terça-feira, 5 de julho de 2022

“Deitado com o rosto para cima”

Caçador de leões e elefantes, Riaan Naude, de 55 anos de idade, é morto a tiros na África do Sul

Ao estacionar seu veículo devido a um superaquecimento do motor, Riaan Naude foi surpreendido por dois homens em uma caminhonete, que abriram fogo contra ele.

Dono de uma empresa de caça na África, Riaan Naude (à esquerda) compartilhava na internet imagens de seus "troféus" mortos - (Foto: Facebook/Riann Naude)

Riaan Naude, de 55 anos, chefe de uma empresa que organiza viagens de caça foi encontrado morto ao lado de seu veículo em Marken Road, na província de Limpopo, na África do Sul.

A organização sem fins lucrativos Heritage Protection Group disse que Riaan Naude foi morto após parar na beira da estrada porque seu veículo teve um superaquecimento do motor. Em seguida, dois homens saíram de uma caminhonete branca e um deles atirou no caçador.

De acordo com a agência local Maroela Media, em seu veículo foram encontrados dois rifles de caça. Os policiais ainda não sabem a motivação do crime.

A polícia ainda não sabe qual foi a motivação do crime — Foto: Facebook/Riaan Naude

O tenente-coronel da polícia Mamphaswa Seabi disse que os policiais encontraram o cadáver de Naude “deitado com o rosto para cima” com “sangue na cabeça e no rosto”.

A empresa de Naude, Pro Hunt Africa, cobrava até US$ 2.500 por excursões de caça, sendo US$ 350 por dia para caçar, US$ 2.500 por crocodilo e US$ 1.500 por uma girafa.

ClickPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário