segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Violência sexual contra bebê

Bebê de 1 ano e meio achada em matagal passa por cirurgia após estupro

Delegada pedirá quebra de sigilo para identificar ligação para tia de bebê


Créditos: Robério Mendes/Rádio Imperial

A delegada que investiga o estupro de uma bebê de 1 ano e meio em Pedro II, Norte do Piauí, irá solicitar à Justiça a quebra do sigilo telefônico da tia da menina, que recebeu uma ligação de número oculto horas antes da sobrinha ser encontrada. Conforme Camila Miranda, a pessoa informou o local onde a vítima estava.
“Queremos saber quem é e provavelmente essa pessoa pode ter outras informações”, falou a delegada. Nesta segunda-feira (8), familiares e testemunhas prestaram depoimento na delegacia.
De acordo com a delegada Camila Miranda, pessoas que estavam bebendo em um bar próximo ao local onde o crime ocorreu também devem ser intimadas a depor.
A bebê foi encontrada em um matagal com sinais de violência sexual por volta das 7h40 do domingo (7). O local fica a uns 500 metros da casa da avó, onde dormia quando foi levada do quarto ainda na madrugada. A bebê ficou sob os cuidados da avó materna e uma tia após a mãe sair para uma festa. Por volta das 2h, a tia acordou para amamentar a filha e percebeu que a sobrinha não estava mais na cama.
Além da violência sexual, a menina foi agredida e os médicos relataram que havia hematomas na boca, próximo ao olho e no pescoço. A vítima teve que ser transferida para Teresina e foi submetida a exames que comprovaram o estupro. Além disso, foi necessária uma cirurgia para reconstrução da vagina da bebê.
"A menina foi encontrada vestida com uma camiseta e ainda não encontramos a fralda e calcinha que ela usava", falou a delegada.
Segundo a coordenadora do Serviço de Atenção a Mulheres Vítimas de Violência Sexual (Sanvis) Sanvis, Dra. Maria Castelo Branco, durante o atendimento a equipe também constatou que o agressor tentou cometer o estupro anal.
“A vítima estava com a área genital dilacerada. Ela chegou ao hospital com um quadro muito delicado, passou por uma cirurgia de reconstrução do órgão genital, está em observação e passa bem", disse.
Conforme a delegada Camila Miranda, há a possibilidade de mais de uma pessoa ter cometido o crime e todas as informações que estão chegando serão apuradas. Um saco plástico com manchas de sangue encontrado no local foi encaminhado para a perícia.
Entenda o caso
A suspeita de que uma bebê de 1 ano e 3 meses tenha sido abusada sexualmente abalou a família e deixou a população de Pedro II em estado de choque.
Na manhã do domingo, a notícia do desaparecimento da garota se espalhou pela cidade. Foi quando populares a encontraram sem roupa e com vários hematomas pelo corpo ao lado de um terreno baldio, segundo a polícia, local frequentado por usuários de drogas.
“Havia machucados pela boca e uma lesão próximo ao olho, além disso, a vagina dela estava bastante machucada”, relatou a delegada.
“Nós trabalhamos com a hipótese de ter sido mais de um. Testemunhas falaram em alguns nomes e ao que tudo indica são pessoas que conheciam o local e sabiam que abrindo aquela janela já teria acesso ao quarto”, falou ainda a delegada Camila Miranda.
A menina permanece internada na Maternidade Dona Evangelina Rosa e não corre risco de morte.
Por G1 / PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário