as forças policiais estaduais, os Procons estadual e municipais e as guardas municipais ficarão responsáveis pela fiscalização do cumprimento das normas estabelecidas no decreto.

O descumprimento sujeitará o estabelecimento à aplicação de multa e poderá implicar no fechamento em caso de reincidência, que pode compreender períodos de sete a catorze dias, e na aplicação de multas que podem chegar a R$ 50 mil.

Cidades nas bandeiras laranja e vermelha

O decreto cita as cidades que foram classificadas nas bandeiras laranja e vermelha conforme a última avaliação do Plano Novo Normal, do governo do estado, divulgada no último sábado (20). Com essa restrição, são ao todo, 144 municípios enquadradas nessas duas listas, sendo seis na bandeira vermelha e 138 na laranja, dentre estes Juru está incluído. Apenas Tavares, entre os municípios da região de Princesa Isabel, permaneceu na bandeira amarela.

Segundo o último Boletim Epidemiológico, divulgado pela Prefeitura de Juru na última segunda-feira (22), o município registrou 545 casos confirmados do novo coronavírus e há apenas 02 pacientes em recuperação. 

Infelizmente, 10 pessoas já morreram vítimas da doença no município, informa o boletim.

Brasil registra, nesta quinta-feira, recorde de mortes por Covid-19

Com 1.582 mortes em 24 horas, Brasil registra nesta quinta-feira o dia mais letal na pandemia do novo coronavírus

0v8u7y7q05n52ze680gbjiygb - COVID-19: Com 1.582 mortes em 24 h, Brasil registra o dia mais letal na pandemia

Um dia após atingir a marca de 250 mil mortes por Covid-19, o Brasil voltou a apresentar números alarmantes. Nesta quinta-feira (25), o país registrou o recorde de novas mortes causadas pela doença nas últimas 24 horas: 1.582. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa.

Até então, o dia com maior número de mortes por Covid-19 havia sido computado em 29 de julho, com 1.554 óbitos. Os números não indicam quando os óbitos ocorreram de fato, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais. O total de vítimas até agora é de 251.661.

Estudante de 16 anos morre de Covid-19 no dia do aniversário, na Paraíba

Em Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, estudante morre vítima da pandemia do novo coronavírus no dia do aniversário de 16 anos de idade

covid - EM CAJAZEIRAS: estudante morre vítima da covid-19 no dia do aniversário de 16 anos

O estudante cajazeirense José Hugo Lins Félix, morreu vítima da Covid-19 na tarde desta quinta-feira (25). O jovem faleceu no dia em que completou 16 anos de idade. Ele deu entrada no Hospital Regional de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, com fortes dores no abdômen e testou positivo para a doença.

De acordo com informações repassadas pelo Hospital Regional de Cajazeiras, o estudante teve complicações no intestino e acabou não resistindo.

José Hugo era morador do Distrito de Bom Jesus, município de São José de Piranhas, Sertão da Paraíba.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: com Resenha Politika - Publicado por: Gerlane Neto

Empresário de 74 anos morre de Covid-19, na Paraíba

Morre no Hospital Regional de Cajazeiras, na Paraíba, vítima da Covid-19, o empresário Gonçalo Pinheiro

goncalo editar - Morre no Hospital Regional de Cajazeiras, vítima da Covid-19, o empresário Gonçalo Pinheiro

Morreu na tarde desta quinta-feira (25) em um leito de UTI do Hospital Regional de Cajazeiras (HRC), no Sertão da Paraíba, o empresário cajazeirense Gonçalo Pinheiro. Segundo informações da família, seu Gonçalo estava internado há 15 dias na unidade de saúde acometido da Covid-19.

Na tarde desta quinta-feira (25) o idoso não resistiu e veio a óbito devido às complicações da doença. De acordo com informações do filho de Gonçalo, Gerlânio Gonçalves, o velório não será aberto para o público, apenas os familiares poderão participar.

Seu Gonçalo tinha 74 anos de idade e era proprietário de uma das mais tradicionais lojas de móveis de Cajazeiras. Ele era um dos mais antigos empresários da cidade no ramo de móveis.

Este é o 86º óbito em decorrência da doença na cidade de Cajazeiras desde o início da pandemia.

Fonte: Resenha Política - Créditos: Polêmica Paraíba - Publicado por: Suedna Lira

Mais uma vítima do coronavírus na Paraíba

Funcionário da Caixa Econômica Federal, em João Pessoa, morre por complicações da Covid-19

CEFCARLOSROBERTO 300x218 1 - Funcionário da CEF em João Pessoa morre por complicações da Covid-19

Vítima de complicações de Covid-19, faleceu nesta quinta-feira (25), no hospital Nossa Senhora das Neves, no bairro da Torre, em João Pessoa, Carlos Roberto Lopes, funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal, na Paraíba.

Carlos Roberto estava internado há vários dias naquela unidade hospitalar. O sepultamento aconteceu ontem na cidade de Cuité, sua terra natal.

Ele tinha se aposentado recentemente e trabalhava na agência da CEF que funciona Shopping Tambiá, em João Pessoa.

Amigos e funcionários da CEF lamentaram a morte de Carlos Roberto Lopes, acrescentando que a Covid já infectou vários servidores da instituições, provocando, inclusive, o fechamento de algumas agências na Capital e também no interior da Paraíba.

Fonte: Paraíba Notícia - Créditos: Polêmica Paraíba - Publicado por: Suedna Lira

Empresário vítima da Covid-19 declarava seu amor pelos familiares

Empresário Pablo Estrela, que morreu em decorrência da Covid-19, era cheio de vida e amor pela família

pablo - Vítima da Covid-19: empresário Pablo Estrela era cheio de vida e amor pela família

Nas redes sociais era comum as publicações do empresário Pablo Estrela declarando sua fé em Deus e seu amor por seus familiares. O jovem empresário de 40 anos era cheio de vida e rodeado de amigos, mas de maneira inesperada foi mais uma vítima da Covid-19, no estado da Paraíba.

No último dias do pais, Pablo descreveu sua admiração pelo pai, o médico João Aurílio Rodrigues Estrela:

pablo e o pai - Vítima da Covid-19: empresário Pablo Estrela era cheio de vida e amor pela família

“Pai! Aprendi com você que a vida é cheia de obstáculos, ondas, castelos de areia, muros e quebra-cabeças. Mas também aprendi que para cada dificuldade existe uma solução! Muito obrigado por ser o melhor professor que a vida poderia me dar. Feliz Dia dos Pais! Te amo❤️” escreveu ele.

Pablo praticava ciclismo, e se dizia um apaixonado pela natureza.

ciclismo - Vítima da Covid-19: empresário Pablo Estrela era cheio de vida e amor pela família 

Sua mãe Dulce Emilia, psicóloga na Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba, figura muito conhecida no estado, descrevia também seu amor pelo jovem. “Filho vcs são a razão do meu viver… amo vcs “, disse Dulce em uma publicação nas redes sociais.

Na noite da última segunda-feira (24) ele usou suas redes sociais. “É nas maiores dificuldades da vida que aprendemos a confiar em Deus”.

Veja:

Os amigos de Pablo lamentaram sua partida precoce: “Descanse em paz meu amigo! 😢” , “Essa é uma dor imensurável. Segue a luz meu amigo”, escreveram nas redes sociais.

Polêmica Paraíba - Publicado por: Rebeka Melo

Filho de médico paraibano é mais uma vítima da Covid-19

Morre o empresário Pablo Estrela, filho de médico paraibano, por complicações da Covid-19, aos 35 anos de idade

WhatsApp Image 2021 02 25 at 15.59.54 - MAIS UMA VÍTIMA: morre Pablo Estrela, filho de médico paraibano, por complicações da Covid-19

Faleceu na tarde desta quinta-feira (25) o empresário, Pablo Estrela, aos 35 anos, vítima da Covid-19.

Pablo era filho do médico anestesista Aurilio Estrela e de Dulce Emília, e representante comercial de algumas empresas na Paraíba. O empresário deixa a viúva, Érika Cavalcanti.

Há dois dias, Pablo publicou uma foto em suas redes sociais onde falava de Deus e dizia que logo estaria de volta.

Em seu instagram, amigos lamentam a morte prematura:

“Vai com Deus meu brother! Sempre será lembrado pelos amigos!” escreveu um de seus amigos.

“É claro que a amizade continua, mas de um outro jeito. Ficam as recordações que trazem lágrimas a nosso olhar; ficam as memórias que nos elevam sorrisos pelo rosto e coração.” Escreveu outro. 

Polêmica Paraíba - Publicado por: Suedna Lira

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Campina Grande vai intensificar ações de controle e prevenção da pandemia

Secretaria de Saúde de Campina Grande, na Paraíba, vai monitorar feiras, ruas e terminais rodoviários, entre outras ações

covid fiscalizacao cg - Secretaria de Saúde de Campina Grande vai monitorar terminais rodoviários

A Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande vai intensificar as ações de controle e prevenção da pandemia da Covid-19 no município.

Esta semana a Gerência de Vigilância Sanitária (Gevisa) vai iniciar ações de fiscalização para verificar se as medidas de segurança estão sendo respeitadas em bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais.

Os fiscais da Gevisa vão realizar um mutirão de fiscalização, principalmente durante a noite, nos bares e restaurantes da cidade.

As ações serão realizadas em parceria com os servidores do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), com o apoio da Polícia Militar.

Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde também vai retomar a partir do início de março um trabalho de monitoramento nos terminais rodoviários da cidade e no aeroporto, identificando casos suspeitos e realizando o encaminhamento dos passageiros com sintomas para os serviços de referência.

“Campina Grande vive uma estabilidade de casos e controle da pandemia, inclusive estando na Bandeira Amarela. Mas, como estamos assistindo a uma subida de casos no Sertão e no Litoral, precisamos nos precaver e proteger a população local, que precisa voltar a tomar os cuidados, já que muitos descuidaram”, disse a Gerente de Vigilância Sanitária, Betânia Araújo.

Além dessas ações, a Prefeitura Municipal de Campina Grande segue desenvolvendo um trabalho de prevenção, conscientização e combate ao novo coronavírus em várias frentes, com atividades da Secretaria de Serviços Urbanos (Sesuma) nas feiras, da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) nas ruas e no Terminal de Integração e outras ações realizadas pela Secretaria de Esportes e pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, por exemplo.

Fonte: Paraíba Online - Créditos: Polêmica Paraíba- Publicado por: Adriany Santos

Campina Grande, na Paraíba, instala barreiras sanitárias

Para conter disseminação do novo coronavírus, prefeitura de Campina Grande, na Paraíba, terá barreiras sanitárias em suas entradas 

barreira sanitaria - Para conter a covid-19, Campina Grande terá barreiras sanitárias em suas entradas

De acordo com a Vigilância Sanitária da cidade de Campina Grande, no Agreste da Paraíba, os acessos à cidade ganharão barreiras sanitárias. A medida visa conter a disseminação do novo coronavírus. E evitar que os leitos da cidade tenham superlotação.

Os equipamentos devem ser instalados já a partir da próxima semana.

Entre as atividades desenvolvidas, está o questionamento sobre sintomas e encaminhamento à rede de saúde aos viajantes.

Haverá também fiscalizações em pontos com grande fluxo de pessoas, como nas feiras livres, por exemplo.

Inicialmente, não haverá reforço na rodoviária – ao menos nesse instante.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: T5 com Polêmica Paraíba - Publicado por: Rebeka Melo

Estado da Paraíba totaliza 4.433 mortes por Covid-19

Paraíba registra 1.594 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas; 14 óbitos foram confirmados desde a última atualização 

Campina Grande (PB) - (Foto: reprodução/Facebook Prefeitura Municipal de Campina Grande)

Governo da Paraíba
Secretaria de Estado da Saúde
Atualização Covid-19 | 25/02/2021

Paraíba registra 1.594 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta quinta (25), 1.594 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 102 (6,39%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.492 (93,61%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 217.121 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 648.355 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Também foram confirmados 14 novos óbitos desde a última atualização, sendo 11 deles nas últimas 24 horas. Os óbitos ocorreram entre os dias 21 e 25 de fevereiro de 2021, sendo quatro deles em hospitais privados e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 4.433 mortes. O boletim registra ainda um total de 157.586 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 873 novos casos, o que corresponde a 54,76% dos casos registrados nesta quinta. São eles: João Pessoa, com 540 novos casos, totalizando 57.530; Campina Grande, com 150 novos casos, totalizando 20.014; Patos, com 74 novos casos, totalizando 8.650; Santa Rita, com 56 novos casos, totalizando 5.301; Cabedelo, com 53 novos casos, totalizando 5.301.

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-SUS VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 25/02/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta quinta, 206 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 14 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Alagoa Grande (2), Cabedelo (1), Campina Grande (1), Catingueira (1), João Pessoa (5), Massaranduba (1), Princesa Isabel (1), Santa Helena (1) e Santana dos Garrotes (1). As vítimas são 06 homens e 08 mulheres, com idades entre 30 e 98 anos. Cardiopatia e hipertensão foram as comorbidades mais frequentes e sete não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 67%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 84%. Em Campina Grande estão ocupados 56% dos leitos de UTI adulto e no Sertão 77% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 62 pacientes foram internados nas últimas 24h.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 134.737 doses. Até o momento, 106.612 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 28.125 com a segunda dose da vacina.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios e ocupação de leitos estão disponíveis em: www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus.

SECOM-PB

Pandemia avança, no Brasil, e ultrapassa a marca de 250 mil mortes

AVANÇO DA PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS: em ritmo acelerado, Brasil atinge nesta quarta-feira 250 mil mortos por Covid-19

mortes coronavirus sao paulo 1 - AVANÇO DA PANDEMIA: em ritmo acelerado, Brasil atinge 250 mil mortos por Covid-19

O Brasil ultrapassa a marca de 250 mil mortes devido à Covid-19, segundo boletim extra do consórcio de veículos de imprensa divulgado nesta quarta-feira (24). Foram 1.390 mortes registradas até 18h18, 250.036 óbitos desde o começo da pandemia, o que fez o país atingir essa marca história de óbitos pela doença.

Foram 22 estados e o Distrito Federal que divulgaram dados até 18h18: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe São Paulo e Tocantins.

Esse número mortes é atingido em meio a uma vacinação sem campanha e com novas variantes circulando. Especialistas apontam um ritmo acelerado de transmissão e de mortes, consequência da falta de medidas de isolamento e de restrições impostas pelo estado.

As primeiras 50 mil mortes demoraram 100 dias – entre 12 de março e 20 de junho do ano passado. Entre a marca de 200 mil, em 7 de janeiro deste ano, e a de 250 mil, nesta quarta-feira (24), foram 48 dias. O ritmo das mortes deve continuar acelerando. O país pode atingir 300 mil mortes ainda no mês de março.

cientista coronavirus - AVANÇO DA PANDEMIA: em ritmo acelerado, Brasil atinge 250 mil mortos por Covid-19

Fonte: Polêmica Paraíba com informações do G1 - Publicado por: Felipe Nunes

Brasil completa 35 dias seguidos com média móvel de mortes acima de 1.000

Nesta quarta-feira, 24 de fevereiro, na contramão do mundo, o Brasil completa um ano do primeiro caso de Covid


Brasil completa um ano do primeiro caso de Covid na contramão do mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Países veem o avanço da vacinação e quedas expressivas nas mortes por Covid-19 – o que, neste momento, não necessariamente representam causa e efeito. Enquanto isso, o Brasil, um ano depois do primeiro caso da doença registrado oficialmente, vê um novo crescimento do Sars-CoV-2 e alcança o pior momento na pandemia.

O Brasil completou nesta quarta-feira (24) 35 dias seguidos com média móvel de mortes acima de 1.000. No mesmo dia, o país superou a marca de 250 mil vidas ceifadas pela Covid e registrou a maior média móvel de óbitos de toda a pandemia, 1.127.

Mas desde novembro a taxa começou a reapresentar tendências de crescimento. À época, especialistas já apontavam a expansão da doença e o risco que as festas de final de ano representavam.

O registro de mortes nas duas últimas semanas no Brasil teve crescimento acima de 2%, o que representa uma situação de estabilidade, porém, em patamar elevado – cenário semelhante ao que persistiu no meio do ano passado.

O estado de São Paulo, por exemplo, registrou, no último dia 22, o maior número de pacientes com Covid-19 internados em UTIs desde o início da pandemia. Araraquara, no interior de São Paulo, viu se esgotarem suas vagas de UTI e, em menos de dois meses de 2021, já teve mais mortes por Covid registradas do que em todo 2020.

Mas foi Manaus a primeira cidade em 2021 a ver seu sistema de saúde colapsar com a pressão da Covid. A evolução rápida das internações pela doença levou à falta de oxigênio hospitalar, e pacientes morreram sem acesso ao gás medicinal.

A região Sul do país, de início controlada, também vive o pior momento da pandemia, o que levou os governadores dos seus três estados a anunciar a criação de um grupo de trabalho contra a Covid-19.

Enquanto o vírus continua a avançar rapidamente pelo Brasil e com variantes preocupantes pelo potencial de contaminação, como é o caso da P.1 (observada no Amazonas), da B.1.1.7 (Reino Unido) e da B.1.351 (África do Sul), a vacinação caminha a passos lentos.

O país conta, até o momento, apenas com duas vacinas contra a Covid: a Coronavac, sob responsabilidade do Instituto Butantan, e o imunizante de Oxford/AstraZeneca, nas mãos da Fiocruz.

Nesta semana, a Anvisa deu autorização para uso definitivo para a vacina da farmacêutica americana Pfizer, desenvolvida com o laboratório alemão BionNTech, mas ainda não foi feito acordo para compra de doses do imunizante porque o governo não concorda com cláusulas do contrato da farmacêutica. Doses dessa vacina começaram a ser oferecidas ao governo desde o segundo semestre do ano passado.

A campanha nacional de vacinação contra a Covid teve início no fim de janeiro e só 7,6 milhões de doses (somadas as primeiras e segundas) foram aplicadas, o que representa 3,82% da população brasileira acima de 18 anos. Além do ritmo lento, também já houve registros de outros problemas (não exclusivos do Brasil, porém) como a interrupção de vacinação em capitais, além de desencontros e erros do Ministério da Saúde.

O ônus da Covid no Brasil neste ano, porém, é atípico entre países que já tiveram uma fase aguda em 2020. Em vários outros lugares, os números declinam.

Os Estados Unidos foram dramaticamente afetados pela Covid (ultrapassa o meio milhão de mortos e soma mais de 28 milhões de contaminados, segundo a Universidade Johns Hopkins), registraram no último mês queda expressiva nas mortes, chegando a 22% na comparação entre a semana de 9 a 16 de fevereiro e superando 6% nos sete dias mais recentes.

A diminuição nos números americanos de mortes e casos coincide com o início do governo do democrata Joe Biden. Ao contrário de seu antecessor, o republicano Donald Trump, o novo presidente se mostra preocupado com as orientações científicas básicas de combate à Covid e comunica essa preocupação o tempo todo.

Um exemplo é o uso de máscaras, incentivado pelo atual presidente, que também assinou ordem executiva (equivalente a medida provisória) determinando a obrigatoriedade do item em viagens, meios de transporte e em instalações federais.

Sob Trump, uma ação do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) que visava o uso obrigatório de máscaras foi bloqueada, e a agência emitiu apenas recomendações para seu uso.

Como Trump, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro (sem partido) também tem um histórico de desconsiderar evidências científicas sobre a Covid. Além de minimizar a pandemia desde o início, foram inúmeros os momentos em que Bolsonaro indicou o uso de medicamentos para Covid considerados, por estudos científicos, ineficazes, e provocou aglomerações, sem preocupação com o uso de máscaras.

Segundo levantamento da ONG Conectas Direitos Humanos e do Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (Cepedisa) da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), concluiu que na esfera federal "mais do que a ausência de um enfoque de direitos, já constatada, o que nossa pesquisa revelou é a existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República".

Os pesquisadores levaram em conta as 3.049 normas relacionadas à Covid-19 publicadas desde o início da pandemia até o fim de 2020.

Exemplos de campanhas de vacinação mais céleres (e seus consequentes efeitos positivos no combate à pandemia) também já são vistos pelo mundo. Um dos mais citados é Israel, que já tem mais de 50% da população vacinada. Com essas taxas, o país já viu números de mortes e infecções caírem.

O Reino Unido é outro que avança rapidamente e já tem mais de 25% da população inoculada. Mesmo em meio à vacinação, o país precisou passar recentemente por mais um "lockdown" para conter a expansão do Sars-CoV-2 e, principalmente, de sua variante mais contagiosa B.1.1.7. Resultado: queda no número de mortes.

Se tais exemplos parecem distantes, há também no continente desempenho superior na vacinação. O Chile já conseguiu vacinar mais de 14% da população, ficando à frente inclusive dos EUA (com mais de 13% dos habitantes vacinados).

Notícias ao Minuto

Geraldo Luis (o outro, não eu) testa positivo para o coronavírus

Em vídeo publicado nas redes sociais, Geraldo Luís, apresentador da Record TV, diz que testou positivo para Covid-19

Geraldo Luís, apresentador da Record, testa positivo para o coronavírus

O apresentador da Record TV Geraldo Luís testou positivo para Covid-19. Ele publicou um vídeo nas redes sociais nessa quarta-feira (24/2) para dar notícias aos seguidores no Instagram.

“Infelizmente testei positivo para o Covid. Estou bem, sintomas leves, garganta raspando, sem febre alta, respiração normal. Meus médicos estão acompanhando tudo certinho, graças à Deus”, afirmou. O filho dele, João, também fez testes, que deram negativo.

“Espero que vocês fiquem com pensamento positivo, porque eu já saí dessa. Mesmo diabético, a minha saúde é muito boa e eu não brinco”, ressaltou.
O programa A Noite é Nossa, que estreou em 20 de janeiro por Geraldo, está sendo comandado agora por Luiz Bacci.

Em outro momento, ainda no Instagram, Geraldo Luís publicou mais um vídeo, em que ele aparece com máscara ao lado da médica Ludhmila Abrahão Hajjar. “Sigo com fortes dores no corpo, parece uma gripe forte e tosse seca. Como sou diabético e pra nós tudo complica, fui ao encontro e me mediquei com a respeitada Ludhmilla, que fez todos os exames necessários. Tomografia, sangue, coração e pernas para evitar um risco de trombose em caso do covid. Meu pulmão está limpo! Sigo medicado já em total repouso”, afirmou.

A profissional de saúde disse que o apresentador da Record TV irá fazer tratamento em casa, com uso de medicações. Ambos fizeram um alerta para o aumento no número de casos relacionados ao novo coronavírus e pediram para que as pessoas sigam se protegendo, que evitem aglomerações e ficar atentos aos principais sintomas.

VEJA VÍDEO:

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: METROPOLES - Publicado por: Rebeka Melo

Devolução do Auxílio Emergencial

IMPOSTO DE RENDA: quem recebeu mais de R$ 22,8 mil de outras fontes terá de devolver Auxílio Emergencial


A Receita Federal informou nesta quarta-feira (24) que os contribuintes que receberam o auxílio emergencial do governo federal em 2020 e, além disso, tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76 terão de declarar Imposto de Renda em 2021 e devolver o benefício.

Os valores do próprio auxílio emergencial não devem ser incluídos no cálculo desse limite, apesar de serem considerados “rendimentos tributáveis” pela Receita.

O prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril. As restituições começam em maio.

Os contribuintes que se enquadrarem na hipótese de devolução do auxílio emergencial poderão imprimir um boleto (Darf) no próprio programa do Imposto de Renda, emitido junto com o comprovante de declaração.

A devolução deverá incluir os valores recebidos pelo próprio contribuinte e pelos dependentes.

Segundo o auditor fiscal José Carlos Fernandes, responsável pelo Programa do Imposto de Renda, quem já fez a devolução voluntária de parcelas irregulares, ainda em 2020, pelo site do Ministério da Cidadania não precisa fazer a declaração – a menos que se encaixe em algum outro critério.

“Não há obrigação de apresentar declaração [só] porque recebeu o auxílio emergencial. A obrigação é de quem recebeu auxílio emergencial e também rendimentos acima de R$ 22.847”, disse Fernandes.

Para quem foi vítima de fraude e teve seu nome usado por outras pessoas para sacar o auxílio emergencial, a orientação da Receita é procurar o Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento do benefício.

Entrega da declaração

A declaração e entrega do IR 2021 poderá ser feita e entregue, de acordo com o Fisco:

pelo computador, por meio do Programa Gerador da declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível no sítio da Receita Federal;
na página do próprio Fisco, pelo navegador de internet (com certificado digital);
pelo serviço Meu Imposto de Renda, disponível para tablets e smartphones.

A comprovação da apresentação da declaração do IR é feita por meio de recibo gravado depois da transmissão, no computador, em mídia removível ou no dispositivo móvel que contenha a declaração transmitida.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: G1 PB com Polêmica Paraíba - Publicado por: Rebeka Melo

Prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2021

Entrega da declaração de Imposto de Renda 2021 vai de 1º de março a 30 de abril, informa Receita Federal



A Secretaria da Receita Federal informou nesta quarta-feira (24) que o prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril.
A Receita Federal estima que sejam entregues 32.619.749 declarações. O sistema para declaração já estará disponível para preenchimento nesta quinta-feira (25).

Devem declarar o Imposto de Renda, em 2021:

quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado;
contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020;
quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.

As restituições começam a ser pagas em maio, de acordo com o cronograma abaixo:

1º lote: 31 de maio
2º lote: 30 de junho
3º lote: 30 de julho
4º lote: 31 de agosto
5º lote: 30 de setembro

Auxílio emergencial

A instrução normativa da Receita inclui a obrigatoriedade de declaração do Imposto de Renda para as pessoas que receberam auxílio emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis.
A Receita Federal informou que os valores recebidos de auxílio emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Eles não contam, no entanto, para o teto de R$ 22.847,76.
“O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020, deve devolver os valores recebidos do Auxílio Emergencial, por ele e seus dependentes”, informou a Receita.
Quem precisar devolver o valor do auxílio emergencial poderá fazer a transferência com um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). O boleto será gerado pelo próprio programa do Imposto de Renda, junto com o recibo da declaração.

Entrega da declaração

A declaração e entrega do IR 2021 poderá ser feita e entregue, de acordo com o Fisco:

pelo computador, por meio do Programa Gerador da declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível no sítio da Receita Federal;

na página do próprio Fisco, pelo navegador de internet (com certificado digital);

pelo serviço Meu Imposto de Renda, disponível para tablets e smartphones.

A comprovação da apresentação da declaração do IR é feita por meio de recibo gravado depois da transmissão, no computador, em mídia removível ou no dispositivo móvel que contenha a declaração transmitida.

Fonte: Polêmica Paraíba - Créditos: G1 GLOBO - Publicado por: Rebeka Melo